ELEIÇÕES NO REINO UNIDO – EU E GRÃ-BRETANHA EM DIVÓRCIO

A mais velha Democracia do Mundo optou pela sua própria Independência

António Justo

A 12.12.2019, Boris Johnson (Conservadores Britânicos) conseguiu a maioria absoluta nas eleições gerais (43,6 %)! Com grandes perdas ficaram os Trabalhistas (32,2 %) e os Liberais Democratas com 11,6 %.

O Partido Nacional Escocês (SNP) afirmou-se com 3,9 %. Nicola Sturgeon, vê nos resultados um mandato para um segundo referendo sobre a independência da Escócia, dizendo que este é  o momento dos escoceses “decidirem do seu futuro”. O SNP venceu em quase todos os círculos eleitorais.

Para a EU e para quem esperava um outro resultado, o populismo passou a explicar tudo. O que os não parece interessar são as razões do surgir do chamado populismo e correspondentes nacionalismos! Por isso a Europa cada vez está a assumir mais um rosto nacional democrático. Este é o momento dos conservadores e do Brexit.

A democracia ganhou, independentemente dos interesses económicos das partes. Numa época de grandes transformações sociais e políticas, fica atrasado quem se agarra a velhas ideias mais ou menos progressistas! Os britânicos distanciaram-se do socialismo enquanto os chamados populistas avançam.

Uma política desenfreada da EU, em favor da imigração de um islão contrário às liberdades ocidentais adquiridas, não interessa aos tecnocratas europeus, dado estarem mais interessados no petróleo e nos investimentos árabes. Trump está a fazer escola na  Grã-Bretanha. Na verdade com a vitória dos conservadores a EU e os estrangeiros perderam.

Acabou-se o cansativo jogo do ping-pong entre a EU e o RU e dentro do RU;  com Boris não há volta a dar ao Brexit que será possível até 31 de Janeiro!

Boris Johnson terá também que terminar as negociações das relações futuras com a EU até finais de 2020.

Por sua vez, a Grã-Bretanha, com o apoio de Trump, tornar-se-á numa grande concorrente da EU e os seus sinais não ficarão desapercebidos a outros países europeus. A situação da Escócia e da Irlanda do Norte serão futuros pontos de discórdia entre o RU e a EU.

Quanto ao nosso PM António Costa não será motivo para fazer alguma correcção na sua política. Ele dá a impressão de ter de andar sempre no balancé, seja dentro do partido seja nos pretendidos aliados!

Independentemente da capacidade das pessoas há que atender aos sinais dos tempos e a que a onda Europeia só chega a Portugal em tempo protelado!

Em geral, pelo que se observa na Europa, a Democracia continua a ser um grande meio de controlo das ganâncias do poder! É um facto que na democracia mais antiga do mundo a democracia pulsa, apesar de tudo!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

19 comentários em “ELEIÇÕES NO REINO UNIDO – EU E GRÃ-BRETANHA EM DIVÓRCIO”

  1. Ja’ nao era sem tempo. Congratulo todos os meus amigos Ingleses por esta visao na direccao da liberdade e afastamento dos abutres do Governo Mundial unico a aprtir da ONU.
    Walter D. Gameiro

  2. Por vontade do grande estadista Charles de Gaulle,o Reino desunido nunca faria parte da comunidade Europeia (União).Os Tories ganharam na Inglaterra,e não conseguiram vencer em Londres.Respeitar a vontade dos ingleses!
    Manuel Adaes
    FB

  3. O problema é que este rumo conduzindo pelos sectores conservadores não vão resolver as contradições de interesses contraditórios no seio das sociedades capitalistas antes agravam as desigualdades aumentando a pobreza que vai levar a um agudizar das lutas de classes que agora de desenrolam na América Latina e que irá acontecer em território europeu mais cedo ou mais tarde.
    Filipe Santos
    FB

  4. Também penso que actualmente o mundo político e económico andam desvairados; cada qual age por si sem contar com o povo. Também penso que tal como na América Latina onde jovens bem formados se distanciam do Estado e exigem um mínimo para viver, na Europa, devido a uma política turbocapitalista e a uma imigraço irresponsável de muçulmanos, as sociedade cada vez se desgastará mais e a violência tornar-se-á num grande problema numa Europa que durante 70 anos viveu pacificamente!

  5. Caro Walter G. Gameiro, também vejo certas agendas ideológicas a nível de ONU como grande ameaça à liberdade de determinação dos povos e também a lavagem de cérebro do povo em curso e efectuada por ONGS fomentadas por uma esquerda activista inteligente.

  6. Sim, o problema estará no contrato a fazer até finais de 2020 e as complicações com o provável referendo escocês e também com a Irlanda do Norte. O maior problema para muitos seria se no fim de 2020 o Brexit se concluísse sem contrato! Tudo dará muito trabalho para fazer em tão pouco tempo!

  7. Segui com muito interesse as eleições na GB, fiquei desapontada com o resultado pois eu ainda tinha acreditado
    num novo referendo e que os Britânicos acabassem por querer permanecer na UE! Manifestaram maioritariamente quererem um governo conservador e quererem sair da UE!
    Corbyn, esse esquerdista,não tem simpatias na GB, por esse lado eu fiquei satisfeita.
    Quanto à Escócia e à Irlanda… vamos indo e vamos vendo… mas parece-me que poderá haver a desintegração do Reino Unido.
    Bem… ainda o Parlamento tem de aprovar o texto do Brexit e ele já foi recusado 4 vezes.
    Tb ainda têm de ser ciadas as condições para um novo acordo comercial… o período de transição talvez se estenda até 2022.

    Maria Manuela

  8. Sim também eu pensava que os interesses económicos e a razão europeia venceriam. O povo, cansado optou por ver o assunto arrumado. Quanto à Escócia, Irlanda e Grã Bretanha penso que há um conflito de interesses semelhantes aos da Rússia e da Ucrânia e à pressão e interesses de terceiros, os da NATO e os da EU !

  9. A democracia é muito relativa. Aqui no RU por exemplo, a representatividade não é proporcional, como é isso democracia? E devemos relembrar que um PM é o líder de todos, não só dos que votaram para si, tem que ser elevado e governar para todos os cidadãos
    Joe Ramos
    FB

  10. A regulamentação relativa ao intercambio de mercadorias e serviços entre o RU e os membros da EU serão regulados por contrato até finais de 2020 e naturalmente os grandes mercados como França-Alemanha-RU estarão interessados em facilitarem-se mutuamente o negócio, e aqui há os lóbis económicos e comerciais que são muito fortes. Os países de economias subsidiárias serão arrastados pelos interesses dos maiores. O contrato terá de ser muito cuidadoso porque dele estarão dependentes não só a legislação alfandegária e fiscal entre RU e EU mas a questão alfandegária da Escócia e da Irlanda. Nestas coisas não é relevante o ser direita ou esquerda, relevante é o poder do povo e a economia!.
    Quanto à “estupidez e à inteligência” de que muitos falam na imprensa acerca da decisão dos Ingleses, são atributos e requisitos irrazoáveis que não são características nacionais ou partidárias! Elas pertencem apenas à natureza humana e neste sentido fazem parte do bem comum!

  11. Não entendo porque se fala em combate a corrupção, por um lado, e por outro são consentidos lóbis.
    Mafalda Freitas Pereira

  12. Creio que num Estado corporativo esse é um processo aceite. Por outro lado são instrumentos que grupos organizados e os meios que os Grandes Interesses têm para subornar a democracia! Os próprios parlamentares se servem deles. Por isso temos também leis anteriormente preparadas por lóbis que criam nas leis buracos que safam ou salvaguardam interesses em caso de tribunal.

  13. Sim. Agradeço as explicações. Óbvio que se trata de grandes interesses, protegem-se uns aos outros, fazem as leis a geito. Um rolo !!!! E a democracia deixa-se subornar !!! Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.
    Em excerto das Escrituras traduzidas em 1384 por John Wycliff , lê-se:
    “Esta Bíblia é para o Governo do povo, pelo povo e para o povo”, frase que se tornou famosa mais tarde quando proferida por Lincoln.
    Passou muito tempo… perdeu-se a noção do razoável.
    Mafalda Freitas Pereira

  14. Muito obrigado pelo seu comentário tão enrequicedor! A Democracia é entre todos os maus sistemas de gogerno talvez o melhor. O peoblema é só o facto de o poder e os poderosos serem sempre da mesma laia,sendo agora mais refinados e aparentemente meigos os modos sistemáticos de manipular o povo.

  15. Pois, a Democracia é o melhor dos sistemas… Conformemo-nos.
    Neste momento estou a ver o Prós e Contras. Tema interessantíssimo
    “O tempo”.
    Elenco muito bom.
    Vou seguir.
    Boa Noite.
    Mafalda Freitas Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *