DE REGRESSO À ALEMANHA

DE REGRESSO

Sou o rasto dum caminho

Um desvio da voz do mar!

 

Daqui parti

De lá também

Pra ser o aqui

Do agora ao lado

 

No caminho perdido

Sem me encontrar

Perdido vou

No modo de andar

 

A saudade sou

Do mundo o marulhar

Um eco de ti

Em mim a cantar

 

Saudade é caminho

Um modo de estar

Na voz do vento

A provar o mar.

 

Sou o rasto dum caminho

Um desvio da voz do mar

Na vida que fica

Em ti a soar

António da Cunha Duarte Justo

in Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *