DIA DE AMIZADE EM TEMPOS DE CRISE

Muitas amizades esbarram nas opiniões sobre as medidas corona e a guerra na Ucrânia.

Segundo resultados do instituto de pesquisa de opinião YouGov e do Instituto Sinus, diferentes pontos de vista podem criar tensões de grande estresse nas amizades.

Quase dois terços dos alemães inquiridos dizem ter amigos com opiniões políticas diferentes. 35% perderam a sua amizade devido a opiniões políticas divergentes. 27% disse que era difícil manter amizades quando se tem opiniões diferentes sobre a guerra na Ucrânia. 56% afirmaram não terem qualquer problema com isto.

À pergunta: “Podem homens e mulheres ser amigos uns dos outros? 20% dos inquiridos afirmaram que era possível; 73% não acreditam nisso e 7% não sabia ou não respondeu a esta pergunta.

A Pandemia de Corona, fez com que os contactos fossem reduzidos ao mínimo. Assim, as amizades do dia a dia, que se baseiam naquilo que se faz em conjunto, desvanecem mais facilmente devido ao distanciamento provocado pela pandemia e por diferentes atitudes e opiniões perante ela. As amizades cordiais, essas, geralmente resistem às contrariedades surgentes porque se processam numa amizade de coração para coração e este consegue resistir a distâncias e ao tempo, independentemente das opiniões do parceiro.

Os acontecimentos do nosso dia a dia têm sido sobretudo dominados pelo conflito Este-Oeste a decorrer na Ucrânia e pelo medo do Vírus da pandemia e reações às medidas contra o vírus.

Tanto a guerra como a pandemia oferecem obstáculos às relações interpessoais  dado as pessoas geralmente se dividirem em dois grupos: aqueles que estão atentos e que cuidadosamente se agarram às regras ou à opinião dos superiores e aqueles que pensam que a vida é para se continuar a viver como antes ou apostando no que lhes dita a própria mente.

O problema esconde-se, por vezes por trás de uma opinião avaliadora mais interessada em que se vá uns contra os outros do que em fazermos caminho juntos.

Importante é fomentar-se uma atitude benevolente perante a vida e perante os interlocutores.

Tempos de crise exigem de nós mais esforço e maior criatividade e mesmo assim ficam muitos problemas por resolver!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *