ALGUMAS PERGUNTAS TALVEZ INOPORTUNAS EM POLÍTICA

Serão umas bombas mais humanas que as outras?

Qual é a bomba mais patriótica para matar?

Que lei dos povos nos obriga a apoiar a Ucrânia?

Fará sentido apoiar guerras onde pessoas morrem e são desalojadas!

De que Urânia e de que ucranianos se fala quando se bombardeiam cidadãos de etnia russa e ucraniana em diferentes regiões?

Por que bombardeia a Federação russa e porque bombardeiam estados da Nato?

Por que devemos ajudar os EUA a desestabilizar a região?

Por que é que os EUA não reconhecem o Tribunal Internacional de Justiça?

Qual a razão de grandes potências não reconhecerem cometer crimes de guerra?

Por que tanto investimento em políticas de guerra e tão pouco em políticas de paz?

Não será a política de asilo um meio de justificar a guerra, a expulsão e a venda de armas?

Por que vendemos armas aos grandes dos Estados e por outro lado recebemos os pequenos que fogem delas?

Por que são os refugiados distribuídos também pelos países que não vendem armas?

Têm os europeus o direito de envolver outros povos na guerra?

Por que é que a Nato não ajudou o Portugal da Nato na guerra da Guiné?

Quem vai pagar a factura da guerra na Ucrânia?

Quem beneficia com isto?

Não estaremos nós a apoiar uma política cínica e hipócrita?

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

26 comentários em “ALGUMAS PERGUNTAS TALVEZ INOPORTUNAS EM POLÍTICA”

  1. Falta a pergunta inicial: porque teria a Russia que atacar e declarar guerra à Ucrânia ? Depois seguem-se as outras, todas pertinentes….

  2. Manuel Campos, está implicada na pergunta: Por que bombardeia a Federação russa e porque bombardeiam estados da Nato? Além disso teria de fazer também a pergunta: por que é que começou a guerra civil da Ucrânia em 2014?

  3. Tanta questão do passado, se as questões do presente são IMENSAS? NATO?? Eu só vejo um ocupante na Ucrânia !!! Um só!!! Um único!! Vamos continuar a filosofar acerca disto?!

  4. Carla Moita, filosofar pressupõe a disponibilidade para questionar algo e tentar encontrar respostas para questões fundamentais e assim contribuir para uma compreensão da realidade não só numa perspectiva (ponto de vista, opinião) porque a realidade é complexa e como um todo necessita de ser abordada nas suas múltiplas dimensões; em geral, das discussões muitas pessoas esperam a ordenação do pensamento (ou acontecimentos) de maneira unidimensional e como tal reduzido a posições do sim-não, verdadeiro-falso, sem espaço sequer para a dúvida metódica! De uma maneira geral a filosofia é aberta e não polarizante.

  5. Carla Moita, filosofar pressupõe a disponibilidade para questionar algo e tentar encontrar respostas para questões fundamentais e assim contribuir para uma compreensão da realidade não só numa perspectiva (ponto de vista, opinião) porque a realidade é complexa e como um todo necessita de ser abordada nas suas múltiplas dimensões; em geral, das discussões muitas pessoas esperam a ordenação do pensamento (ou acontecimentos) de maneira unidimensional e como tal reduzido a posições do sim-não, verdadeiro-falso, sem espaço sequer para a dúvida metódica! De uma maneira geral a filosofia é aberta e não polarizante. As perguntas que coloquei reduzem-se mais ao âmbito ético da filosofia, já que o âmbito lógico ou metafísico da filosofia se torna demasiado complicado para conversas no FB.

  6. Muitas são as perguntas todas elas com muito sentido, e as respostas poderiam resumir-se apenas numa:
    nada justifica a guerra, toda a bomba é desumana.
    Todavia, cada pergunta merece a sua resposta, sendo que a História, como se sabe, só deve ser apreciada à distância no tempo. Para já, se me fosse permitido, responderia com outras perguntas: no séc.XXI, porquê a humanidade, neste aspecto da violência e agressividade,
    ambição e conquista,
    parece ter acabado de saír das cavernas?
    Porquê David matou Golias? Porquê Jesus expulsou os vendilhões do Templo? Porquê a guerra dos 100 anos na Idade Média? Porquê a guerra entre Israel e a Palestina? E a 1a e a 2a guerra mundial?
    A Coreia? O Vietname?
    O Iraque? As guerras em África??? E tantas, tantas outras no passado e no presente. Agora Russia/Ucrânia. Será que o “envolvimento” dos EUA/NATO/Europa é um erro?
    O que é defesa e correlação de forças?
    A propósito de perguntas e respostas, li há pouco um texto de D. José Tolentino Mendonça, sob título:
    “Habitar a pergunta”
    Cito um pequeno excerto
    do texto, como segue:
    “Fazer um caminho interior com uma pergunta, ouvir ainda numa estação o que nos foi perguntado na outra, retardar a tentação de soterrar a pergunta na avalanche equívoca de sucessivas respostas que não são a resposta, constitui uma aprendizagem paciente. Quanto mais importante for a pergunta, mais tempo precisamos de habitá-la.”
    Oxalá eu soubesse responder a tantas questões que hoje em dia se colocam sobre as guerras e todas as consequências que daí advêm.

  7. Mafalda Freitas Pereira ,muito agradecido pela ampliação que deu às perguntas que coloquei. Também as perguntas que colocou possibilitam momentos de reflexão, pausas que nos levam a mais recolhimento e possibilitam entrarmos em nós mesmos e interrogarmo-nos sobre o que quase ninguém pergunta! Gostei também da citação do Cardeal porque esse é o verdadeiro caminho a que a pergunta nos pode levar porque pressupõe não apenas uma resposta mental…

  8. Grande texto. Nós somos levados pela hipocrisia. Tudo em nome do poder e dinheiro. A vida humana não tem qualquer valor.

  9. Veio para aqui gerar discórdia e confusão?! Aqui não é lugar de propaganda política de esquina.
    FB

  10. Quem escreveu isto.. era preferível declarar-se abertamente apoiante do putin. não atirem areia para os olhos das pessoas.. não vão buscar erros do passado … para justificar erros no presente – Há gente a morrer.. a ser violada… um País a ser destruído. isto vai para além da ideologia política que cada um possa ter.

  11. Quem escreveu isto.. era preferível declarar-se abertamente apoiante do putin. não atirem areia para os olhos das pessoas.. não vão buscar erros do passado … para justificar erros no presente – Há gente a morrer.. a ser violada… um País a ser destruído. isto vai para além da ideologia política que cada um possa ter. e já agora.. espero que não apaguem o post..
    FB

  12. Amâncio Fernandes Antunes , apoiante de Putin certamente que não sou! Como pode chegar a essa conclusão? Certamente sou apoiante da razão e da reflexão; Quanto ao ser-se por este ou por aquele é uma questão de cada pessoa que deve ter em conta não apenas o sentimento mas também pela razão! Quem sofre é o povo ucraniano tornado cavalo troiano da Rússia e dos USA/Nato.

  13. António Cunha Duarte Justo há coisas demasiado penalizadoras que não podem ser compreendidas.

  14. Amâncio Fernandes Antunes , quem acompanhou os acontecimentos na Ucraina já mesmo antes da guerra civil na Ucrânia até 2022 pode compreender bem tudo o que se jogava e joga agora lá; o que não significa que se aprove!

  15. António Cunha Duarte Justo compreender o quê… violações , destruição de aldeias, de prédios de habitação. De escolas, maternidades, creches. Você apoie quem quiser. . Mas não me venha com erros do passado. para justificar erros piores no presente.

  16. Amâncio Fernandes Antunes, já está a desconversarhttps://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=O8h6NKAs-0g&feature=share&fbclid=IwAR21qMKbNm1QwUirL8m_YY6xS_H4UgJbndzeW7iPVMA0nySpsHn-gqA7DDM#menu ; fique-se por convições porque está no direito de as ter, mas vir com o “não me venha…” vejo que não será possível nem sequer entrar no âmago do problema de uma forma independente e isenta. Não vale a pena continuarmos a conversa! É tudo!

  17. António Cunha Duarte Justo sim .. Não gosto de dialogar com gente que defende assassinos mas que quer dar a imagem que são neutrais. . não pode haver neutrais . quando um país invade .e destrói um país soberano. .. é um problema seu e da sua consciência…

  18. Amâncio Fernandes Antunes Infelizmente as pessoas gostam de ouvir só a banda dos que tocam a sua música! A formação das consciências tem uma parte que lhe vem da informação de que cada um está dependente! Aqui tem talvez um para acrescentar ao seu rol dos que defendem assassinos: https://expresso.pt/guerra-na-ucrania/2022-05-31-Noam-Chomsky-ao-Expresso-Dizer-vamos-continuar-a-guerra-e-dizer-vamos-destruir-o-mundo-porque-queremos-fingir-que-temos-principios-3ef80513?fbclid=IwAR3jtCGzjManCwzHiXEe1BMBWo6Qc6V-48Mh1kPnM8HlxfZFSe4cOEdaJgM

  19. Perguntas pertinentes de mente brilhante!
    Estamos juntos meu caro.
    A Nato não ajudou Portugal na guerra da Guiné da mesma forma que bem ajudará a Turquia dos Curdos, mas querem de filhos legítimos e importantes a Finlândia e a Suécia, é assim Lá muitos são enteados e poucos são filhos!

  20. Aconselho a ler “me nobody” ” escuta Zé ninguém” de Wilhelm Reich, antigo mas com perguntas deste tipo que se evitam, levando assim às bombas patrióticas e as outras malvadas.
    Como quer ser morto? Por.uma bomba patrótica ou por uma malvada? Coloque uma cruz. Tão horrível e absurdo que nem dá para ser cínico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.