CABUL CAIU E O EMIRADO VOLTOU

Temos a Idade Média a Caminho do Ocidente

Os Talibãs ocuparam a Capital Cabul seguindo-se o colapso da República Islâmica do Afeganistão a 15 de agosto de 2021; o Afeganistão passou a ser governado pelo Emirado Islâmico do Afeganistão que é controlado pelo talibã (1).

As forças policiais e militares formadas pela NATO entregaram-se, o Presidente do Afeganistão fugiu, as embaixadas estrangeiras fazem as malas e fogem e toda uma geração de afegãos colaboradores da Nato temem agora pela sua vida. As quantidades imensas de armas e munições passam para as mãos dos Talibãs que as usarão contra quem lhes ofereça resistência. Os combatentes da Al-Qaeda que se encontravam presos foram libertados e não deixarão o seu ídolo Bin Laden sem vingança.

O reinado do terror volta com a vingança dos guerreiros de Alá. Em vez da nação tem-se um califado. A bandeira nacional será abolida. A “Rádio Sharia” é criada e os homens do turbão pincelam já, nos cartazes, sobre os rostos das mulheres .

Um desastre para a Europa e para o mundo!

A vitória dos islamistas radicais provocará um surto da emigração de muçulmanos para o Ocidente; seis milhões de afegãos tentarão fugir do país; no futuro assistiremos a um reforçar do terror muçulmano apoiado pela Arábia Saudita, Irão e Paquistão e agora também pelo Afeganistão.

Foi tudo em vão: a vida de pessoas, os triliões de euros lá gastos e investidos. Também dois portugueses lá deixaram as vidas em vão: Paulo Roma Pereira e Sérgio Pedrosa,

O ocidente capitulou, mas continuará a fazer os mesmos erros; não há remissão; a história das catástrofes é comprida: Vietname, Iraque, Líbia, Síria e agora Afeganistão!

Todos somos responsáveis: Muitos dos nossos impostos, em vez de serem empregues em fomento da paz dos povos são queimados em guerras prejudiciais.

Os islamistas não brincam em serviço, não se limitam a administrar a miséria, preferem aumentá-la para que os seus caciques melhor vivam dela. Temos a Idade Média a caminho do Ocidente e a perseguição dos cristãos no país também pelo facto de serem identificados com a política do Ocidente!

A Sharia será rigorosamente aplicada. Os talibãs ao apossarem-se das províncias de Badakhshan e Takhar emitiram uma ordem aos líderes religiosos locais para lhes entregarem uma lista das meninas com mais de 15 anos e viúvas com menos de 45 para “se casarem” com combatentes do Talibã. A Sharia já era aplicada no Afeganistão na qualidade de República Islâmica (Artigo 3 da sua Constituição): “Nenhuma lei deve infringir os princípios e disposições da sagrada religião do Islã no Afeganistão.” A Sharia implica que a lei islâmica é a única lei.

É uma catástrofe para parte da população afegã que tenta fugir e não pode e para tanta mulher que vê morrer suas legitimas aspirações e se vê lograda por ter confiado no apoio dos ocupantes.

O que nos resta é a esperança que mesmo num governo de extremistas as forças internas do Afeganistão proporcionem, nos próximos vinte anos, mais desenvolvimento e libertação do que o que tinham adquirido neste mesmo espaço de tempo com a presença da NATO.

Os Talibãs querem impor a sua maneira de viver como o Ocidente lhes queria impor a sua. A razão não conta; o poder é que ganha e à posteriori encontra sempre legitimação.

Uma curiosidade sintomática é o silêncio cobarde por parte dos conhecidos grupos activistas de profissão: não se veem manifestações de protesto contra o destino das mulheres afegãs e dos homossexuais. Não se observa nenhuma comunidade muçulmana moderada no Ocidente que mostre a sua preocupação com o ataque ao poder no Afeganistão pelos radicais. As mesquitas na Europa calam-se: trata-se do agir de irmãos que de uma maneira ou de outra contribuem para a expansão islâmica! Os estados muçulmanos primam pelo silêncio. Apesar disto o Ocidente não só perde a guerra militar indevida como perde a sua personalidade cultural, primando pela indiferença!

O ocidente encontra-se em maus lençóis. Por um lado, a agressão muçulmana e por outro a crescente dependência chinesa! O ministro das Relações Exteriores da China, Wand Yi, recebeu uma delegação de alto nível do Talibã na quarta-feira passada.

Da ingénua e atrevida missão da NATO pode-se concluir: não há vitória contra o mal, convive-se a meias com ele! Agora que os extremistas estão no poder, os políticos vão cooperar com eles, o que antes era tabu.

A guerrilha talibã islâmica será usada como exemplo da melhor maneira de tomar o poder! A vitória dos talibãs no Afeganistão é um grande encorajamento para outros grupos terroristas reforçarem a sua luta em África.

Os políticos do Ocidente permanecem na sua mesma arrogância de não envolvidos, desviando o fracasso político para canto, sem assumirem responsabilidade pelos danos ( Sabem que o que fazem é feito em nome do povo!).

António CD Justo

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=6707

Devido à atualidade do que escrevi no dia 10 de Agosto sobre a situação do Afeganistão, coloco aqui o link do artigo: AFEGANISTÃO A CAMINHO DO  IRÃO TEOCRÁTICO, https://antonio-justo.eu/?p=6702 ou https://jornaldeoleiros.sapo.pt/…/afeganistao-a-caminho

 

  • (1)   O Talibã governou grande parte do país de 1996 a 2001; naquela época, fundaram o “Emirado Islâmico do Afeganistão”. Em 2001, o grupo Al-Qaeda e seu líder Osama bin Laden instalado no Afeganistão orientou daí os ataques terroristas de 11 de setembro e os EUA viram o Talibã como cúmplice e intervieram com seus aliados no Afeganistão. Estima-se que o líder talibã Hibatullah Achundsada tenha cerca de 100.000 combatentes. Os Talibãs (sunitas extremistas) financiam-se principalmente através do cultivo e contrabando de ópio.

 

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

26 comentários em “CABUL CAIU E O EMIRADO VOLTOU”

  1. Não é preciso ir muito longe para encontrar terroristas. Basta por exemplo, olhar para Lisboa apenas há uns quantos dias atrás. Também ninguém diz nada sobre isso.

  2. É mais fácil falar-se das sombras de fora. Do caso de Loisboa não soube. Geralmente os políticos não querem que se fale dos crimes de estrangeiros no próprio país. É preciso saber do que se passa fora para estarmos preparados para o que aí vem! Naturalmente Portugal terá de receber os colaboradores afegãos que tinha na sua missão no Afeganistão.

  3. Completamente de acordo. O assalto dos talibãs ao poder parece estar a ser aceitado de forma ( muito) pacífica, por todos. Estamos aqui estamos a ver todos os países a negociar, sem problemas, com aqueles assassinos! A democracia é um estado altamente instável, porque mais instáveis são as gentes que habitam este mundo. Estamos na fase do incompreensível!

  4. A tática dos Taliãs será, como de costume entreter os ingénuos políticos com palavras para depois fazerem o que bem quiserem. É próprio do sistema islâmico usar da própria mentira, que é legítima, desde que em defesa do Islão. O Ocidente não está em condições de perceber a coesão islâmica. No ocidente nunca se vê muçulmanos contra outros muçulmanos; aceitam ou calam, ao contrário dos ocidentais que combatem as próprias raizes e deste modo a própria aste em que se encontram!

  5. Todo o trabalho feito em favor das mulheres, dos direitos humanos e da democracia será não só interrompido mas também combatido. A coerência do islão só poderia ser quebrada pela autoconsciência da mulher; de resto continuará a ser um sistema patriarcal maxista que a explora no corpo e no espírito.

  6. A maior parte das mulheres a sua autoconsciencia esta treinada para obedecer pois acreditam que um Deus manda serem assim.

  7. 20 anos depois, o atentado de 11 de Setembro vai trazer um sabor ainda mais amargo ao Ocidente. Como é que se chega a este desastre?
    Concordo totalmente: o ocidente tem pactuado com terroristas. Há assuntos que não são susceptíveis de negociação.

  8. Os políticos ocidentais percebem muito de estratégicas económicas e militares mas não perceben nada da força da religião organizada e não entende as antropologias e as sociologias que estão por trás destes acontecimentos. Daí o seu julgamento errado e na consequência o seu falhanço.

  9. António Cunha Duarte Justo, acho que é ainda mais básico do que diz. Pura ganância de grupos obscuros que acham que 2 000 anos de civilização cristã são irrelevantes. O que deixou de contar foi o que Cristo veio lembrar e revelar na Sua encarnação.
    A progressiva descaracterização da cultura das nações cristãs foi bem trabalhada e os chamados ” povos livres” estão prontos a fazer hoje , o que os inocentes impuros sofreram, obedecendo a monstros como Hitler ou Estaline. A informação existe mas é melhor assistir a novelas e ao futebol.

  10. A luta contra o cristianismo (civilização ocidental) tornou-se geral no nosso tempo. Ele ao fazer da pessoa humana – o soberano, e como tal intocável – dignidade divina da pessoa humana – que, na qualidade de filha de Deus, destroi os planos dos que querem fazer das pessoas e das populações meros clientes e consumidores seja do capitalismo ultra-liberal quer do socialismo marxista! Observa-se uma tática de destruição da família e de transformação da relação interpessoal (tipo europeia) numa relação meramente funcional de serviços (tipo china). Importa tetr uma população meramente fixada em ideias para mais facilmente as desenraizar e assim mais facilmente manipular! A ONU ao pretender assumir as rédeas sobre o mundo fomenta a defesa do islão e do socialismo porque mais se coordenam com os seus fins, penso eu! Hoje procura o espírito do tempo imposto procura fazer das pessoas meros consumidores e clientes que sigam as mantras de agendas globais não discutidas na base mas a serem implantadas a nível nacional, regional e global.

  11. Tudo isto se entende claramente se encaixarmos a ideia de que os satânicos encadeiam a sua ofensiva contra Jesus ( e contra Deus por natural extensão). Os muçulmanos candidos não estão nisto. Não há “luta entre cristãos e muçulmanos”. Não há luta. Deus tudo coordena. Satanás obedece a Deus. Mas obstina-se, insensatamente em prolongar a sua agonia. Estes talibans são tão muçulmanos como são cristãos os que renegam Jesus.

  12. Tenhos é que olhar por nós porque estamos a ser governado por um bando de talibãs e exploradores e xoxolistas sem vergounha e sem escrúpulos!
    FB

  13. Para os tempos que a História actual para um cenário que já vivemos na guerra do Iraque ….também tivemos de abandonar o País ficando nas mãos dos iraquianos…..
    FB

  14. O pior que vai seguir para os Europeus é a heroína que vem dar cabo dos nossos filhos e que é controlada por estes parasitas.
    FB

  15. Este António acho que tem o CD riscado, pois há partes em que perde na clareza da informação que quer passar…
    “Da ingénua e atrevida missão da NATO pode-se concluir: não há vitória contra o mal, convive-se a meias com ele! Agora que os extremistas estão no poder, os políticos vão cooperar com eles, o que antes era tabu.”
    Foram os nossos (o “Ocidente”) políticos que treinaram e armaram esta facção extremista, como sempre! Nomeadamente a direita americana… O “problema” do médio oriente sempre fomos nós (o “Ocidente”), começámos com as ilusões de grandeza alimentadas pelo fervor religioso que culminou em inumeras cruzadas, passámos pela tentiva mais subtil de evangilizaçao ocidental, mais tarde ao ver que tudo falhou e a nossa incompreensão de uma cultura diferente (aqui foco-me mais na natureza nómade da maioria das facções lá presentes) decidimos introduzir o conceito de fronteiras para podermos chamar certos locais por nomes (como se isto fosse resolver a questão!) e aqui começou a fracturação da identidade dos povos da região dando azo a conflitos que ainda hoje continuam…
    A cereja do no topo do bolo foi espetar para lá com todo o treino e armamento militar que se queria dispensar para combater a maré vermelha da USSR et voilá! Temos os ingredientes todos para um cocktail super volátil!
    Se tudo correr bem havemos de crescer enquanto raça humana e arranjar formas baseadas na lógica, compreensão e ciência para alcançar o bem comum, mas duvido que alguma vez passemos do “o meu pau é melhor que o teu”…
    FB

  16. Infelizmente não conseguimos transpor as limitações do próprio pensamento e cada um continua preso naquela de que o meu é melhor do que o teu. Um dos grandes condicionamentos humanos vem também do facto de cada pessoa e de cada grupo se querer definir e para tal querer definir o outro com base no preconceito a que a autodefinição parece obrigar! Quanto ao texto procurei fazê-lo à minha maneira que é por um lado informar e por outro lado reflectir ao mesmo tempo, até porque tudo o que parece, de um lado ou do outro até pode não ser!

  17. Nada disto me surpreende….e muito mais poderia acrescentar….mas vivemos em tempos em que a liberdade é uma utopia…..é tudo tão estranho….fogem????Deixam armas e munições????Isto dá que muito que pensar….

  18. No momento do brutal ataque às torres USA, tive a percepção de que nunca mais o mundo ia ser o mesmo.
    E não é !!!!!
    O radicalismo e o fundamenta
    lismo Islâmico há muito que se faziam sentir e o Ocidente e a Nato foram, de certa maneira, apanhados de surpresa.
    Os combates que se seguiram, os objectivos de proteger o povo afegão contra os talibãs preparando-
    os para os enfrentarem e se defenderem caíu por terra.
    Na minha opinião as forças da NATO e os americanos não devem ser acusados nem responsanilizados por isso. Tinha sido feito um acordo que foi desrespeitado pelos talibãs. Muito fizeram os americanos e a NATO durante 20 anos. A meu ver a ONU interveio pouco. Faltou força e “chama”.
    Não faz jus ao nome que ostenta.
    A China e a Rússia já manifestam
    interesses por ali. Penso que o Afeganistão e o seu povo não vão mais ter paz.

  19. O assnto é demasiado complicado! Os USA e a NATO falharam totalmente não só na avaliação da sociedade afegã (em relação ao sistema islâmico), a maior tragédia deve-se sobretudo a um erro da consciência sistémica do Ocidente.

  20. O pior que vai seguir para os Europeus é a heroína que vem dar cabo dos nossos filhos e que é controlada por estes parasitas.

  21. Com toda esta trapalhada( mais uma), os paises da NATO meteram o rabinho entre as pernas e ficaram bem caladinhos para ninguém saber onde estão. Comecoa duvidar da democracia, como modelo de governação,por todo o lado onde se metem, levam sempre porrada e são os não democráticos, que estão a sair vencedores. Ainda querem importunar a Russia ea Bielo- Russia,porque não são democráticos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *