A FESTA DO AVANTE E AS VÉNIAS DO ESTADO AO PCP

Seu Efeito de Sinalização contra as Medidas Anticorona do Governo

Por António Justo

O Partido Comunista Português (PCP) esfrega as mãos de contentamento, com tanto a favor e tanto contra a Festa do Avante. O que importa é estar nas bocas do mundo, o resto é apagamento!

A festa do avante é o maior evento político-cultural português (três dias) e na sua organização faz lembrar o evento da Igreja (Kirchentag), na Alemanha! A Festa do Avante, como evento político-cultural, expressa a relevância da Esquerda em Portugal e a importância de um voluntariado criativo e idealista na organização do festival.

Desde 1990 o evento realiza-se na Quinta da Atalaia (Amora, Seixal) que o PCP comprou. Este ano o festival é realizado a 4, 5 e 6 de setembro.

A festa, é uma característica muito querida dos portugueses; já que não temos Fátima nem futebol nem arraiais, haja, pelo menos, festa para a esquerda; caso contrário, em tempo de pandemia, até nos esqueceríamos que vivemos num Estado partidário de crença secular que se empenha pelo cultivo do seu credo! Doutro forma seria legítima a pergunta: Que tem a festa do avante a ver com o beneplácito do PM e do Presidente da República e por que terá este de promulgar um decreto que não questione a festa do avante, apesar das massas de gente que congrega?(1) Ou será que num meio político imune e descarado se torna irrelevante o andar ou não com máscara!

Também gosto da festa e da liberdade. Se é permitido festejar que seja admitido para toda a gente!  Regras, quando muito, sejam iguais para todos.

A festa do Avante (em média 100.000 participantes) rendeu em 2019 mais de dois milhões de euros ao PC.

Apesar da pandemia, numa lógica antigovernamental, o Avante leva a sua avante, o que vem confirmar a ideia dos que defendem que a conversa do governo em torno do Coronavírus não é mais que um exercício para o confinamento da vontade popular.

No fim da festa só haverá contentamento: os comunistas com os lucros da festa e os adversários com a esperança que o vírus também infeste os camaradas da festa!

 

Os Privilégios do PCP são os Garantes de uma Sociedade alinhada à Esquerda

A ação do PCP em Portugal pode resumir-se na seguinte frase do Tenente Coronel João José Brandão: “o PCP não manda, no sentido em que não ocupa, nominalmente, as cadeiras do Poder. Mas manda, no sentido em que condiciona tudo o que se passa” (2).

Ele condiciona tudo porque se encontra instalado na administração estatal e em corporações nacionais de maneira indelével e impercetível (3), possuindo ao mesmo tempo uma aura de mártir fomentada na consciência popular pelo regime de abril.

Embora derrotado em 25 de novembro de 1975 afirmou-se por simulação e infiltração no aparelho do Estado (constituição, imprensa ideologicamente  saneada, instituições sociais, até na Caritas …). O regime de abril sem a ideologia comunista seria, na praça pública, como um galão feito com café de cevada! Por obra e graça da nova classe política toda a informação social tem um sabor característico de abril (Se o aroma social anterior tinha um cheirinho a Salazar o novo regime substituiu-o pelo cheirinho a comunismo; mas em questão de cheiros não se discutem gostos!).

A direita que não conseguiu sarar-se do complexo de culpa assumido no Regime de Salazar vindo-se aniquilada também pela demonização de tudo o que era do antigo regime; isto aliado à inteligência e experiência partidária do PCP e ao oportunismo de radicais de esquerda favoreceu a estruturação da corrupção dos partidos a nível estatal. O PCP foi açamado pela URSS que não queria que se estatuísse em Portugal um mau exemplo (PC) comunista a nível internacional.

De facto, o PCP português talvez seja o verdadeiro herdeiro de um socialismo que se queria também afirmar como crença; tornar-se na nova religião, o que em grande parte conseguiu. Na europa os partidos comunistas, no sentido tradicional, deixaram de existir, porque ao perderem a fé nele já não são verdadeiramente comunistas – por isso preferem optar pelo desvio socialista enquanto a recordação do bloco de leste durar; na Europa só o PCP original se mantem.

A subsistência do PCP original na sociedade portuguesa também tem certamente a ver com um certo sentido místico-poético português e com a consistência ideológica conseguida pelos obreiros da República portuguesa onde um corporativismo medievalista de elites cúmplices entre si ainda hoje politicamente fomentada por uma prática de sigilo dos homens do avental a atuar nos labirintos da República.

Para ver a sua capacidade de usar a crença do povo para os seus objetivos lembro aqui um caso que se deu nos primeiros tempos da revolução em que um militante delegado sindical de Lisboa, deslocado ao norte, (certamente em missão de catequização)  trazia nas mãos um  Terço como meio de propaganda, quando o Terço não era chamado, também no Norte, a comícios sindicais. (Tal era a ideia que se tinha do Norte!).

O PCP tem a vantagem, em contraposição a outros partidos da extrema esquerda, o facto de possuir uma certa racionalidade e uma boa infraestrutura na estratégia de organização enquanto outros só lhes resta a palavra e o oportunismo de que também muita da esquerda moderada se serve.

O PCP, como opositor sistémico convencido conseguiu, também a nível de opinião pública, um estatuto de consciência nacional que dá expressão ao protesto popular de quase tudo o que vai mal! Favorece-o ainda o facto de ser a ponta de lança da doutrina socialista que, a nível de partidos moderados, cultiva um socialismo envergonhado por terem de manter oculto o seu verdadeiro objetivo!

É triste a situação política e económica portuguesa por temos a pouca sorte de termos uma direita complexada e uma esquerda oportunista; uns e outros fechados em si mesmos e como tal não atentos aos verdadeiros problemas nacionais. O medo e o oportunismo revelam-se como garantes de um sistema partidário conivente ao serviço de corporações, mas à custa do bem comum! Outra não será a razão pela qual os partidos em vez de exercerem controlo efetivo sobre o Estado e o Governo com ações concretas (denúncia das irregularidades à justiça, etc.) apenas se interessam em comentar, na praça pública, os males do adversário político. Homens do jeito de Sã Carneiro e Ramalho Eanes  não são bem vistos nas elites de Portugal.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

 

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

38 comentários em “A FESTA DO AVANTE E AS VÉNIAS DO ESTADO AO PCP”

  1. Pelo que sei, o PCP fez toda a diferença no pós 25 de Abril e foi o balizador para a retomada do dia-a-dia português.
    Bem como vem fazendo toda a diferença no governo do António Costa, colocando-o sempre mais à esquerda do que este deseja e contra toda a especulação desejada pela direitona portuga..
    Mauro Moura
    Diálogos Lusófonos

  2. Sim, o PCP revelou grande responsabilidade política no 25 de novembro; doutro modo haveria sangue a correr nas ruas! No meu artigo não estava em primeiro plano a política de António Costa.
    O PS como é mais democrático nas suas estruturas e tem associados muito diferenciados tem mais dificuldade em conseguir decisões claras ao contrário do que acontece com o PCP de caracter mais autoritário e condicionado a só poder fazer verdadeira política alinhado ao PS e deste modo conseguir assumir poder em termos de governação. O que vale ao PS é ter um António Costa com grande instinto de poder e como tal mais pragmático. O PS ao alinhar-se com o PC só revela inteligência porque assim sabe ter conversações com um partido ainda sério nas relações com os seus parceiros enquanto que o BE e o PEV estão mais voltados para as ideologias e interesses meramente partidários, custe o que custe!

  3. Há alguma manifestação organizada contra os comunistas que querem ser mais iguais do que os outros em Portugal?
    Clarisse Seca
    FB

  4. O título do artigo está muito bem dado ao conteúdo e à situação.
    Aceitando festa com tantos milhares de cidadãos leva mesmo a crer que as medidas de confinamento são apenas um exercício de confinar a vontade popular.
    Apreciei a frase que todos vão sair contentes, o PCP pq vai ter lucro de milhões e os opositores pq esperam que o vírus infecte os “camaradas comunistas”.
    Achei que identificaste bem que a direita é complexada e a esquerda oportunista.

    Maria Manuela

  5. O comunismo não representa a esquerda, mas a extrema-esquerda. Pobres daqueles que vivem sob este regime! Que o digam venezuelanos, cubanos, chineses ou norte-coreanos. O comunismo matou mais gente do que o nefasto nazismo. A História assim o diz. A todos os comunistas proponho a leitura da obra de Alexander Soljenitsine, “Arquipélago de Gulag”. Para terminar, já não existem partidos comunistas na Europa. Portugal é a excepção. Os ucranianos depois de massacrados por esta ideologia durante décadas decidiram abolir o comunismo. A História não se reescreve. Aprendamos com ela.
    Liberto Miranda da Conceição
    FB

  6. Uma no cravo e muitas na ferradura. Nem se percebe onde este distinto faceboqueiro quer chegar… Mas o cheiro não presta.
    Jorge Sario de Matos
    FB

  7. Essa de misturar um “Sã” Carneiro, com um Homem integro e sem calotes como Ramalho Eanes é baixo de mais.
    José Manuel Moura
    FB

  8. A Oeste nada de Novo é no mínimo o que se pode dizer do comentário em causa e está enraizado e cheio de azia está posição acerca do PCP porque foi o que mais foi martelado no regime do Salazar os comunistas comiam criancinhas ao pequeno almoço parece que este preconceito está sempre presente e comparar o Sá Carneiro ao General Ramalho Eanes não lembrava nem ao diabo.
    Orlando Ervedosa
    FB

  9. Essa de que os “comunistas comiam criancinhas” é o cúmulo dos preconceitos! O que sei é que essa expressão tem origem na experiência da Ucrânia sob o jugo da União Soviética que escravizava e explorava economicamente de tal modo os ucranianos que estes chegavam a morrer à fome e por isso terão chegado a ter de comer a carne de cadáveres de crianças. Factos históricos simplificados podem levar lamentavelmente ao preconceito “comunistas comiam criancinhas”!

  10. Um dia um camarada psiquiatra disse-me a propósito destas publicações .
    “é gente com grandes carências afectivas, normalmente com dificuldades de socialização, vivendo sós ou quando acompanhados são reprimidos emocionalmente.”
    Parece ser o caso desta figura que postou.
    Fernando Bicho Marques
    FB

  11. Na falta de argumentos, parece legitimar-se o insulto como melhor meio para se defender!
    A realidade/verdade é a-perspectiva e como tal seria problemático tentar metê-la num só ponto de vista, num só partido e pior ainda numa só opinião para a massa. Os partidos, todos eles têm a sua legitimação e todos eles são digos de respeito; todos eles são expressão dos interesses e da vontade popular que se expressa e realiza em democracia. Atendendo a isso, tolerância é condição e sinal de inteligência porque reconhece que tudo é complementar! Não percebo a razão de o meu post ter causado tanta azia!. Seria de esperar mais lógica argumentativa e menos emocionalidade recalcada! Ou será que alguém esterá interessado em amens para crenças! Acho que seria bom todos partirmos do princípio que pensar faz doer!

  12. Azia só se for sua. Leia José Saramago, pode ser que assim entenda ou talvez não, quem sabe…
    José Carlos Costa
    FB

  13. António Cunha Duarte Justo, a mim não me dói nada pensar! É-me natural, creio que também tem a ver com o hábito e a prática… é assim para mim um processo automático e muitas vezes involuntário!
    De tal forma que digo muitas vezes aos meus filhos que a única coisa inteiramente livre é o pensamento!
    Ana Montez
    FB

  14. Também penso assim! O pensamento é livre e não deve ser motivo de masmorra para ninguém! Somos pessoas em processo e como tal em contínuo processo de in-formarção (dar ou ganhar forma). A consciência disto mantem-nos críticos e ao mesmo tempo tolerantes!

  15. A Festa do Avante é um evento de muito nível e importante, também a nível nacional e um bom exemplo de como se pode festejar manifestando também a sua crença tal como fazem outros noutros eventos ou muitos católicos em Fátima. Tudo isso é mostra da vivacidade de um povo e da riqueza dos muitos grupos que contribuem para o pluralismo e a variedade nacional! Cada um com as suas necessidades tem direito a expressá-las. Devemos defender esta democracia independentemente dos gostos, doutro modo teríamos uma sociedade ordenada como na China!

  16. Um não assunto comovente mas não convincente. Viva a festa do Avante e todos os que nela trabalham e participam. Viva o PCP, partido da classe operária e dos trabalhadores.
    Pedro Mendes Pinto
    FB

  17. Nem todos sabem organizar eventos como os “comunas”. Pelo menos são coerentes com eles mesmos.
    Carlos Alberto Alberto
    FB

  18. E já agora, há festas por todo o lado, desde o campo pequeno ao Porto, mas dessas não vos interessa falar, é essas nem distanciamento têm. Oh, balhamedeus.
    Inacia Silva
    FB

  19. ‘Uma direita complexada e uma esquerda oportunista’
    Que análise hilariante!
    Uma verdadeira pérola…de chafurdice!
    Ana Montez
    FB

  20. Mais anti-comunista e reaccionário que isto não há…Deixai-os falar que a sua “falácia” tem graça !!!
    Amâncio Pinheiro Amaro
    FB

  21. Pelas reacções só negativas penso que o problema só está no crivo que se usa para interpretar a realidade e no direito subjectivo a que cada um assiste de se julgar o soberano da interpretação. Por isso já dizia o filósofo Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo”! Discutir ilumina o pensamento; ataques pessoais são sinais de hipersensibolidade incontrolada sempre de baixo nível! Penso que os comunistas são pessoas muito dignas e alguns deles não deveriam descer a um nível tão baixo de recorrer ao ataque pessoal porque assim dão a pior imagem do Comunismo! Também sinto muito a injustiça a que está votada a classe desfavoreida dos povos mas isso não me leva a legitimar nenhum dos sistemas seja ele o comunismo real existente quer seja o turbo capitalismo! Cada um de nós é feito dele mesmo e das suas circunstâncias. Importante é que não deixemos as circunstâncias tomarem conta de nós e assim aniquilarmos o que mais profundo temos em nós.

  22. SERÁ ISTO UM DESÍGNIO, ATURAR QUEM NÃO CONSEGUE DIFERENCIAR A ÁGUA DO VINHO, FALA, FALA MAS NADA DIZ, PELO MENOS A CORAGEM DE ESCREVER O QUE LHE VAI NA ALMA. OU ESTÁ COM DEUS OU COM O DIABO, ASSIM NEM É MERDA NEM O CÃO CAGOU. UMA PESSOA QUE SE COLOCA DA MANEIRA QUE LHE DÁ MAIS JEITO SEM SE COMPROMETER É UM COVARDE.
    Carlos Jaques Marques
    FB

  23. Sinto-me em boa companhia com o grande escritor Miguel Torga que escreveu: “Reduzido à pura condição política, o homem é um desertor do mundo primordial”. De resto, não me sinto obrigado a seguir só as conjunções alternativas do “ou… ou…”, ddas visões simplicistas do só preto ou só branco; gosto mais de usar as locuções conjuncionais do “não só… mas também”! Por isso falei da natreza complementaria de toda a realidade/verdade! Acho importante é pensar e para tal, não se limitar o pensamento em qualquer minifúndio ou latifúndio!

  24. <> Já agora explicite quais são os Privilégios do PCP? Ou será que os partidos do arco da goverNação é que são os verdadeiros privilegiados? Quem tem governado Portugal nestes últimos 44 anos? Foi o PCP o privilegiado? Quem tem dirigido o Banco Público CGD? Foram militantes do PCP? Quem tem sido Governador do Banco de Portugal? Foi algum dirigente ou membro do PCP? E quem vendeu o BPA ao senhor Jardim Gonçalves (com empréstimo do próprio banco), a este tão bom português, que hoge usufrui de uma reforma de 167 mil euros mensais? É membro do PCP este privilegiado? Das questões que foram colocadas, se depreende que o único privilégio que o PCP usufrui é poder continuar com a sua Luta na defesa dos interesses dos trabalhadores e do Povo Português! E irá continuar a fazê-lo, por muito que custe a muito “boa gente” que gostaria de ver o PCP de fora do regime Democrático, instituído com a Revolução de Abril e para a qual a sua acção foi determinante.
    25 de Abril Sempre! Fascismo nunca mais! Por muitas novas roupagens que use!
    A Luta Continua! Por uma Política Patriótica e de Esquerda!
    Antonio Pereira
    FB

  25. Os privilégios têm a ver com a elaboração da Constituição beneficiadora da esquerda e com uma certa esquerda oportunista que, por vezes, também não gosta do PCP mas beneficia dele porque assim não precisa de se pronunciar sobre questões de marxismo materialista, conseguindo assim embrulhar muita gente, que não nota a sua atitude anti cristã. Não quero difamar a esquerda; pelo contrário, faço uma descrição analítica sob um ponto de vista. O que mais me afasta da esquerda é a política cultural do socialismo em geral que no meu entender segue agendas internacionais e são apoiantes de uma luta anticultura ocidental; Justificam também o seu antipatriotismo com a confusão dele com o nacionalismo. Colaborei com muitos activistas comunistas (um deles deputado) em assuntos pontuais. Um deles era-me muito agradecido por poder usar da minha experiência e meus conceitos de política de ensino para o estrangeiro. Para mim, o problema do Comunismo está na sua fixação no materialismo, numa determinada classe e na experiência até agora havida dos sistemas comunistas, que não respeitam a dignidade e liberdade humana ao assumirem o poder! Viva a luta de todos os partidos por um Portugal maior, mais livre e mais conscienete. Quanto a mim procuro seguir o partido da liberdade e a soberania dos direitos da dignidade humana!. Viva a soberania de cada pessoa e a dignidade humana com os consequentes direitos.

  26. Gostei da liberdade e independência com que se expressou acerca das várias opiniões ou pontos de vista dos intervenientes. É preciso ter-se visões amplas e claras, espinha dorsal , pois a firmeza faz falta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *