O MELHOR PROFESSOR DO MUNDO EM 2019

Exemplo de Inclusão pedagógica

António Justo

Global Teacher Award (1) premiou o pedagogo Peter Tabichi, do Quénia, com um milhão de dólares. Ele foi considerado o melhor entre os 10.000 professores nomeados de 179 países.

O monge pedagogo ensinava 58 alunos numa escola de uma aldeia Queniana e dá 80% do seu ordenado para os alunos mais pobres; deles, um terço são órfãos ou só têm pai ou mãe. A vida de seus alunos era muitas vezes caracterizada pelo abuso de drogas, gravidez na adolescência, desistências escolares e suicídios.

Naquela escola só havia um computador e uma ligação de internet, que nem sempre funcionava. Apesar disso o padre fundou um clube de computador. Criou também um clube de talentos tendo com eles ganhado um prémio da Academia Real para Química; além disso dirige um grupo pela paz onde se encontram representadas as 7 tribos da região.

Peter Tabichi (1) “e quatro colegas também dão aulas particulares de Matemática e Ciências a alunos com fraco aproveitamento, fora da sala de aula e nos fins-de-semana, onde Peter visita as casas dos alunos e encontra as suas famílias para identificar os desafios que enfrentam.  Ao fazer seus alunos acreditarem em si mesmos, Peter melhorou dramaticamente o desempenho e a autoestima de seus alunos. As matrículas dobraram para 400 em três anos, e os casos de indisciplina caíram de 30 por semana para apenas três. Em 2017, apenas 16 dos 59 alunos foram para a faculdade, enquanto em 2018, 26 alunos foram para a universidade e para a faculdade. O desempenho das meninas, em particular, foi impulsionado, com as meninas liderando agora os meninos em todos os quatro testes estabelecidos no ano passado”.

O melhor caminho para sair da pobreza é a formação. Esta foi a missão que muitos padres e missionários levaram a terras por onde passavam e passam: um bem à humanidade de que ninguém fala (Tenho colegas que admiro porque trabalham em países da lusofonia (3), oferecendo a sua vida e seu usufruto às populações com o mesmo espírito deste monge). Peter Tabichi considera o sucesso de seus alunos como seu estímulo pessoal; confessa: “ver como meus alunos adquirem conhecimento, habilidades e confiança é minha maior alegria. Quando eles se tornam criativos e produtivos na sociedade, isso também me leva a uma grande satisfação”. Faz lembrar a pedagogia salesiana de Dom Bosco.

O Presidente da República de Quénia, Uhuru Kkenyatta, elogiou o empenho do monge franciscano e disse: “Peter, sua história é a história da África, um jovem continente cheio de talento”.

O sacerdote, no seu discurso de agradecimento, prognosticou: “A África produzirá cientistas, engenheiros e empresários cujos nomes serão um dia famosos em todas as partes do mundo. E as raparigas serão uma grande parte da história.”

O padre acrescentou humildemente que só estava ali devido aos seus alunos.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo,

Social:
Publicado em Cultura, Educação, Escola, Migração, Política, Religião, sociedade | Deixe o seu comentário

IMITAR A INICIATIVA TAILANDESA EM DEFESA DA NATUREZA

Em vez de lançar as sementes (de fruta ou outras) ao lixo é melhor secá-las (ao sol) e armazená-las em um saco de papel e guardá-las no carro. Quando for ao campo ou à serra lance-as sementes nos terrenos. Assim podemos tornar o nosso mundo mais verde e até apetitoso.

O governo tailandês promoveu esta idea a todos os seus cidadãos nos últimos anos. O número de árvores frutíferas na natureza multiplicou-se, contribuindo-se assim para as nossas futuras gerações

 

INICIATIVA:  SEMENTES DE FLORES PARA INSECTOS AO SERVIÇO DA FLORICULTURA

Jornal oferece sacos grátis com sementes de flores para melhoria das áreas de floricultura

Hoje, ao ler o meu jornal diário, vi, com agrado, uma iniciativa-apelo em que o jornal oferece sacos grátis com sementes de flores para melhoria das áreas de floricultura para assim impedir a crescente morte dos animais sugadores de néctar (Também as abelhas têm desaparecido em grande percentagem em toda a Europa).

 

As  pessoas espalham as sementes  em lugares próprios e também em certas relvas para que se tornem floridas.

 

Devido às monoculturas e aos insecticidas tem havido uma grande diminuição de insectos (abelhas, borboletas, etc.) e isso torna-se numa ameaça para a fruticultura, etc., por falta de polinização das flores dado rarearem os insectos. São necessárias bases nutricionais de áreas para insectos e abrigos para pequenos animais: Abelhas, borboletas, etc.

António da Cnha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

 

Social:
Publicado em Cultura, Educação, Política, sociedade | Deixe o seu comentário

COMBATENTES  DO ESTADO ISLÂMICO PERDEM A CIDADANIA ALEMÃ

Retornados do EI um Perigo para as Sociedades acolhedoras

António Justo

O Governo alemão decidiu (3.04.2019) que os jihadistas combatentes de maioridade e com dupla nacionalidade, que voltam da guerra muçulmana, perderão a nacionalidade alemã (1) .

Como argumentação para a lei diz-se que ao participarem em operações de combate numa milícia terrorista no estrangeiro, demonstraram com isso ter virado as costas à Alemanha e à sua orientação de valores.

Em 2013 foram da Alemanha para a região do Estado Islâmico (EI) 1.050 islamistas. Destes já se encontra um terço deles na Alemanha e 200 dos 1.050 morreram lá em combates. Entretanto as autoridades alemãs já trouxeram para a Alemanha várias crianças dos combatentes que lá se encontram presos.

Os governos têm atuado de forma negligente para com o povo porque já desde 2003 foi fundado o Estado Islâmico e só agora se reage; além disso foi permitida a campanha de distribuição do Corão pelos simpatizantes do EI (Salafistas) nas zonas pedonais alemãs em 2011.

A justiça alemã vê-se quase na impossibilidade de julgar os retornados da guerra dado todos negarem em tribunal terem participado em combates e não ser fácil provar crimes.

Os Estados europeus têm, por vezes, seguido uma política de autonegação, até ao possibilitar a criação de lugares de refúgio para os inimigos desta sociedade e da sua Constituição. A sociedade alemã deve muito aos seus serviços secretos e à sua polícia que tem evitado atentados. Muitos dos retornados estão fanatizados e indoutrinados de tal modo que continuam a ser um perigo para a sociedade acolhedora. O Estado com o legítimo argumento da defesa dos cidadãos cada vez restringe mais os seus direitos e legitima o seu controlo.

Pelo que pude observar ao longo de muitos anos e até como tradutor em questões de asilo em tribunal, pude verificar que a Alemanha é um país muito tolerante em relação aos refugiados e especialmente aos muçulmanos.

Devido aos complexos da guerra e a programas culturais públicos de educação do povo, conseguiu-se na Alemanha um espírito muito aberto em relação aos estrangeiros refugiados. Quanto à demasiada compreensão pelos Guetos muçulmanos talvez isso se deva também devido a um certo espírito germânico de que quando se instala num país forma os seus agrupamentos nacionais.

Na Alemanha as organizações muçulmanas têm muito poder e muitos muçulmanos encontram-se integrados como deputados em quase todos os partidos. Os salafistas, grupo muçulmano que apoia o terrorismo, encontra-se muito espalhado na Alemanha.

A Alemanha tem de ter um serviço secreto e policial forte atendendo à liberdade que socialmente permite. De facto,  se na Alemanha houvesse mais ataques muçulmanos do que os que tem havido, a população poderia reagir e fortalecer grupos anti-islâmicos. Também por isso a criminalidade acentuada é um pouco embrulhada na opinião pública com outras considerações que a tornam menos agressiva.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo,

(1) O governo chegou finalmente a acordo: “Os jihadistas com dupla nacionalidade podem ser privados dos seus passaportes alemães sob certas condições. O acordo da Grande Coligação foi alvo de muitas críticas – mesmo no seio das suas próprias fileiras”: https://www.tagesschau.de/inland/passentzug-terrorkaempfer-103.html?fbclid=IwAR2qOJb5kETeI8AEHbITj-L38TceqcMjPYi62i4IYhXDqyfQ0f5wc2f1rXQ O Ministro Federal da Justiça Barley anunciou uma lei rápida para retirar os passaportes dos combatentes IS alemães. Dobrindt, líder do grupo estadual da CSU, havia acusado o Ministério da Justiça de atrasar o projeto. https://www.br.de/nachrichten/deutschland-welt/barley-is-kaempfer,RJZq76G . O governo federal concorda em tirar a cidadania para os combatentes do IS com cidadania dupla! https://www.br.de/nachrichten/deutschland-welt/bundesregierung-beim-passentzug-fuer-is-kaempfer-einig,RJfzHYa

 

Tagesschau: https://www.tagesschau.de/thema/is-r%C3%BCckkehrer/

 

Social:
Publicado em Migração, Política, Religião | Deixe o seu comentário

INICIATIVA:  SEMENTES DE FLORES PARA INSECTOS AO SERVIÇO DA FLORICULTURA

Jornal oferece sacos grátis com sementes de flores para melhoria das áreas de floricultura

Hoje, ao ler o meu jornal diário, vi, com agrado, uma iniciativa-apelo em que o jornal oferece sacos grátis com sementes de flores para melhoria das áreas de floricultura para assim impedir a crescente morte dos animais sugadores de néctar (Também as abelhas têm desaparecido em grande percentagem em toda a Europa).

 

As  pessoas espalham as sementes  em lugares próprios e também em certas relvas para que se tornem floridas.

 

Devido às monoculturas e aos insecticidas tem havido uma grande diminuição de insectos (abelhas, borboletas, etc.) e isso torna-se numa ameaça para a fruticultura, etc., por falta de polinização das flores dado rarearem os insectos. São necessárias bases nutricionais de áreas para insectos e abrigos para pequenos animais: Abelhas, borboletas, etc.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Publicado em Cultura, Economia, Educação | Deixe o seu comentário

TRAVESSIA AÉREA DO ATLÂNTICO SUL – GAGO COUTINHO SEM NOME EM AEROPORTOS PORTUGUESES

A 30 de março de 1922 Gago Coutinho (aviador) e Sacadura Cabral (marinheiro) iniciaram a  primeira travessia aérea do Atlântico Sul (Lisboa – Rio de Janeiro) a bordo do hidroavião Lusitânia.

Como relata a Wikipédia, embora a viagem tenha consumido setenta e nove dias, o tempo de voo foi de apenas sessenta e duas horas e vinte e seis minutos, tendo percorrido um total de 8.383 quilômetros. Qual será o motivo

Os nossos grandes aeroportos têm nomes de políticos! Um índice da desqualificação da ciência e do povo português em proveito dos políticos é a vaidade de reservar nomes de políticos para aeroportos (Uma usurpação?)!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Publicado em Cultura, Política, sociedade | 1 Comentário