SOBRE A GUERRA

O jornal liberal austríaco “Der Standard” diz sobre a guerra: “Quem não reconhecer a perplexidade e incerteza, também no que respeita à entrega de equipamento de guerra, é provavelmente insensível ou fanático. Mas se toda a liderança ocidental cair na lógica de que a solução só pode ser uma guerra mais dura, há o perigo de não se encontrar uma saída possível.”
António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo
Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

6 comentários em “SOBRE A GUERRA”

  1. António Cunha Duarte Justo, está certo. Quando metade de um dos lados estiver morta ou sem possibilidade de acção e voz activa, será mais fácil negociar.

  2. Pois!?… Está em causa o futuro da humanidade, Autocracias ou Democracias? Democracias são Imperfeitas, mas sem sombra de dúvidas melhores que viver em Ditaduras! Os povos, (os dirigentes), ocidentais se forem insensíveis a este problema e não derem armas necessárias á Ucrânia para recuperar cada centímetro ocupado o Mundo o povo ucraniano e o russo sofrerão as consequências, porque insensível e fanático é Putin! Para que o mundo seja melhor, mais justo! No meu ponto de vista, Vale Tudo!!! Nem que se tenha que recomeçar tudo do Zero depois da eliminação do perigo á nossa liberdade!

  3. Aljusto Justo acreditas mesmo que as armas dadas a Ucrânia vão trazer a democracia a este país?
    No meu ponto de vista aquilo só serve para prolongar a guerra e ajuda os que estão a fornecer tais armas, para lutar contra os russos usando sangue alheio.

  4. Desculpe, sem querer ofender! Penso que esse é o ponto de vista de quem não lê a História, que nunca reclama, deixa andar, são os outros que perdem a liberdade, que morrem, que sofrem! E assim Putin pode reconquistar o império do medo, (Pacto de Varsóvia), tem direito pelos acordos, etc, etc,… Acredito na defesa das Liberdades de que maneira for!!! O que não acredito é que a Ucrânia e o Mundo fiquem melhor com o domínio da Rússia, onde não existe liberdade, matam, também fora dela, quem for contra, sobretudo os russos….quem está a usar o sangue alheio é Putin, ou há dúvidas sobre isso?!! Não posso aceitar que se obriguem povos contra a sua vontade e as fronteiras são invioláveis por direitos morais e internacionais…

  5. O que se precisa não são armas, mas uma ofensiva diplomática global! Quanto mais a guerra durar, mais baixas haverá na população e maior será o risco de expansão da guerra a outras zonas da Europa e isso só serve os interesses da indústria bélica, dos EUA e dos grandes magnatas do mundo. Sabe-se que a intervenção de Putin deve ser condenada, mas agora temos a situação de guerra e não adianta apontar para o facto de Putin estar errado (essa tática é de facto contra a Europa!). A história é feita de fatos euma vezes acontecidos, passa-se infelizmente para a outra página construída de novo por amigos e inimigos: os únicos que pagam são o povo e os soldados mortos.. É enlouquecedor desejar que uma grande potência nuclear simplesmente invada um país e depois se retire como se nada tivesse acontecido. A demanda por armas pesadas é feita pelos EUA e os países da OTAN seguem aquelas ordens como meros auxiliares. Zelensky deveria proteger todas as pessoas da Ucraina e também os soldados e deveria mastigar a fruta azeda da razão para passar a interessar-se só pelas negociações. Não poupar o povo ucraniano fornecendo armas pesadas significa pedir a guerra direta entre a Rússia e a OTAN e nesta opção a Europa tem uma guerra nuclear com consequências incalculáveis de devastação. De não esquecer que as armas pesadas que Zelensky, na qualidade de braço longo dos EUA, são armas que ele também usa para aniquilar os próprios ucranianos de origem russa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *