ENQUANTO OS “BONS” SE CALAREM OS “MAUS” TERÃO RAZÃO!

 
Para se justificar o silêncio costuma dizer-se que é melhor não se meter onde não se é chamado!
 
Atribui-se a Martin Luther King a seguinte frase: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.
E Bertolt Brecht terá dito: : “Os cidadãos irão um dia lamentar não só as palavras e actos dos políticos, mas também o terrível silêncio da maioria”…
“Um dia, vieram e levaram meu vizinho, que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho, que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei. No terceiro dia, vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e levaram-me a mim. Já não havia mais ninguém para reclamar.”
 
A verdade é que enquanto os bons se calarem os maus terão razão!
António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *