DOMINGO DIA DE DESCANSO – INSTITUÍDO A 3.07.321

O Domingo foi declarado por Constantino, Imperador Romano, a 3 de julho de 321, como dia feriado.

Com a declaração deste dia como dia feriado, o imperador não só respondeu a exigências cristãs, mas celebrou-se também a si mesmo porque ele mesmo tinha o cognome de “Sol invictus”. No tempo romano o primeiro dia da semana era invocado como o dia do deus sol (die solis).

Os governantes por vezes tentam influenciar a vida dos seus súbditos introduzindo dias feriados para se celebrarem a si mesmos ou os seus feitos!

O Domingo, dia da celebração da ressurreição de Jesus, também convinha aos cristãos como dia Santo. O princípio do descanso sabático dos judeus foi assim transferido para o Domingo.

Em tempos da flexibilização da vida laboral, as empresas estão muitas vezes interessadas em quererem aproveitar-se do Domingo como dia de trabalho. Excepções são naturais como em hospitais, etc., mas generalizar o Domingo como dia de trabalho seria mau para a saúde e sinal de desrespeito da própria cultura. O Domingo deve ser mantido como dia de descanso.

Também a ciência chegou à conclusão de que, para certos trabalhos, é melhor trabalhar uma hora a mais durante a semana, mas poupar o dia de descanso.

A investigadora Christine Syrek da Universidade Bonn-Rhein-Sieg, nas suas investigações, resume: “Precisamos do contraste nas nossas actividades profissionais. Se estou sempre a ser desafiado mentalmente, é bom para mim comprometer-me fisicamente no meu tempo livre e vice-versa…, precisamos da distância mental do trabalho” (1).

Há línguas que usam a palavra “Domingo” (Dia do Senhor) para designar o primeiro dia da semana.  Há outras línguas que usam a palavra “dia do Sol”, para designar o primeiro dia da semana; este é, entre outros, o caso na língua alemã com a palavra Sonntag.

António CD Justo

Pegadas do Tempo

  • (1) Veja-se HNA 3.07.2021
Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

10 comentários em “DOMINGO DIA DE DESCANSO – INSTITUÍDO A 3.07.321”

  1. Com este texto aprendi coisas interessantes Para mim, para todos nós cristãos, o Domingo é o Dia do Senhor, é Dia Santo, dia de descanso.
    Em tempos, quando a profissão exigia trabalho ao domingo, exemplo Cas. de Petróleo e outras, o trabalhador era remunerado a triplicar e, em certos casos tinha direito a um dia de recuperação.
    Activistas lutaram durante anos para conquistar o “week end”
    Actualmente tendência é de fazer desaparecer
    o “week end”, principalmente agora com o teletrabalho.
    Ainda não há legislação que regulamente esta modalidade do trabalho pelo que já se ouve-se mtas queixas.

  2. Exactamente! Muito obrigado pelas informações adicionais dadas. Na Alemanha os sindicatos uniram-se às igrejas em defesa do Domingo como dia livre de trabalho. Interessante que em Portugal, país católico, há muitos comércios grandes abertos ao Domingo!

  3. Portugal agora é um Estado laico, embora a religião oficial seja a religião Católica e a maioria do povo seja católica.
    O Estado, hàbilmente, respeita a religião em vigor, mas por outro lado as questões económicas falam muito alto.

  4. Muito bom, muito bem escrito e fundamentado, meu caro Justo. Justo, nomen est omen, é um nome muito exigente, mas o meu amigo, com este artigo, esteve bem à altura do nome que lhe deram. Parabéns
    e um abraço
    Luciano. Já agora, bom domingo!

  5. Obrigado, caro amigo Luciano.
    Procuro escrever também para mim e ser justo; o problema estará sempre na perspectiva que tomo ao escrever e na perspectiva que outros poderão ter ao ler! Quanto ao teu nome ele também muito que se lhe diga porque implica luminosidade, aquela luz que ilumina! Uma boa semana.! Abraço.

  6. António Cunha Duarte Justo Os portugueses são de um país que nasceu em terras da Lusitânia. Hoje conhecemos uma série de países (Usbesquistão, Paquistão…em alemão com desinência em – tan)
    cuja designação termina, conforme a língua, mas semelhante ao antepassado de Portugal – a Lusitân(ia) – terra ou país da luz- por aí haver há muitos séculos, milhares ou milhões de anos, muita luz, muita solaridade e luminosidade. Todos seremos, pois, pelo menos geograficamente, filhos da terra luminosa ou da terra da luz, luz com étimo latino lux, -cis. Os Lúcios, Lucianos e outros com nomes bem diversos tb beneficiam da luz dessa terra…porque o sol, quando se levanta, é para todos.Todos sabemos, que, infelizmente, não é bem assim, mas devia ser…

  7. Muito obrigado. O texto ajuda a alargar o pensamento. Realmente sabia que o sufixo istan (istão) signiticava Terra/país mas nunca tinha pensado na relação com a nossa Lusitânia, terra/país da luz! É preciso lembrar isto às nossas elites para que o pessoal da nossa terra brilhe mais!

  8. Boa-noite. Não esquecer – como bem sabe – a alteração ao calendário juliano pelo Calendário Gregoriano entrado em vigor em 4 de outubro de 1582 da Era Theos pela Bula Papal – Intergravisimas -(De entre as mais graves) da autoria do Papa Gregório XIII. No ano seguinte o dia 14 passou a contar como 4 e logo nesse Natal de 1583, a efeméride do nascimento de Christo foi a 25 de dezembro e não a 4 de janeiro. Escrevi vários artigos sobre este tema na minha “Esquina do Tempo” e no jornal “Porta da Estrela”. Um abraço
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *