PROMISCUIDADE ENTRE EMPRESAS GLOBAIS E O ESTADO

Uma pequena notícia com conteúdo problemático

Os jornais alemães informaram que, de acordo com uma opinião de peritos, a exibição preferencial dada pelo Google a um portal federal alemão de saúde, pode ser problemática para a liberdade de imprensa.

O serviço científico do Bundestag chegou à conclusão de que uma cooperação do Estado com o Google poderia significar uma violação “contra a exigência da distância do Estado”.

De facto, todos nós estamos cada vez mais dependentes dos motores de pesquisa na Internet e deparamos, muitas vezes com informações que não procurávamos.

A promiscuidade entre Estado e empresas globais afirma-se como um grande risco, sabendo nós que somos informação resultado de informações!

Que os grandes se unam na defesa dos seus interesses é compreensível, mas que isso aconteça à custa dos consumidores dependentes, é uma violação significativa contraprincípios de ética elementar! Sim, porque só a solidariedade dos dependentes terá a possibilidade de se afirmar (organizar) contra o princípio de imposição violenta dos mais fortes, num processo, sempre à posteriori,  de reacção tardia.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *