PORTUGAL NAS MEIAS-FINAIS DEPOIS DE TER ELIMINADO A POLÓNIA

Ronaldo, Renato Sanches, Moutinho, Quaresma marcaram os golos e a defesa do guarda-redes Rui Patrício marcou a diferença.

A equipa portuguesa teve como adversária não só a boa equipa polaca mas também o árbitro Felix Brych que, pelo que observei, deixou passar duas grandes penalidades dos polacos.

O comentador da ARD analisava o jogo com grande arrogância e com observações depreciativas sobretudo em relação à equipa portuguesa. No mesmo encaixe se pode enquadrar os comentários de Mehmet Scholl, um dos comentadores depois  da partida. O resultado de um jogo muito trabalhado deixa esquecer estas e outras falhas que, doutro modo, deixariam um mau sabor.

Renato Sanches é o jogador mais jovem de todos os tempos com um golo em torneios do género. Com 18 anos vai para o FC Bayern München.

Finalmente Portugal encontrou o seu estilo de equipa. Que continue assim!

O Futebol continua a ser aquele sector em que o português se sente à vontade e se pode espelhar. O Estádio é o lugar da fuga contra a frustração e contra a desilusão. Na economia só sofre golos na política sempre em fora de jogo e nas bancadasum país reduzido ao papel de comentador.

No jogo contra a Polónia 3-5 para Portugal %, depois do empate 1-1 seguido das grandes penalidades.

Parabéns à selecção e muita esperança até às desejadas finais!

Uma observação minha:

Os comentadores alemães foram muito injustos em relação aos juízos que fizeram sobre a nossa equipa.Na realidade a sua atitude hipercrítica é já conhecida. (Os alemães são em geral hipercríticos, também em relação a si mesmos; consideram o positivo como normal. Geralmente só criticam não sabem louvar. Mas fazem o mesmo em relação aos jogadores alemães. Um exemplo: Depois da Alemanha ter conquistado o título mundial, no último campeonato mundial, um comentador alemão, no fim do jogo, também interrogou um dos jogadores sobre as faltas cometidas no jogo final. O jogador alemão respondeu-lhe: ganhamos o campeonato.

 

 

 

A RESPEITO DO JOGO PORTUGAL CROÁCIA

 

PORTUGAL GANHOU – UMA ACTUAÇÃO TÁTICA DE MESTRIA – SUGIRO O TREINADOR FERNANDO SANTOS PARA PRIMEIRO-MINISTRO

Portugal 1 Croácia 0

Portugal mostrou que não só tem bons jogadores mas que também tem uma boa comunidade de jogadores.
O grande arquitecto da partida de hoje foi o treinador Fernando Santos. `Portugal ganhou o jogo devido à sua nova tática de jogo que desorientou jogadores croatas.

Precisamos de um Fernando Santos; com a nova tática mereceria ser primeiro-ministro. Então Portugal estaria em forma.

António da Cunha Duarte Justo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

8 comentários em “PORTUGAL NAS MEIAS-FINAIS DEPOIS DE TER ELIMINADO A POLÓNIA”

  1. Carla Moita
    Para bem da minha saúde mental, já não ouço os comentários dos comentadores da televisão alemã. Que azia incompreensível! Não achei um jogo interessante, mas tivemos a sorte de ganhar. Se não fossemos nós, seria o adversário, por isto e muito mais… Viva PORTUGAL e a seleção!
    Álvaro Lourenco
    Álvaro Lourenco Sorte de ganhar….!!? Carla…e os penaltis que foram perdoados ….!?

    Carla Moita
    Carla Moita Quando falo de sorte, falo da fase em que fomos a penaltis. Quando o jogo não se decide em 120 minutos, que é quando as equipas têm oportunidade de mostrar o valem, nos penaltis o fator sorte é um elemento muito importante. Por isso falo em sorte. A pr…Ver mais

    Cristina Marques Mendes
    É um pênalti claramente roubado pelo árbitro Alemão , e que não venha dizer que não viu .
    Eu não suporto estes comentários dos alemães causam-me náuseas

    António Justo
    António Justo Que um penaltie foi roubado isso viu-se e foi reconhecido publicamente. O problema maior para mim vinha do facto dos comentadores do dia, na ARD, não se quererem referir ao facto. Uma explicação para a visão negativa desses comentadores talvez venha da…Ver mais

    Cristina Marques Mendes
    Na minha modesta opinião nesta fase da competição já nem devia estar nenhum árbitro da mesma nacionalidade das equipas que ainda competem.

    António Justo
    Quanto aos comentadores, tenho observado que são hipercríticos e injustos (arrogantes), também em jogos entre outros países e mesmo em relação à Alemanha.

    Álvaro Lourenco
    Boa …amigo António Justo!
    Bem observado…estou totalmente de acordo contigo….!

    Jorge Soares
    Concordo!
    Portugal mostra a sua raça !

    Adelino Lima
    Foi uma vitória merecida. Mesmo contra as adversidades, roubaram-nos dois penaltes, mesmo assim saimos vendedores. Sofremos mas valeu a pena. A nossa seleção está de parabens.

    Maria Carolina Almeida
    Gostei…<3
    Não gosto · Responder · 1 · 3 h

    Gabriel Cipriano
    Portugal tem sido modesto no desempenho,porém,confirmou uma técnica que lhe garantiu os resultados.A xenofobia que observamos é ampla e quase universal… Havemos de ser pacientes e aturar…

    Armando Humberto
    Morais Estava a ver o jogo e não me recordava do nome do árbitro, mas recordava-me dos penaltis que perdoou ao Sevilha na final da Taça Europa contra o Benfica! Um artista, este árbitro! Mas mesmo jogando pouco, eu vi um penalti cometido sofre o CR.

    António Justo
    O árbitro foi Felix Brych e Mehmet Scholl foi um dos comentadores depois da partida.

  2. Os comentadores alemães foram muito injustos em relação aos juízos que fizeram sobre a nossa equipa.Na realidade a sua atitude hipercrítica é já conhecida. (Os alemães são em geral hipercríticos, também em relação a si mesmos; consideram o positivo como normal. Geralmente só criticam não sabem louvar. Mas fazem o mesmo em relação aos jogadores alemães. Um exemplo: Depois da Alemanha ter conquistado o título mundial, no último campeonato mundial, um comentador alemão, no fim do jogo, também interrogou um dos jogadores sobre as faltas cometidas no jogo final. O jogador alemão respondeu-lhe: ganhamos o campeonato.

  3. Quanto ao treinador nacional Löw, consideram-no vaca sagrada ou tabu, enquanto mostrar bons resultados. Muitos alemães só estão atentos ao trabalho e aos resultados. Só criticam quando alguém se torna improdutivo ou não serve adequadamente os interesses e os objectivos nas funções que desocupa; enquanto isto acontecer deixam-no andar. Tudo é visto em função da produtividade; por isso são tão ricos. O Ronaldo. é uma personalidade com estilo próprio e com individualidade vincada; isso atemoriza muitos dos comentadores porque estão mais habituados a andar na manada!, embor com grande espírito crítico e auto-crítico, ao contrário dos povos do sul.
    Carla Moita

  4. Sim, concordo mesmo que é falta de respeito, só não sei bem por porquê?
    Carla Moita

  5. Já me questionei se tivesse sido um qualquer outro treinador a ser apanhado a fazer as cenas do Löw, se se teriam referido de forma leve como o fizeram com o seu treinador nacional. É verdade que são muito críticos, mas quando interessa meter o assunto na gaveta, também o sabem fazer.

  6. Mostrar emoções não é a sua especialidade.
    Segundo o que observo, na população há muito respeito pela equipa portuguesa. A crítica que se ouve é realmente a Ronaldo qualificando-o de narcisista. De resto nisto haverá o fenómeno psicológico de transferências e projecções. Geralmente as pessoas vêem e criticam no outro os próprios defeitos (de que estão incapacitados de ver, por qualquer trauma ou problema inconsciente)! Quanto ao narcisismo, pelo que observo de longe, penso que também é um grande problema de Portugal!
    Quanto ao treinador nacional Löw, consideram-no vaca sagrada ou tabu, enquanto mostrar bons resultados. Muitos alemães só estão atentos ao trabalho e aos resultados. Só criticam quando alguém se torna improdutivo ou não serve adequadamente os interesses e os objectivos nas funções que desocupa; enquanto isto acontecer deixam-no andar. Tudo é visto em função da produtividade; por isso são tão ricos. O Ronaldo. é uma personalidade com estilo próprio e com individualidade vincada; isso atemoriza muitos dos comentadores porque estão mais habituados a andar na manada!, embor com grande espírito racional crítico e auto-crítico, ao contrário dos povos do sul que têm o coração nas mãos. Penso que uma boa mistura do homo lusitanus com o homo germanicus daria o homo perfectus!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *