QUEM MANDA NA EUROPA É O SECRETÁRIO GERAL DA NATO?

Crítica à Base Aérea dos EUA na Alemanha

O Presidente dos EUA Biden disse sem fingimento:  “Putin queria a Finlandização da Europa. Ele terá a Natoização da Europa”. Revelador do estado de dependência dos políticos europeus é o facto de esta frase não ter sido, pelo menos em parte, contestada, sendo por eles aceite, sem qualquer observação, como se fossem meros feitores dos USA na Europa. A guerra explica e justifica tudo e os nossos feitores sabem que ninguém lhe pede contas porque, na realidade, o povo está ausente! Sim, agora tornou-se claro, o que só alguns sabiam: para os USA e para a Europa: quem manda na Europa é o senhor Stoltenberg, secretário geral da NATO. (De notar que esta posição pressuporia uma reflexão sobre uma política europeia própria depois da experiência do colonialismo europeu e sua passagem para o imperialismo americano agora em luta com oimperialismo russo  e de seguida com o da China!).

Na Cimeira da NATO em Madrid, os 30 Estados membros decidiram aumentar o número de soldados em maior disponibilidade de destacamento de 40.000 para 300.000. A Alemanha quer contribuir para tal com uma divisão (15.000 soldados) e liderar uma brigada de combate de 3.000 a 5.000 soldados para a Lituânia.

A Presidente da Igreja evangélica do Palatinado, Dorothee Wüst, num fórum em Kaiserslauten, advertiu que a existência da base militar americana em Ramstein, não deve ser aceite como normal. Uma base americana a partir da qual, se presume que, os drones (1) mortíferos são controlados, não pode ser uma parte normal da região para os cristãos, informou o HNA (27.06.2022). Na região a base aérea americana não é, de uma maneira geral contestada pelo povo.

Os USA têm regularmente mais de 90.000 soldados estacionados em bases americanas na Europa. A base militar americana mais importante, fora do seu país encontra-se em Kaiserslautern (Ramstein); a partir daqui, têm regularmente missões em África e na Ásia. A base de Ramstein é o Centro logístico para as forças armadas dos EUA) e é uma das 20 bases militares dos EUA na República Federal, e é considerada a base europeia mais importante para o transporte aéreo das forças dos EUA. A Base Aérea alberga cerca de 53.000 americanos e dependentes dos EUA (tem cerca de 8.400 soldados). A “Comunidade Militar de Kaiserslautern” tem seus próprios centros comerciais, escolas secundárias, etc. Oficialmente, aplica-se lá a lei alemã, mas com restrições (2). Diz-se que os Estados Unidos operaram a partir de Ramstein durante suas missões de drones no Iêmen. Dois anos atrás, a Média alemã e do Leste Europeu noticiou as entregas americanas de armas e munições aos rebeldes sírios. Os EUA têm bases militares em 80 países.

Com os quartéis na Alemanha, os soldados americanos podem chegar mais rapidamente a outros países em caso de combate ou de guerra sem que os EUA sofram as consequências directas no próprio país.

Na Alemanha é assustador verificar que o partido dos Verdes, que era antes o partido da paz e da ecologia, se transformou num dos principais partidos promotores da guerra e do envolvimento da Alemanha nela! Encontramo-nos numa situação desastrosa para a Europa e para o povo ucraniano. A Europa parece, por destino ou por opção ter de andar atrelada aos interesses dos USA.

Nos políticos alemães é de observar uma atitude febril por rápida militarização. O mais grave é que a EU irá para onde for a Alemanha! Na sociedade alemã há também grupos de cidadãos atentos que apelam para a razão e comedimento!

Segundo os números da NATO, a força das tropas alemãs em 2021 era de 189.100, a da Polónia de 121.000. As forças da NATO têm um total de cerca de 3,3 milhões de militares, sendo os EUA responsáveis por 1,35 milhões.

A favor da autonomia política e militar da Europa em relação aos EUA é, também, de ter em conta o factor das mudanças políticas na vida interna dos EUA. Dentro de dois anos, próximas eleições americanas, poderia ser eleito um Trumpista, o que obrigaria a Europa a reorientar-se, por não ter política própria!.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

(1) Um drone é um veículo aéreo ou subaquático não tripulado que é controlado à distância por humanos ou controlado por um computador integrado ou subcontratado e portanto (parcialmente) autónomo.

(2) Consultar: https://www.dw.com/de/ramstein-us-milit%C3%A4rbasis-in-deutschland/a-61593746

 

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.