INÍCIO DA DEMOCRACIA EM PORUGAL: 25 DE NOVEMBRO DE 1975

 

Faz hoje 45 anos que foi posto fim à ditadura comunista em Portugal que se encontrava ao serviço da União Soviética e iniciada a 25 de Abril de 1974. Assim se inicia a democracia parlamentar pluripartidária em Portugal. As forças democráticas em torno do Coronel Jaime Neves puseram fim ao período instável que se vivia então.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

9 comentários em “INÍCIO DA DEMOCRACIA EM PORUGAL: 25 DE NOVEMBRO DE 1975”

  1. Ele e outros tiveram o mérito de evitar a passagem de um totalitarismo para outro! Assim foi possível travar o passo ao totalitarismo vermelho. Que os novos governantes tenham também eles abusado do poder não justifica saudosismos nem de conservadores nem de progressistas! Isto não evita porém o gosto e direito de cada qual se colocar no seu galho!

  2. O que me parece errado é referir precisamente o coronel Jaime Neves. De resto e, como de costume, concordando ou não, respeito a sua opinião, mas discordo dela.
    FB

  3. Em Democracia a tolerância mútua e o respeito pela opinião dos outros são virtudes óbvias para todas as partes. Também quanto a factos há inteira liberdade de interpretação, incluindo esta também a sua negação. A opinião é um trunfo!
    Também não foi sem razão que a União soviética nomeou Álvaro Cunhal seu herói! Foi agraciado com a Ordem de Lenine e condecorado com a Ordem da Revolução de Outubro pelo PCUS. Foi um homem fiel ao comunismo e à sua opinião! Também por isso merece respeito.
    De resto, em democracia, também na História, são possíveis buracos negros! Importante é todos contribuirmos para a paz social, independentemente das ideologias.Todas elas não fogem à lei da complementaridade e à percepção a elas inerentes! Lamentável para todos nós é que em nome de absolutismos e de democracias se prolonguem as injustiças e opressões de pessoas e povos que reprovamos nos diferentes sistemas.

  4. Jaime Neves certamente impediu uma guerra civil em Portugal (também com o General Eanes, Melo Antunes e outros ao tomar conhecimento que um alegado golpe militar estava iminente pela polícia militar de esquerda da Ajuda e provocou a prisão dos alegados cabecilhas.
    Muitos ainda continuam renitentes na tentativa de se assenhorearem do 25 de Abril e dos militares do golpe de Estado, projetando neles a vontade de Portugal como se esta fosse a da revolução socialista como serviço à União Soviética, mas não como a revolução em serviço de Portugal!
    Ficou famosa a frase de Neves às críticas da esquerda radical que o criticava quando ele disse: “Os cães ladram, a caravana passa”.

  5. Data frequentemente esquecida e ainda mais este ano, não precisasse o costa do pcp para se manter agarrado à cadeira pelo menos mais um ano

  6. Para nos pronunciarmos com uma certa objectividade sobre o 25 de abril e haver uma avaliação fora de interesses imediatos será preciso deixar passar pelo menos 80 anos até que morram todos os que fizeram parte do processo e haja um mínimo de distanciamento na interpretação dos factos. Actualmente ainda há muita gente que colocou as suas acções e investimentos numa ideologia ou na outra. Eimportante é que todos se sintam abençoados por uma ou outra ideologia. Resta a procura séria e desinteressada sem impor nada a ninguém!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *