DA GUERRA CIVIL UCRANIANA PARA A GUERRA RÚSSIA-UCRÂNIA À GUERRA EM TODA A EUROPA?

A Guerra da Informação faz da População Soldados mentais

Esta guerra meteu-nos a todos num túnel escuro em que nem sequer se avista luz no fundo dele! A situação encontra-se tão enredada que só promete desastres em cadeia! Isto, atendendo aos interesses da Rússia, ao temperamento indomável de Putin e à guerra geral através do bloqueio económico que o está a encurralar! O mais provável é que, se ele não atingir os objectivos mínimos que tem na Ucrânia, teremos um inferno nos países vizinhos da Rússia! No purgatório já nos encontramos nós com os custos de vida a subir incontidamente.

A esperança da Nato que o povo russo deponha Putin revela-se vã, ao não contar com a realidade do confronto de blocos nem com os interesses do povo russo como nação (e como velho bloco); por isso só uma reconciliação entre a Rússia e a Ucrânia e entre os USA e a Rússia poderá aplainar o caminho para a paz! Uma outra opção corresponde a manter-se a guerrilha na Europa por tempo indeterminado, independentemente de resultados militares! A EU tem de estar atenta a não seguir apenas os interesses americanos (longe da Europa) e para isso também não cair na tentação de instigar a Polónia a imiscuir-se na guerra! Os EUA querem que a Polónia forneça à Ucrânia aviões de combate Mig 29 em troca de F 16!… Neste sentido o artigo de 2014: “Ucrânia entre imperialismo russo e ocidental”: https://www.triplov.com/…/Antonio-Justo/2014/ucrania.htm e outros (1).

Considero muito importante o visionário texto de Henry A. Kissinger, secretário de Estado dos USA, que agora recebi (2): “Para que a Ucrânia sobreviva e prospere, não deve ser o posto avançado de nenhum dos lados contra o outro – deve funcionar como uma ponte entre eles…. O Ocidente deve entender que, para a Rússia, a Ucrânia nunca pode ser apenas um país estrangeiro…”… A Frota do Mar Negro – o meio da Rússia de projetar poder no Mediterrâneo – é baseada em arrendamento de longo prazo em Sebastopol, na Crimeia.” Alegra-me este texto, porque sem saber dele corresponde, em parte, ao que tenho vindo a procurar fazer compreender com os meus textos, se não formos advogados da guerra.

Putin não precisa de activar uma bomba nuclear, ele tem as centrais nucleares na Ucrânia como ameaça maciça. Verdade é que, para já, se tem de renunciar ao sonho de “uma Europa de Lisboa a Vladivostok”! Uma solução de compromisso satisfatório para todos os lados seria a formação de uma República Federal da Ucrânia Independente. Assim se mitigaria a longo prazo o princípio que Putin usa de ir defender uma minoria (problema de minorias usadas como pretexto a desejos de poder!).

Um possível contributo pessoal e social para a paz exterior e interior passaria pela abstenção de se ver regularmente TV, dado nos encontrarmos já envolvidos numa guerra de informação! A Guerra da Informação está a fazer da população soldados mentais!

Trazemos a maldade nos nossos genes (“pecado original), uma realidade que reprimimos em nós (deslocamento psicológico!) mas que faz parte do nosso habitat natural e cultural. O mal que vemos nos outros encontra-se em nós! Produtivo será o trabalho feito no sentido da reconciliação e dedicar mais tempo às coisas que nos dão prazer e assim não estarmos tão sujeitos à invasão das coisas que entram pela porta da televisão.

Com a queda das torres de Nova Iorque iniciou-se na Europa um processo de cortar, ao cidadão, direitos cívicos e humanos até então assentes nas legislações dos Estados; com as medidas anticovid-19 os governos centralizaram em si mais poder, a ponto de privarem o cidadão de direitos democráticos e de liberdades essenciais. Com a guerra Rússia-Ucrânia legitimaram a proibição da informação (3) estrangeira de modo a irem criando a possibilidade de só serem possíveis pensamentos em bloco, de modo a só se poder estar de acordo com os donos da informação de um lado ou do outro! As democracias estão a ser esvaziadas no sentido de governos cada vez mais autocratas, fenómeno que já se conhece da Rússia, China, etc. poderem controlar toda a população.  Eles sabem que as pessoas pensam o que veem e ouvem!

O tempo em que vivemos daria mais para chorar, mas tudo corre tão depressa que nem tempo para lágrimas há, mesmo que sejamos pessoas compassivas! Continuamos todos agarrados à lama do barro de que fomos tirados, mas na ilusão de que só os outros estão sujeitos ao “pecado original”!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

(1)  “UCRÂNIA É O CAVALO TROIANO DOS USA E DA RÚSSIA” : https://antonio-justo.eu/?p=7116 ; “ Chegou a hora de Putin – A Solução será tornar-se República Federal Neutra” https://antonio-justo.eu/?p=7129 ; Dados sobre a Ucrânia: https://antonio-justo.eu/?p=7127 ; “VIRAGEM NA ORDEM EUROPEIA INICIADA PELA ALEMANHA – NOVA GUERRA FRIA”: https://antonio-justo.eu/?p=7138 ; “Acirrar o Urso russo significa preparar uma Guerra nuclear na Europa”: https://antonio-justo.eu/?p=7149 ; “A GUERRA FRIA NOS MEDIA RUSSOS E ALEMÃES”: https://antonio-justo.eu/?p=7067 ; etc.

(2) https://www.washingtonpost.com/opinions/henry-kissinger-to-settle-the-ukraine-crisis-start-at-the-end/2014/03/05/46dad868-a496-11e3-8466-d34c451760b9_story.html

(3) GUERRA FRIA NOS MEDIA RUSSOS E ALEMÃES: https://antonio-justo.eu/?p=7067

 

PERMANEÇAMOS HUMANOS

A orientadora de um culto infantil em Kiev escreveu aos pais: “Que Deus proteja cada um de vós! Não caiamos em pânico, mantenham a calma e permaneçam humanos, aconteça o que acontecer! Se algum de vós precisar de ajuda, por favor contacte-me pessoalmente”.

É trágico e embaraçoso para todos nós assistir impotentes à morte das pessoas!

Muitas ilusões começam a afastar-se de nós!

Numa situação destas ajudam-nos as palavras da dirigente do serviço litúrgico em Kiew.

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

11 comentários em “DA GUERRA CIVIL UCRANIANA PARA A GUERRA RÚSSIA-UCRÂNIA À GUERRA EM TODA A EUROPA?”

  1. É verdade… tanta informação repetida..tanta imagem repetida…. 24 horas sobre 24 horas…
    Massacram…

  2. Sim houve guerra civil e há o perigo de com a invasão de Putin, se acentuar a guerra civil!
    O conflito começou em 2013 ao surgirem na Ucrânia massas de confrontos e protestos “Euromaidan”(iniciados em novembro 2013 até fevereiro 2014, altura em que o governo foi deposto). Propriamente a guerra civil começou em 2014 devido à decisão do governo ucraniano de impedir um acordo com a EU fazendo isto contra a vontade de uma grande parte da população. Uns eram por uma aproximação da Ucrânia ao Ocidente e outros eram pela união à Rússia (os do leste do país e especialmente os da península da Crimeia). Muitas pessoas morreram e o governo foi deposto a partir de 22 de fevereiro de 2014. Em março de 2014, deu-se o referendo polémico da Crimeia e a maioria da população apoiou a sua integração na Rússia. (A 8 de Abril de 1783, a Crimeia foi formalmente declarada russa por Catarina II “a partir de agora e para sempre”). A anexação da Crimeia em 2014 seguiu-se a um conflito político e por vezes armado em torno da península ucraniana da Crimeia.
    A partir daí acentua-se a guerra na Ucrânia oriental com o surgimento das duas regiões separatistas de Lugansk e Donetsk. Desde o início da guerra civil, a população, nesta zona, diminuiu para cerca de metade. Segundo a ONU, entre 2014 e 2018 morreram 13.000 pessoas em resultado da guerra e calculou em 4.000 o número de soldados ucranianos mortos. O exército ucraniano ia empurrando os separatistas de volta para o leste. Os separatistas têm recebido apoio da Rússia desde o início. Na Ucrânia há cerca de oito milhões de russos.

  3. Bem fundamentado.So um parecer : Enquanto “olham”para a Russia /Ucrania, a China pacientemente ultima os preparativos para invadir Taiwain
    FB

  4. José António Costa Pereira, exactamente. Esse é o próximo problema. Também já referi esse aspecto em passados artigos! Por isso a China tem de estar calada devido à sua estratégia pertencente ao globo comunista e ao facto de querer intervir em Taiwan!

  5. António, tudo o que se vai ouvindo, vendo e lendo, sobre esta guerra ou outras, constitui matéria para se tirar ilações, sendo natural que se manifestem as tendências. Do ponto de vista humano a preocupação estende-se a todos os que sofrem e sobrevivem em condições deploráveis. Toda a agressão dói, todo o agressor merece que seja feita justiça. Defender-se é um direito.

  6. Mafalda Freitas Pereira, e isso mesmo! Agora até doi mais pelo facto de vermos a vida em perspectivas mundiais! O princípio da autodefesa é natural e humano mas traz com ele também o princípio sustentador da guerra e este é realmente o dilema em que nos encontramos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.