A Alemanha proibiu a RT DE (Rússia Hoje) e a Rússia proibiu a Deutsche Welle (Voz da Alemanha)

A GUERRA FRIA NOS MEDIA RUSSOS E ALEMÃES REVELAM QUE OS MEIOS DA DIPLOMACIA PARA EVITAR GUERRA ESTÃO A FALHAR 

As autoridades de comunicação social da Alemanha proibiram a organização e distribuição do programa RT DE (Rússia Hoje), com centro em Berlim,  em língua alemã, a pedido do Governo. Por seu lado, a Rússia reagiu proibindo a Deutsch Welle (encerrando o escritório desta em Moscovo).  

Na sequência, a difusão do programa russo da Deutsche Welle, via satélite e de todos os outros meios de transmissão, foi agora proibida, e será iniciado um processo judicial na Rússia tendente a declarar a Deutsche Welle como “agente estrangeiro”.

Segundo os media alemães, a Alemanha argumenta que não é permitida a radiodifusão estatal na Alemanha e a Rússia, por seu lado, alega que a proibição do programa  russo é um “ataque à liberdade de expressão” e à diversidade dos meios de comunicação social.

Os críticos acusam a RT de propaganda e de  desinformação do Kremlin e argumentam que a Deutsch welle (Voz alemã) não é uma emissora estatal.

A reacção russa já seria de esperar, revelando-se como errada a decisão alemã de não permitir licença à RT DE (Rússia Hoje) – meios de comunicação social sobre a Rússia de hoje.

É certamente uma reacção exagerada (provocações!) de parte a parte, num tempo em que as tensões entre a NATO e a Rússia estão a ser artificialmente fomentadas e os públicos a estarem sujeitos a informações, no mínimo, tendenciosas.

As guerras são preparadas nos Media de forma propagandística através de relatórios unilaterais, suprimindo e distorcendo factos, depreciando e demonizando o adversário.

De um lado e do outro, o tempo parece favorável ao propagandismo da guerra; este torna-se próprio para motivar a promoção do orçamento militar nos diversos parlamentos, como pretendem os USA!

Esquecemo-nos que a guerra dos nacional-socialistas alemães provocou, pelo menos, 24 milhões de mortos na União Soviética!

A Europa incorre num erro irreparável ao empurrar a Rússia para a China, precisamente num momento, em que os grupos mundiais geoestratégicos se reorganizam!

No meio de tudo isto quem tiver a informação nas mãos sabe mais e tem mais pessoal nas próprias mãos! A desinformação ou informação tendenciosa é observável dos dois lados.

Esta atitude da Alemanha também pode ter sido uma medida para indicar aos parceiros da NATO que o facto de a Alemanha se ter recusado a despachar armas para a Ucrânia continua fiel à NATO!

A Internet continua a ser uma opção de recurso.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo,

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

22 comentários em “A Alemanha proibiu a RT DE (Rússia Hoje) e a Rússia proibiu a Deutsche Welle (Voz da Alemanha)”

  1. Afinal os alemães tem coragem, como pode um canal propagandista RT existir em países democráticos ? Ironia ?

  2. Ricardo Fernandes, toda a informação tem o seu lado propagandístico. Independentemente de ser a favor ou contra penso que foi uma atitude exagerada da parte alemã ao tomar tal iniciativa! Assim os russos que seguiam a Deutsche Welle ficam privados de poder ter uma informação mais diferenciada. Também penso que quem observa o mundo da informação e os interesses e motivos que estão por baixo deles deve ouvir os factos e opiniões que motivam ao parecer de cada lado!

  3. António Cunha Duarte Justo era uma questão de tempo, basta ver como são tratados os oponentes russos na Rússia, aliás a Alemanha compreendeu o grave factor, propaganda falaciosa, eu vejo esse RT, é super exagerado e só fala mal dos ‘europeus’… a Rússia é conhecida por ter fábricas de trolls… que opinam em todas a redes sociais

  4. Ricardo Fernandes, quando se opina com conhecimento de causa é realmente um aviso para se estar mais atento ao que se passa. Quem ouve de um lado e do outro de maneira despretenciosa etá em melhor posição de análise. Eu pelo que vejo da opinião jornalística na Europa tenho também fundadas razões para questionar a nossa política de informação; naturalmente há diferenças grandes atendendo aos regimes; mas creio que do nosso regime seria de esterar mais informação objectiva e menos posições estratégicas! Além do mais uma questãoserá fazer-se uma análise em termos de estratégias globais e outro em termos de interesses nacionais!

  5. António Cunha Duarte Justo , o que me deixa triste é pensar que a Humanidade ainda não tivesse conseguido evoluir na procura da PAZ .

  6. Helena Ribeiro, procuramos fazer algo em favor da humanidade, porém, na consciência que a dinámica de rivalidades sempre se manterá, restando-nos fazer algo bem no nosso ambiente e procurar não deixar o profetismo necessário ao desenvolvimento das nações desapartecer. Na europa tivemos a graça de vivermos dezenas de anos em paz mas o futuro não parece seguro, o que não nos deve impedir de sermos optimistas.

  7. António Cunha Duarte Justo nada melhor que uma foto, vale sempre mais que mil palavras, Crimée você não pode negar, como todo o movimento militar estacionado. Alemanha tem coragem agora Portugal isso é outra história

  8. Ricardo Fernandes, a Alemanha negou-se a ceder armas à Ucrânia e sabe bem porquê! Quanto à Crimeia, e à política geoestratégica a História talvez desse razão à Rússia. E o problemático para nós ocidentais que defendemos a democracia os habitantes da Crimeia determinarem em plebiscico, crei que 96% querer pertencer à Rússia. A questão na Ucrânia complica-se também pelo facto de ser um povo dividido e com muita corrupção.

  9. Está completamente enganado, mais divido e corrupto é Portugal, porquê você quer tirar a independência da Ukrania? Se o URSS foi o maior falhanço político jamais visto na Europa, não tem matéria de voto. Você não tem lógica nenhuma, morreram milhares de pessoas , e na ukrainia foi também palco do maior genocidio europeu, o Holodomor.

  10. Não quero tirar a independência à Ucrânia, o que prefiro é que a sua independência seja defendida através de vias diplomáticas e não através da violência nem de provocações como tem acontecido da parte da Rússia e da Nato. O presidente da Ucânia já deu a entender que se encontra em maus lencois ao ser jogado entre a Rússia e a Nato! Não acho racional a conclusão a que chega quanto ao que apresentei! Em 2014 escrevi: Rússia e China – O Eixo da Política do Séc. XXI?https://antonio-justo.eu/?p=2791 E, além de outros, também “Os comunistas comem criancinhas?” https://bomdia.fr/os-comunistas-comem-criancinhas/

  11. António Cunha Duarte Justo você acabou de contradizer, disse que dava razão há Rússia pela história, mas que foi o maior falhanço político logo à extinção do URSS, no qual a ukrania tem dependência, e que sofreu milhares de mortos, acho que já vai tarde para defender a violência, já morreu muitos ukranianos.
    Os comunistas não comem crianças mas matam o povo de fome

  12. Pelos vistos está interessado em fixar-me num painel quando o que procuro é que se reciocine vendo os vários aspectos de um complicado complexo! Creio que o senhor como eu não será daqueles que reduzem a realidade a preto e branco ao ser-se a favor ou contra sem dar espaço para a reflexão e análise. Reduzir a realidade a preto ou branco, do mero sim ou não em questões complexas seria servir os interesses dos magnates russos ou da Nato sem ter em consideração os interesses do povo. Penso que entramos numa maneira de discutir que não ajuda a paz! Também pode ver o que digo em https://bomdia.fr/os-comunistas-comem-criancinhas/

  13. António Cunha Duarte Justo acho que a retirada da RT foi algo muito bom num estado soberano. Esse foi o meu comentário. Se como você e eu não queremos guerra, então a retirada da RT foi a melhor coisa.
    Básico direito de quem é contra o imperialismo, coisa que hoje em dia a Rússia representa militarmente. O novo fascismo ?
    FB

  14. Respeito a sua opinião! Eu prefiro ficar com a dúvida! Pobre é o povo ucraniano que tem de aguentar viver entre o imperialismo (já que fala nesses termos) russo e o imperialismo da Nato (USA). O presidente da Ucrânia já deu a entender que a Ucrânia só perde se a Nato equacionar a disputa nesse sentido. Putin e Xi aproveitaram a ocasião para se solidarizaram nos seus interesses imperialistas num encontro bilateral na abertura dos jogos olímpicos! O que a Alemanha fez e o que Putin fez são provocações e provocações não ajudam no sentido da paz!. Creio que agora já começamos a patinar! A situação deveria ser analisada em termos de História e factos de um e do outro lado e não em termos de ideologias, porque estas são sempre unilaterais seja em direção da Rússia seja na da Nato!

  15. António Cunha Duarte Justo então segundo o que diz, ter um canal com as mais variadas propagandas e ódio ao ocidente não se deveria fazer nada? É uma provação ? Pois eu chamo ter bom senso e reparar o mal , Pois esse é um dos defeitos da nova sociedade europeia que nem consegue respeitar o 1% da OTAN e Nato de presença militar nesses grupos… Putin vive sonho que pensa que vai ser invadido e não sabe o que fazer daquela despesa em militar, mas sendo um dos principais actores de destibilizacao na África desde os anos 60. Como diz o Zé povinho, cego é aquele que não quer ver

  16. Ricardo Fernandes, teríamos que passar à análise dos factos acontecidos e a acontecer de um lado e do outro! De resto, o respeitável Zé também diz: ” no país dos cegos quem tem um olho é rei”! Talvez por isso queiramos todos reinar!

  17. Tal como acontecei na guerra contra o Iraque, desta vez voltam a enganar as pessoas! A Russia não quer uma guerra e não està a querer invadir a Ucrânia! Jà hàa muitos anos que têm o que lhes interessa. A Crimeia! O resto são mentiras duma mafia internacional que lucra com guerras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *