A ATRIBUIÇÃO DA ORDEM DA LIBERDADE A ZELENSKY REVELA UM ABUSO DO PODER

Ordem da Liberdade transformada em Ordem Carnavalesca

O PR Marcelo Rebelo de Sousa decidiu atribuir a ordem da Liberdade a Zelensky o que tudo indica para um abuso do poder. Atribuir o mais alto grau dessa ordem (Grande-Colar da Ordem da Liberdade) no dia 24 de Fevereiro,  a um presidente que proibiu onze partidos, andou metido em embrulhos de questões oligárquicas, e seguidor de uma política em desacordo com o cumprimento dos acordos de Minsk que pretendiam estabelecer a paz entre grupos nacionais rivalizastes na Ucrânia, num período  em que a Ucrânia se poderia ainda tornar-se numa república federal,  revela-se como abuso e pleno desconhecimento do que se passou na Ucrânia e do que a História dirá sobre ela, sobre o actuar dos seus presidentes e dos beligerantes geoestratégicos. Ou será que o poder e os interesses de alguns cegam?

Será que o senhor Presidente Rebelo de Sousa não estará a meter o carro à frente dos bois por mera razão de proselitismo do próprio cargo ou para alinhar no carnaval político a que nos acostumaram, transformando a Ordem da Liberdade numa distinção de Ordem Carnavalesca?

A Ordem da Liberdade destina-se a galardoar “serviços relevantes prestados em defesa dos valores da Civilização, em prol da dignificação do Homem e à causa da Liberdade”.  O papel de Zelensky não enquadra em nenhum destes serviços!

O facto de servir interesses anglo-saxónicos, num conflito que explodiu em 2014 na guerra civil que matou 17.000 pessoas, pressupõe um conceito de liberdade emoldurada numa cultura guerreira e não pacífica.

Colocar-se de um lado ou do outro de um povo ucraniano dividido não significa lutar pela liberdade dele, mas sim pelo serviço de interesses, chamem-se eles russos ou ocidentais. O senhor Presidente da República é-o de todo um povo e como tal não se deveria sentir legitimado a colocar-se ao lado dos EUA nem da Rússia!

Esta é uma guerra suja que deixa sujos todos os intervenientes nela!

António CD Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

30 comentários em “A ATRIBUIÇÃO DA ORDEM DA LIBERDADE A ZELENSKY REVELA UM ABUSO DO PODER”

  1. Mafalda Freitas Pereira , bem visto! Esse é precisamente o momento próprio para se começar a procurar informações dos dois lados das trincheiras e depois tirar conclusões que não correspondem aos interesses de nenhuma delas. Ao fazê-lo deve estar-se preparado para andar sozinho no deserto mas sempre com a vontade de se procurar avistar a luz no fundo do túnel!

  2. António Cunha Duarte Justo, é difícil tirar conclusões que não correspondem aos interesses de nenhuma das partes. Por muito bem preparado que um simples mortal esteja, andar sozinho no deserto procurando avistar a luz ao fundo do túnel é uma aventura para sábios. Sobretudo se a luz tarda em aparecer.

  3. Mafalda Freitas Pereira , sim, como a sabedoria se encontra repartida e os interesses é que determinam o factual e as alegações factuais é que reivendicam ser verdadeiras devido à perspectiva com que são encaradas, procurar encontrar a luz no fundo do túnel é uma aventura que relativiza o próprio saber.

  4. Parece que faria bem ao PR ler artigos do jornalista Goulão para se informar um pouco mais. Esta sua recente decisão de atribuir o colar da Liberdade honrará a ordem honorífica ? O PR pretende subir e como na escala de quem com este acto ? Creio que perdeu uma boa ocasião de estar sossegado.

  5. De facto “o povo é quem mais ordena” não passa de um ideal, mas temos que pugnar para que se transforme em realidade.
    Quanto ao mais, tudo aponta que Putin é um psicopata perigoso, que visa uma nova “União soviética”, saudoso dos tempos em que chefiou o KGB, na minha opinião .

  6. Como temos observado também em Portugal o slogan “o povo é quem mais ordena” foi usado para encenar a ideologia socialista, tendo sido depois desqualificado na prática. O povo vem à baila quando os interesses da política o solicita. A esperança ajuda, mas verifica-se que a esperança do povo serve aos que se apoderam dele.
    De resto, nas sociedades domina a política doentia e uma informação propagandista, o que me leva a opinar que tanto Putin como Biden agem mal já desde 2014 altura em que começaram a guerra, como confirmou o secretário geral da OTAN há dias!

  7. Atribuir Ordem da Liberdade,a um senhor que proibiu todos os partidos desda do centro direita à esquerda,já não sei o que diga.Enfim..

  8. António Cunha Duarte Justo, é certo que ninguém tem o monopólio da sabedoria. Se são os interesses que determinam o factual, muita coisa está falhar, a começar na própria sabedoria que é tão abrangente. Tanta lição que o passado deixou e o ser humano esqueceu tudo, cego pelos interesses. É de esperar que se faça luz. Mas se as partes caminham em sentidos paralelos procurando ignorar que os interesses do outro lado estão contidos no seu próprio interesse, não há túnel que as ligue e não haverá luz.

  9. Mafalda Freitas Pereira, diferentes interesses levam a critérios de avaliação diferentes. Enquanto os interesses dominantes não forem a humanidade o amor ao próximo, o critério seguido é o orgulho, o poder e o egoismo sem limites. Para o ser humano aprender terá de começar a trabalhar a sua natureza no sentido de a aperfeiçoar.

  10. O que Putin faz não é abuso de puder?
    Mandar os seus jovens para a morte em uma guerra que fez para assaltar um país independente, e estar a matar tanta Gente em prol de puder?Antonio desculpe mas não fazia isso do senhor.que está guerra é absurda e que muitos beneficiam dela ,é verdade ! Mas se não ajudassem esse fanático ditador do putin já teria passado toda a Ukraine para o puder russo , era o mesmo que a Espanha voltasse a tomar Portugal a China Taiwan Coreia do Norte Coreia do Sul e por aí fora .

  11. Cristina Marques Mendes, respeito a sua leitura, que corresponde à narrativa que nos é transmitida nos meios de comunicação da União Europeia (OTAN). Mas estes adulteraram os factos fazendo começar a guerra em 24.02.2022 (que, apesar de tudo, constituiu um ataque ao direito internacional dos povos) quando a guerra tinha começado em 2014 e os preparativos directos para ela em 2007! Fazer uma analogia com Portugal e Espanha é compreensível a nível afectivo mas não na realidade; a não ser que Portugal intentasse fazer uma guerra a Espanha pelo facto de ela ter anexado o território português de Olivença e imposto a soberania sobre ele. A Espanha em 1817, subscreveu o diploma resultante do Congresso de Viena (1815), reconhecendo a soberania portuguesa, comprometendo-se à devolução do território o mais rapidamente possível. Apesar disso a Espanha não devolveu o território. Só neste aspecto e no caso de Portugal declarar uma “intervenção armada” contra Espanha é que poderia ser válida a analogia!

  12. Mafalda Freitas Ferreira, quanto à sua afirmação: “quem não estiver confuso não está bem informado” acho-a de grande sabedoria!Primeiro vem a curiosidade, depois a informação, depois a dúvida, depois informação sobre informação chegando-se à confusão; este é o ponto chegado em que surgem critérios de busca para ir à procura da luz no fundo do túnel! Entretanto vai-se vivendo com os pés bem assentes na terra e os olhos bem postos no céu mas olhando sempre em frente de maneira a não tropeçar!

  13. António Cunha Duarte Justo, assumo que a afirmação não é minha. Como encaixa perfeitamente no emaranhado do momento que estamos a viver, adoptei-a. Em boa hora o fiz porque deu origem ao seu interessante comentário.

  14. ·
    O habitual ódio contra a Democracia e o Ocidente, ainda que a condecoração não fosse oportuna, o que é que os países anglossaxónicos têm que ver com isso, que culpa têm?
    Contra a Rússia agressora nem uma palavra.
    Mais uma vez, acredito que esta publicação reflita a posição – se não “oficial” – pelo menos maioritária no CDS, ninguém se demarca “disto”.

  15. José Luís Caldeira Fernandes , o que refere sobre o CDS em relação ao meu texto significaria que estariam bem informados sobre a vida do Presidente Ucraniano. O estado de vítima não é suficiente para justificar o que ele fez contra a a liberdade na qualidade de presidente; a não ser que em primeiro plano do louvor estejam as lebertinagens pessoais que Zelensky se permitia na sua vida privada!!! Imagine que em Portugal o primeiro ministro tivesse proibido 11 partidos e um deles ser o que mais concorrência fazia ao seu posto nas próximas eleições! Para a esmagadora maioria dos democratas isso significaria um ataque à democracia mas para um ou outro aproveitador do sistema a atitud do PR significaria um bem e quem tivesse a liberdade de apresentar algumas objecções seria considerado um odiador da Democracia. Ainda quanto à atitude de tolerância do CDS penso que ele não precisa de se demarcar: tanto da minha posição como da sua! Um partido moderno independentemente de estar ou não de acordo permite opiniões diferentes pois delas é que se aproveita o desenvolvimento. O desenvolvimente pressupõe-se assente em argumentos e não meras opiniões dogmáticas. Um outro problema que hoje grupos de internet têm é o dos infiltrados!

  16. António Cunha Duarte Justo ainda não consegui perceber por que razão alguém que escreve “lebertinagens” se atreve a escrever “artigos”.
    Os alegados 11 partidos, não cita a fonte – pode ser mentira qualitativa ou quantitativamente – seriam traidores russos.
    Quanto a infiltrados, não sou simpatizante nem militante do CDS, estou porque fui agregado por um administrador do grupo.
    Deu para perceber no tempo da Troika que o CDS estava no governo e os simpatizantes e militantes contra o governo, nessa altura percebi que o CDS não era um partido amigo das atividades privadas, mas um partido de militares e funcionários públicos.
    Saí do CDS e saí dos grupos do CDS.

  17. José Luís Caldeira Fernandes, naturalmente que um erro de digitação não é argumento relevante para se poder desqualificar um texto (erros de digitação não faltarão nos meus textos porque geralmente faço o erro de só estar atento ao conteúdo). Quanto aos partidos proibidos, como foi uma notícia que correu em países atentos a assuntos relevantes penso que a notícia não lhe poderia ter passado desapercebida; a menos que aí em Portugal a informação já se encotrasse ao serviço de Zelensky!!! Partido de funcionários públicos é o PS e irmãos da mesma crença! Não viu que o riquíssimo Portugal lhes deu o prémio das 35 horas semanais quando na pobre Alemanha os funcionários têm de trabalhar 40 horas?

  18. Realmente é um desserviço e uma desqualificação da simbologia representada por essa “ordem da liberdade”.

  19. O povo devia marchar para Belem onde essa alminha assenta o traseiro pelo voto do povo em protesto por tál ofensa aos valores do 25 Abril 1974 triste figura de um prof. Catedrático prefere fazer guerra à FEDERAÇÃO RUSSA do que governar o povo que o elegeu
    Nunca o reconheci nem a ele nem aos antes deles como presidente nem ao 1ministro nem aos antes deste são todos membros do Clube fascista CEE ué serviçais dos EUA CIANATO imperialistas colonialistas
    22ABRIL SEMPRE ⚘♥️FASCISTAS NUNCA MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *