JEJUM QUARESMAL 2021

 

O Jejum proporciona novas experiências e tem um efeito terapêutico para o corpo e para a alma.

É verdade que as medidas do coronavírus já nos levam a um extremo de renúncia. Porém, um renunciar consciente, por exemplo, a três dias de comida (bebendo-se só sumos ou por exemplo  caldo de galinha) ou limitar a comida a alimentos vegetarianos durante algum tempo, podem levar-nos a consciências transcendentais e também fortalecer o sentimento de autoeficácia. Isto naturalmente num contexto de vida na superabundância!

A leveza de corpo e espírito podem até criar um sentimento de euforia e libertação porque os sentidos ficam mais afinados e experimenta-se tudo mais intensivamente.

Os psicólogos aconselham a fazer-se jejum só numa altura de estabilidade mental. Por vezes bastaria andar a pé, em vez de usar o automóvel para se deslocar na localidade. Importante são novas experiências a adquirir sem grande compromisso e sem dar importância relevante às sereias.

Tudo pode ajudar a criar espaço, para lá do existir,  que possibilite um entendimento de vida também na perspectiva espiritual.

A Quaresma (1) Cristã de 40 dias começa na Quarta-feira de Cinzas e termina na Páscoa. A tradição da quaresma remonta ao Novo Testamento onde se relata que após Jesus ter sido baptizado no Jordão, Ele se retirou num ambiente deserto para 40 dias de oração e jejum.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

 

 

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *