PARTILHA É O NOVO TER

Hoje fui convidado para participar na celebração da conclusão do edifício de habitação para uma comunidade intergeracional em Kassel.

É um edifício cujo interior das paredes e forro do tecto são fardos de palha! A palha não deve ter grãos para que não se formem vermes! Cada fardo de palha custa um euro! É um bom isolante contra o calor e contra o frio!

Interessante: o reboco pode ser aplicado directamente sobre a palha!

Tem compartimentos individuais e outros destinados a uso comum de maneira a possibilitar a vivência de individualidade e comunidade sob o mesmo tecto.

Um grupo de pessoas em diferentes situações de vida juntaram-se para realizarem a ideia e o objectivo comum de viverem juntos e para isso organizaram um projecto de habitação comum. Juntos criaram espaço de vida para famílias, solteiros, casais e comunidades de partilha de casa/apartamento com rendas a custo, sem fins lucrativos. A comunidade intergeracional complementa-se e apoia-se mutuamente.

Para tornarem mais eficiente e melhor implementarem o princípio da solidariedade e da auto-organização colectiva e para também serem apoiados pelo Estado organizaram-se em cooperativa (1).

A casa tem rés-do-chão e primeiro andar! As fotos que tirei são do 1° andar!

(1) Associação para a promoção da vida e do trabalho intergeracional e.V.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo
Pode ser uma imagem de 1 pessoa e ao ar livre
Nenhuma descrição de foto disponível.
Nenhuma descrição de foto disponível.
Nenhuma descrição de foto disponível.
Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

22 comentários em “PARTILHA É O NOVO TER”

  1. Gostei de saber!… Modelo a ser um dia, talvez, imitado em Portugal? (Palha não faltará; haja é vontade!..

  2. Ksenija Duhovic-Filipovic, in Kassel und im Landkreiskassel haben die Freunde noch weitere gleiche oder ähnliche Projekte für Gruppenbildungen offen! Wichtig ist, dass die Menschen zueinander passen! In dem komplex, in dem ich heute war, werden junge Menschen mit Kindern, Menschen mit wirtschaftlichen Schwierigkeiten, eine befreundete Ärztin, Lehrer usw. und sogar Menschen ab 70! Wichtig ist, dass die Chemie stimmt.

  3. Maria Fontoura, é realmente uma iniciativa muito valiosa! Naturalmente a química afectiva entre os membros é um factor importante! Além disso pode ajudar a arredondar as arestas que por vezes, com o tempo, se podem originar entre os parceiros familiares! No agrupamento dos meus amigos resolveram só duas famílias terem carro dado terem bons acessos aos transportes públicos e quando algum precisar de carro combinam, etc.

  4. Filipa Vera Jardim, o caso descrito não se enquadra na política/ideia do Quibutz (que liga sionismo e socialismo); atendendo a alguns objectivos de vida em comum pode insinuar a ideia de ser coisa semelhante. Creio que por trás de inicativas semelhantes a esta se esconde a saudade por um estilo de vida simples, uma espécie de querer regressar à aldeia e a uma prática familiar que a sociedade moderna dificulta! Neste sentido está certamente a nostalgia por um sistema político de criação de uma Democracia de base.

  5. António Cunha Duarte Justo Claro que o quibutz tem particularidades mas talvez seja socialmente a experiência mais concreta deste tipo de vivências comunitárias. No caso dos quibutzim alargado para além da esfera familiar. De notar que os quibutzim continuam a existir. Com menor peso é certo mas conseguiram modernizar se sem perder de vista essa ligação à natureza em comunidade.
    Cumprimentos

  6. Lamentàvelmente não temos sabido reconhecer e agradecer à natureza os bens que nos oferece. Mas cimeiras, debates e estudos sobre o ambiente não faltam.
    Oxalá consigam pô-los em prática !!!

  7. As proriedades do nosssos politicos continuam a ser o poder, as guerras. Sinal disso temo-lo agora a presença dos corifeus do mundo ocidental presentes no G7 e de seguida em Madrid emtorno da NATO e nenhum deles na conferência dos oceanos em Lisboa!

  8. Temos as Nações Unidas.
    Vamos ver até que ponto
    os oceanos vão ser protegidos. O futuro dirá.
    Também nesta difícil situação na Europa o que irá ser decidido no G7???

  9. Porque diz a última do género? Vão consciencializar-se e mudar? Ou outras razões?

  10. Mafalda Freitas Pereira, vão empobrecer; presumo que a contenda entre o Ocidente e a Rússia acarraterá consigo uma nova organização do mundo, das suas economias, moedas, relações comerciais, etc. Isso significará que os USA e aliados perderão influência a nível mundial!. O Ocidente passará a passar menos bem do que até aqui!

  11. António Cunha Duarte Justo, de facto a Rússia fazendo parte do bloco BRIC representa muito poder. Não queria acreditar que sozinha pudesse “ofuscar” todo o Ocidente. É óbvio que a NATO vai reagir. Percebo muito pouco ou nada do que se está a passar, muito menos nos bastidores.
    Só o que vou ouvindo e lendo tem ajudado. De qualquer modo é inaceitável a agressão e constantes ataques da Rússia à Ucrânia. Digo eu que não sei nada, mas dizem outras pessoas entendidas nestes assuntos (neste momento fala o general Vieira Borges).
    Se a NATO
    reforça o seu contingente com 300 mil militares, pergunto: qual a resposta da Rússia?
    Fortes razões para recear o futuro se houver futuro.

  12. Mafalda Freitas Pereira, o mundo ocidental encontra-se em muitos pontos num ponto crucial em grande arte criados pelos nossos políticos e por isso as crises que se sigam só vêm ajudar a resolver o seu problema! Quanto às informações que recebemos têm todas elas objectivos não declarados; estamos já demasiadamente envolvidos na guerra de informação para se poder tirar conclusões objectivas. O que percepcionamos no Ocidente é muito diferente do que se percepciona na África, na Ásia, America Latina, etc. A percepção depende dos interesses e da informação. Ainda há muita gente que pensa que políticos que os representam têm mais decoro que ela mas não; em nas elites económico-políticas há sobretudo interesses e cinismo. O pior mal é que o povo os leva demasiado a sério, orientando-se apenas pelo que leses dizem! Teremos guerra muito tempo. A não ser que o Ocidente queira tomar a Crimeia e então teríamos guerra mundial! Esta já se anda há muito tempo a preparar. Os parceiros em guerra têm todos a cara suja encostar-se a uns ou a outros significa também sujar-se: a não ser os que têm o escudo protector invisível e que ganham com os interesses do poder e da violência. A Nato, desde a queda da União Soviética tem provocado a Rússia e ri-se dela! Rússia respondeu com a invasão da Ucrânia. O próximo acto do teatro será a resposta com uma guerra mundial. Nela estivemos todos comprometidos e somos todos responsáveis porque nos deixamos levar por muitas narrativas sem nos interessarmos pelas narrativas dos outros! A arrogância que o Ocidente mostrou para com a Rússia depois da queda da União Soviética (como se fosse ele o heroi da festa) estamos nós a repetir como se não tivéssemos culpas no cartório e o mal só estivesse do outro lado e toda a razão da nossa parte! O que aconteceu na Ucrânia depois de 2007 e que está a acontecer teria de ser observado sob muitas perspectivas para chegarmos a uma análise mais objectiva e independente mas não é possível porque estamos implicados desde o início no que lá se passa e o que é mais grave com a pretensão a termos uma veste limpa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.