A CIMEIRA ESPECIAL DA UNIÃO EUROPEIA SÓ PRODUZIU VENCEDORES

Europa entre nacionalismo económico e internacionalismo de valores

António Justo

A Cimeira da EU (27 Chefes de Estado e do Governo) aprovou o pacote orçamental e o pacote Fundo de Recuperação que atingem uma soma de 1,8 triliões de euros. O Parlamento europeu parou por agora o pacote orçamental com o objetivo de obter mais dinheiro para a proteção do clima, saúde e estudantes.

Da imprensa alemã trespassa, em geral, um ar de alívio e de contentamento pelo acordo atingido na Cimeira.

Os 1,82 triliões de euros distribuem-se por dois pacotes: o Fundo de Recuperação (uma espécie de “Marshall plan”) que está limitado até 2023 e compreende 750 mil milhões, dos quais 390 mil milhões são concedidos sob a forma de subvenções e 360 mil milhões sob a forma de empréstimos. 70% do Fundo de Recuperação está reservado para 2021 e 2022 e o restante para 2023. Os países devem candidatar-se (propor) a projetos para a agricultura, clima, assuntos sociais e infraestruturas, que a comissão examinará num prazo de 3 meses.

O segundo pacote diz respeito ao orçamento da UE até 2027, que ascende a 1027 mil milhões de euros. Deste surgirão ainda disputas para novas cedências! No parlamento europeu haverá margem para os deputados se dedicarem ao debate ideológico de valores (com a Polónia e a Hungria).

A Grande novidade: Pela primeira vez na história da EU a Comissão da UE foi autorizada a contrair empréstimos em nome de todos os 27 estados membros, o que significa uma cedência a uma União das Dívidas, aquilo que os países do Norte não querem.  A Comissão Europeia pode comprar nos mercados financeiros Obrigações que aí se encontram para venda. Os programas de ajuda são financiados por uma nova dívida dos governos. O reembolso das dívidas deve começar antes de 2027 e decorrer até 2058. Para o orçamento da EU não ser sobrecarregado são criadas novas fontes de rendimentos para a EU. A Cimeira decidiu introduzir um imposto digital (sobre empresas digitais) e um imposto sobre o plástico e por cada tonelada de resíduos plásticos que não seja reciclada, o Estado em causa deverá pagar 800 euros a Bruxelas. Querem também alargar o comércio de emissões ao transporte aéreo e marítimo e reativar um imposto sobre transações financeiras.

O mais importante são os 750 mil milhões de euros que irão ajudar a recuperar especialmente os Estados do Sul da Europa em dificuldades.

Com o Fundo de Recuperação, foi quebrado um tabu criando-se assim o precedente para as transferências de fundos e para a comunitarização das dívidas dos Estados. O reembolso das dívidas do Fundo Corona irá dar muitas voltas e conduzirá um dia à criação de um imposto comum da UE que se prepara assim, passo a passo, para a integração das economias nacionais e uma união fiscal. Surgirão esforços no sentido de tais impostos fluírem diretamente para o orçamento de Bruxelas e assim tornar a UE menos dependente das taxas nacionais de adesão. O poder central ganha independência à medida que controla a economia e a ideologia (correspondentes valores).

Depois do Euro, este é o segundo passo importante para uma união fiscal e para possibilitar integração económica (centralização das economias) dos membros da EU. O problema que os Estados mais fortes ainda têm é não terem conseguido até agora acabar com a prática da necessidade de unanimidade dos Estados membros, no caso de decisões importantes que obriguem todos os membros. A abolição da regra da unanimidade entre os membros constitui o nó górdio que os países fortes querem desfazer! O pobre necessitado não se coloca o problema da soberania! Quando nele o estômago produz rumores todo o organismo se cala!

Apesar do desfalque causado pelo Brexit, conseguiu-se criar um instrumento europeu de apoio temporário para regular os riscos de desemprego a nível regional.

Um outo Novum que surgiu desta cimeira, em consequência do Brexit,  foi a criação de um novo centro de poder formado em torno dos “países poupadores” (Países Baixos, Dinamarca, Suécia, Finlândia e Áustria). O Norte rico que se considera a formiga “frugal” da EU não confia no Sul, qualificando-o de cigarra gastadora. Os cinco questionaram as subvenções que não devem ser usadas para financiar défices orçamentais conseguindo também mais controlo e um desconto nas suas contribuições orçamentais em troca da sua aprovação dos subsídios corona. (O cinismo de Mark Rutte dos Países Baixos, um dos grandes exportadores para a EU, está em conseguir, um desconto de 1,92 mil milhões de euros por ano no seu contributo para a UE (1).

Desta vez não temos troika, mas teremos controlo fiscal certamente mais eficiente no sentido do centralismo! O grupo dos poupados assume a velha posição de Schäuble numa constelação europeia diferente (já sem o Reino Unido, mas com muito nacionalismo). Atualmente a UE vai navegando nas águas de nacionalismos económicos contra nacionalismos de valores.

A soberania deixa aqui de existir, ou melhor, ficará sempre do lado da força económica! O facto é que foi dado mais um passo que revela a intenção de se transformar a EU numa potência mundialmente relevante ao lado dos EUA, China e Rússia.

António da Cunha Duarte Justo

“Pegadas do Tempo”

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

33 comentários em “A CIMEIRA ESPECIAL DA UNIÃO EUROPEIA SÓ PRODUZIU VENCEDORES”

  1. Se é uma comunidade, então que a Europa mantenha.se unida neste momento de tormentos com a peste oriental.
    Mas que também não torre toda essa fortuna comprando quinquilharias da China e mantendo a capitalização constante e desenfreada destes.
    E essa esquizofrenia social, além de real, é muito séria e a ser tratada.
    Mauro Moura
    In Diálogos Lusófonos

  2. É verdade, Mauro Moura!
    Este é um passo histórico no sentido de uma comunidade e tem naturalmente a intenção de transformar a EU numa Potência mundial relevante. Os egoísmos nacionais económicos e ideológicos continuarão a dificultar o desenvolvimento dado em todas as conversações ter dominado em partes os egoísmos nacionais!
    Os apoios são gigantescos! Para ver basta referir dois exemplos: a Itália receberá 172,7 mil milhões, dos quais 70 mil milhões serão sob a forma de subvenções (fundos perdidos) e a Espanha receberá 140 mil milhões de euros sendo 72,7 milhões (de fundos perdidos).
    Da responsabilidade dos 27 membros no sentido de alcançarem os objetivos colocados nos pacotes aprovados, dependerá o futuro da União Europeia.

  3. Parabéns, Antonio C. Justo.
    Mais uma vez, tomei a liberdade de postar no blog copaaec.blogs.sapo.pt
    o artigo aqui referido.
    Mais um grande OBRIGADO e um abraço virtual.
    A G Pires

  4. Muito obrigada por uma exposição tão completa e com tantos dados concretos. que oferecem uma perspectiva mais objectiva.
    A minha surpresa foi saber que o reembolso das dívidas vai de 2027 a 2058! Nessa altura já o dinheiro deve ter desvalorizado…
    Se eu viver 30 anos… ainda terei de reembolsar bastante… embora

    Maria Manuela

  5. Esse é outro aspecto que não ouvi referido nos comentadores portugueses: a Alemanha e a França quererem fazer da UE uma potência mundial!
    Nesse caso o euro não se desvalorizará…

    Maria Manuela

  6. Claro que sim, meu caro. Vou circular o seu post. Vivemos em tempos de grande confusão em que tudo é posto em causa da forma mais absurda e irracional, mas também ninguém faz frente a esta investida em todo os azimutes de uma forma lógica e coerente. Os anos de paz que se sucederam a 1945 amoleceram-nos e fizeram acelerar a decadência, que temos de assumir. Com efeito, à guerra sucedeu uma paz podre perigosíssima e que nos está a conduzir ao abismo.
    Francisco H. Da Silva
    FB

  7. Obrigado, caro Embaixador! Totalmente de acordo! Vivemos em tempos em que a razão deixou de iluminar a realidade e de motivar as vontades.Vivemos na era da guerra fria das ideologias. O povo da União soviética recusou o sistema socialista materialista e então os intelectuais marxistas e maoistas fortaleceram a guerra escondida e agasalhada em universidades por mentores (ideologia e capital) de uma sociedade tipo chinesa. Sim, o poder do dinheiro e da ideologia acorrenta as vontades e a cidadania.

  8. Vivemos num mundo vazio sem valores é triste mas é a realidade que temos ❤️
    Céu Justo Côrte-Real

  9. Digamos que é capital sem fronteiras ! A conquista de um datalhe : obriga a uma outra conquista
    Francisco Barbosa Velho
    FB

  10. Sim, a partir da segunda guerra o capital sem limites e a ideologia socialista materialista deram-se as mãos! Antes cada qual fazia contas indepenentes e quebrava os seus “impostos” no seu grupo! Agora todos pagam os impostos aos latifundiários do capital e da ideologia!

  11. Bom dia, Amigo.
    Eu agradeço a publicação…
    Tudo que eu sinto, me revejo nesse texto e por me faltar as palavras era imperdoável para mim, não o repassar para o meu núcleo de amigos, pois fica mais fácil levar a palavra.
    É um texto muito interessante e certeiro, agora cada um que pense um bocadinho e tire a conclusão.
    Um bem-haja e muito obrigado.
    Saúde e pão.
    Um abraço.
    João Carlos Sousa Pereira
    FB

  12. Obrigado, João Carlos! O busilis da questão em que nos encontramos nesta guerra fria cultural, é que algumas pessoas já a vão notando mas a lavagem cerebral do espírito do tempo (pensar politicamente correcto) é mais forte levando-as a segui-lo.

  13. O materialismo exacerbado e a total falta de valores que hoje se vive, conduz a estas miseráveis aberrações.
    Domingos Barradas

  14. Creio que o que há é valores indiscriminados a mais que conduzem ao total relativismo e deste modo os valores marxismo/maoismo/ultracapitalismo ganharam a sua luta sistemática contra os valores da civilização ocidental.Eles sabem que a maior parte das pessoas lhes basta um pouco de dinheiro, um pouco de sexo, e uma ideia na cabeça; por isso determinam a orientação do caminho!

  15. Vivemos num tempo onde não há valores nem princípios e muito menos o sentido de família.
    Maria Teresa Pereira Legrantt
    FB

  16. A guerra directa contra a Família ganhou mais força com a revolução cultural da geração 68 que lutava contra a sociedade burguesa! Entretanto os activistas de tal movimento encontram-se em todas as estruturas de Estados ocidentais e em grande parte também nos meios de comunicaçbo social. Foram inteligentes na sua estratégia e assim conseguem com mais eficiência destruir a família lutando também contra a religião cristã e contra o sentimento patriótico.

  17. Na muge. 100% correcto. Não tenho palavras para acrescentar mais, pois vejo que cada dia estão pior os valores como fui educado. Vou publicar. Obrigado por todas estas observações. Bem haja.
    José Gonçalves
    FB

  18. Mundo estranho este, em que os valores de toda uma sociedade se vão paulatinamente invertendo…
    Mario Santos

  19. Estamos a ser preparados para uma sociedade do tipo da China e fazemo-lo de ânimo leve sem nos colocarmos a pergunta porque é que estamos a ser controlados em todos os sectores de maneira tão radical como nunca se viu na História da humanidade! E isto está a acontecer numa sociedade que se ri dos cidadãos de eras passadas, como se fossem mais conscientes e desenvolvidos!…
    senão veja-se no que vai acontecer com o dinheiro líquido: https://www.facebook.com/antonio.justo.180/videos/10217324242794237/
    Sobre isto já tenho escrito desde há anos; por exemplo: https://bomdia.eu/inicio-da-abolicao-do-dinheiro-vivo-a-nivel-mundial/?fbclid=IwAR0XJzsLlwscFPROdSPt1L6Nb4RqQ718rZDqB0uaJ5t0JsQzl8iiwIOhqT0#disqus_thread

  20. Lieber António… ich kann einfach nicht glauben, was ich da lese 🙁 Diese EU hat doch zur Genüge Ihre Fähigkeit zur Geldverschwendung gezeigt und auf der anderen Seite Ihre Unfähigkeit und Unwillen, die Werte des Westens zu schützen, die Prosperität zu sichern und zu steigern und die Sicherheit der eigenen Bevölkerung zu gewährleisten.

    Wie oft müssen diese Versager noch teilweise gegen eigene Zusicherungen oder Gesetze verstossen, damit Du diesem leider gescheiterten Projekt den Laufpass gibst?
    Elias da Silva
    FB

  21. Caro Elias, tu dizes que a UE tem de “proteger os valores do Ocidente, assegurar e aumentar a prosperidade e garantir a segurança do seu próprio povo”! O projecto político-social-humano que se pode já prever nas ideologias que são implementadas na opinião pública, levam a concluir do contrário. Seria bom que a pessoa humana fosse considerada o centro mas a realidade é que o que está em jogo já não são os interesses do indivíduo nem do próprio povo. O que está em jvista são os interesses de grupos, regiões,estados e de uma oligarquia sem pátria. Estes interesses acontecem à custa das necessidade do povo e da pessoa que não são respeitados. O povo é usado e manipulado no sentido dos grandes magnates do saber, do dinheiro e da ideologia! Como disse eles já não conhecem família nem pártria nem pessoa no sentido cristão. Estão interessados em criar um novo tipo de ser humano (mesmo com a ajuda da manipulação genética) e uma nova cultura, uma nova sociedade à medida dos seus interesses. No artigo apenas procurei descrever o que se passa; as conclusões devem ser tiradas por quem se informa. Antigamente as nações guerreavam-se, os soldados moriam e as famílias choravam os seus mortos. Hoje a luta é de culturas contra culturas passou o tempo em que todos nós teremos de chorar pelas feridas das nossas almas, provocadas por pessoas que só acreditam no dinheiro e no poder! Mas tudo isto não nos deve tirar o equilíbrio psicológico e humano.

  22. Lieber António, ich fürchte Du beschreibst hier eine Utopie, die genauso wenig realistisch ist wie die gescheiterte sozialistische Variante:
    Altruistische Politiker? In Portugal? Wer soll die wählen?

    Ich war vor kurzem in Portugal und der Mangel an Moral und Ehrlichkeit in der Bevölkerung ist beschämend!

    Ich empfehle Dir das folgende Interview aus dem Jahr 1984 von G. Edward Griffin mit dem geflüchteten KGB Offizier Yuri Bezmenov: https://www.youtube.com/watch?v=Z1EA2ohrt5Q

    In einem Punkt gebe ich dir aber recht… wir müssen selbst unsere Nächsten versuchen zu informieren und davon zu überzeugen, zurück zu den moralischen Werten zurück zu kommen, auf der die Christenheit aufgebaut worden ist.
    Former KGB Agent, Yuri Bezmenov, Warns America About Socialist Subversion
    youtube.com

    Elias da Silva

  23. Obrigado pela tua avaliação.
    É verdade que o processo do amor ao próximo é uma utopia mas também é verdade que sem utopias a sociedade não avança. Sabes, penso que a utopia é o motor da esperança! Não se pode esperar por uma solução porque esta seria momentaneamente concreta mas mesmo esta seria apenas um momento num processo. O problema é ele ser feito de problemas. A solução é feita sempre de espaço e tempo e por isso é sempre outra. Penso que uma coisa que torna muitas pessoas desiludidas é o facto de a natureza seguir a lei da selecção (princípio selectivo e princípio da colaboracao dos elementos) e a cultura foi construída à sua imagem e semelhança! O resto realiza-se na dialética do princípio da selecção que se afirma e no outro princípio também ele natural que é o princípio da colaboração dos mais fracos. O problema é que mesmo estes estão com o seu poder em rivalização com o poder concorrente! Os seguidores do princípio selectivo pela autoafirmação fazem tudo por tudo para que os elementos (o povo) não se unam em nome do princípio individual de autodefinicao. Deste modo os mais fortes anulam o princípio da colaboração (única chance dos mais fracos) e ficam sempre na dianteira. os mais fortes seguidores do princípio da dessolidarização.
    A nível exterior parece nada mudar, o que poderia levar a uma grande desilusão. Mas cada um como elemento de um órgão também influi paulatinamente o órgão com o seu agir e pensar! Nesta lida nos encontramos solidariamente. Importante é não perder a paz e não se deixar levar pelos ventos passageiros porque se sabe que a origem deles se encontra noutros lugares!

  24. Uma Europa federalista, era o que precisávamos. Soberania, nesta altura do campeonato, é um “luxo” que não faz sentido! Ou somos europeus, ou somos portugueses, franceses, alemães, etc. Falta consciência colectiva europeia à Europa. Só se unem, e falam a uma voz, quando há dinheiro e para receber a “massa”. Quando começa a faltar o pilim, já é cada um por si, e cada um que se arranje. Agora vem o dinheiro, é bom, sim! Mas, e depois…. Para onde será, ele, desviado…
    Elizabeth Seixo

  25. Sim, Elisabeth, uma Europa dos povos e da dignidade pessoal e humana! E sabe porquê só o dinheiro? O dinheiro não precisa de tradutor! O problema é que os mesmos que implementam o negócio do dinheiro têm reduzido os valores da civilização ocidental (Colunas: grega com a filosofia, romana com o direito e a administração e judaico-cristã com a mística e a moral) a um valor mínimo abstracto que se possa, sem vida, comercializar e transaccionar como acontece com o dinheiro! O dinheiro ajudará a comprar a alma do povo português e de outros povos até se tornarem irreconhecíveis como tais. A Eutropa precisa de uma pausa: essa pausa deveria ser usada para os partidos e forças económicas, ideológicas e culturais se reconciliarem com o legado europeu que fez da civilização ocidental um factor de desenenvolvimento mundial.

  26. Das mit dem English ist sehr schade… Dir entgeht damit wie zunächst die Kommunisten bzw. KGB und jetzt die Sozialisten den Westen unterwandert haben und es geschafft haben das Volk dermaßen zu demoralisieren, dass die Wahrheit oder Fakten keine Bedeutung mehr für sie haben. Die nächsten Stufen des Umsturzes und Zerstörung der westlichen/christlichen Lebensweisen wird darin auch beschrieben und vorhergesagt. Dieser Mob auf den Straßen ist kein Zufall sondern das Ergebnis der Aktionen, die von langer Hand geplant worden sind.
    Ich habe auch keine Ahnung, was Du mit deiner Utopie, Hoffnung oder auf Lösung hoffen meinst.Lösung wofür? Die Corona Krise ist künstlich herbeigeführt um die letzte Stufe des sozialistischen Umbaus der Gesellschaft voran zu treiben.
    Vielleicht verstehe ich Dich auch falsch, ich hoffe aber, dass Du nicht den Mob der Schwachen damit zu rechtfertigen versuchst. Das ist nicht der Mob der Schwachen sondern der Mob der Hirnlosen.
    Elias da Silva

  27. Caro Elias, de facto nao sou tao ingénuo como posso dar a entender. Estou bem consciente do que se passa e das agendas marxistas-maoistas que estao a ser aplicadas à civilizacao ocidental. Para isso bastaria leres alguns artigos meus. Mas como tu bem sabes as mentalidades populares foram tao bem opiadas (nao já pela religiao mas sobretudo agora pela política) e se se dissesse a verdade toda de uma vez as pessoas nao poderiam acreditar porque a forma em que foram formatados e o muito trabalho que têm nao lhes permite tempo para se dedicarem ao que transcende o dia a dia. Eu prefiro, na minha maneira de escrever e de argumentar levar as pessoas a pensarem por si. Infelizmente, noto, que quem lê, sao muitas vezes os que nao precisam e os outros estao demasiadamente exaustos pelas cargas do dia a dia que nao lhes dá para se aplicarem a coisas mais complexas. De muitas coisas que se afirmam (Coronavírus-19) nao entro em discussao porque nao tenho tempo para ir investigar e poder falar disso com competência. Sabes, vivemos numa luta cultural serrada mas o povo nao nota e por isso nao pode entender e também nao seria bom que comecassem a agir motivados apenas pelo preconceito (impressoes ou meros sentimentos). Eu dedico todo o meu tempo no que penso ser um servico qualificado para muita gente. O que as pessoas fazem disso já nao está nas minhas maos, a mim basta-me o sentimento do dever cumprido e respeitar as opinioes dos outros sejam elas de que quadrante for. Tenho um coracao fraco e este é pelo precariado. O povo nao tem culpa (nao diria que sao hirnlosen) eles falam e crêem o que as elites e seus acólitos dos media lhes apresentam. Importante é que sejam todos felizes, cada um à sua maneira! O negócio é sempre dos outros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *