O PAPA QUALIFICOU O REARMAMENTO DE INSENSATEZ

O Papa Francisco criticou os planos de aumentar as despesas militares devido à guerra na Ucrânia.

Ficou envergonhado quando os viu, disse o Papa numa recepção organizada pelo Centro Italiano da Mulher no Vaticano. “Loucura”, disse ele: armas, sanções e alianças militares, foram a resposta errada.

De facto, é chocante a rapidez com que o governo federal alemão e grande parte dos media públicos abandonaram as políticas anteriores mais orientadas no sentido dos cidadãos e da paz (De repente são aprovados mais 100 mil milhões de euros para armamento!). Em vez de se removerem as armas nucleares do solo alemão, devem ser comprados novos aviões de combate que possam transportar estas armas.

É também chocante a forma como os governos dos países europeus estão a juntar-se às fileiras militares e cada vez estão mais dispostos a investir nas despesas militares e menos nas necessidades humanas dos seus cidadãos. Aproveitam-se do desvio das atenções dos cidadãos!

A vontade política é aumentar ainda mais as despesas em armamento. Portugal, que está quase no topo dos países europeus que gastam, proporcionalmente, mais dinheiro nas forças armadas, ainda quer aumentar o orçamento nesse sentido. Atendendo à realidade económica e social de Portugal, tem-se a impressão que a nossa elite política quer, simplesmente, encostar-se ao lado dos grandes à custa dos contribuintes portugueses e dos cidadãos que se veem obrigados a apertar mais o cinto!

Por outro lado, as armas são enviadas numa guerra que prolonga a guerra e leva a mais sofrimento e morte.

A maneira precipitada como os políticos estão a agir só pode provocar um abanar de cabeça em quem pensa!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

25 comentários em “O PAPA QUALIFICOU O REARMAMENTO DE INSENSATEZ”

  1. Sim, António, subscrevo o que diz. Grande Papa Francisco amante da Paz! O muito “católico” Biden com uma folha de serviços “invejável” ao imperialismo do seu país vem à Europa e afina a UE toda pelo mesmo diapasão: guerra, venda de armanento, do gás americano, sanções e obrigação de a UE alinhar com as sanções que os USA decretarem. E viva a democracia. O Sr. MICHEL e a Sra van der Leyen respondem ao chamado, o resto do pelotão segue atrás bem submisso, os cidadãos europeus não têm nada a dizer perante o séquito de vassalos disfarçados de aliados. A Ucrânia é usada e abusada para finalidades alheias à felicidade do seu povo. A PAZ tornou-se um imperativo categórico para a humanidade se esta quiser sobreviver.

  2. Luciano Caetano da Rosa, é isso mesmo! Os nossos guerreiros conseguiram provocar a guerra ao longo de vinte e tal anos e agora o povo ainda os aplaude sem se questionarem do que tem estado em jogo numa Ucrânia que pelo facto de vítima não pode ser por esse facto ser considerada imaculada! Espero que com o andar do tempo, os jornalistas se tornem mais objectivos nas suas informações tendentes a formar guerreiros na opinião ocidental. Quando notarem que os seus protegidos venceram ou perderam, então darão lugar a uma informação que abrirão os olhos de muita gente. Sabe-se que as populações se orientam por factos sem perguntarem o que está por trás deles.

  3. Luciano Caetano da Rosa sim. Mas não deves comparar e muito menos igualar um Papa („o meu reino não é deste mundo“) com o Presidente de um „reino“ terrestre!

  4. Interrompi um escrito e já não o encontro Dizia eu que o grande papa Francisco, além do múnus espiritual, é também, no plano temporal, o chefe do Estado do Vaticano. Outras coisas ficarão por dizer…

  5. António Cunha Duarte Justo acho que não devemos entrar numa discussão teológica sobre o assunto, porque em nada contribui para parar também a guerra actual.

  6. Manuel Campos, não se deve nas discussões desviar para canto! Aqui trata-se de uma discussão política e interessante é o que o Papa diz: não à guerra, não às sanções e não ás alianças militares! Disto é que trata o discurso.

  7. António Cunha Duarte Justo esperavas outra coisa – e ainda bem – deste Papa? E olha como se comporta o Kiril!

  8. António Cunha Duarte Justo, mundo (as elites guerreiras) agem de tal maneira que as intervenções do Papa, infelizmente, aparecem como frágeis ou ingénuas,diante de tanta brutalidade.

  9. Muito oportuno
    Tanto mais, quando tanta gente, nem sequer imagina esta sábia exortação na boca do Papa.

  10. Infelizmente, o que falha aos nossos políticos é o conhecimento e análise da HISTÓRIA! A Globalização e a ansiedade de enriquecimento rápido, por parte de alguns, levou os nossos políticos a navegar nesse mesmo barco pois, o que é fácil de alcançar, burro é quem não o alcança, mesmo que seja passageiro e quem vier a seguir que se amanhe! Somos nós os que viemos a seguir!

  11. Camilo Olo, a elite política europeia toca toda pela mesma trompelte, na Baviera diriam, tocoam todos pelo mesmo corno! É triste a figura que fazem e a maneira como conseguem alinhar as massas e fazer delas seus soldados! A realidade é mais complexa e quem motivou a atitude de Putin foi a OTAN ao querer convencer a Ucrânia a fazer o pedido de entrar nesta organização militar!

  12. Manuel Campos em breve postarei algo sobre o assunto. É um facto que os russos também pensam e o nosso pensamento não pode ser hegemónico! Neste assunto teremos de estar muito atentos à perspectiva ou ao ponto de vista com que se observa um facto ou acontecimento!

  13. As perguntas que teimam a não surgir são: Quem tem procurado insistentemente por uma WWIII? Quem, com as suas falsas promessas, incentivou a Ucrânia a ignorar os avisos da Rússia, durante anos, quanto à sua “possível” adesão à NATO e UE? Quem lucrou com a alteração do regime político na Ucrânia? Eu sei, todos os meios de comunicação sabem mas eu não sou pago para o esconder…

  14. Pedro Adam, uma outra pergunta que se deveria acrescentar é: quem está a ganhar com esta guerra? Para se poder responder a estas perguntas com um pouco de objectividade teria a imprensa de informar relativamente às causas desta guerra e às consequências. Em contrapartida temos a TV mais interessada em mover sobretudo os sentimentos e deste modo a fomentar o preconceito!

  15. Manuel Campos, em breve postarei algo sobre o assunto. É um facto que os russos também pensam e o nosso pensamento não pode ser hegemónico! Neste assunto teremos de estar muito atentos à perspectiva ou ao ponto de vista com que se observa um facto ou acontecimento!

  16. António Cunha Duarte Justo Os acordos feitos ente os EUA e a Uniáo Europeia sobre o armamento e o gás demonstram muito claramente quem vai pagar e quem vai ganhar centenas de bilióes . Por ultimo desfila aos nossos olhos uma “ópera bufa” onde se pode constatar mais uma vez como se organiza uma guerra para ganhar dinheiro e poder . Para alem dos mortos e feridos e a destruicáo , o dramático é tambem o poder constatar que afinal a dita comunicacáo ocidental é tambem uma fonte de propaganda agressiva e nervosa a cumprir as ordens dos seus donos , os ditos oligarcas que aqui no ocidente se chamam empresários . A unica diferenca no discurso é que enquanto a oriente os orgáos do estado ainda conseguem ter o vampirismo neoliberal debaixo de controle ,enquanto nas ditas democracias há já muito tempo que é a industria financeira é quem manda nos “representantes do povo” que náo se apercebe que náo sáo eles que escolhem os seus representantes e a política que eles fazem … é o ponto mais alto da perversáo !

  17. Mário LdS Botas Exactamente! Quem vai pagar é o povo! E depois vaí reclamar que tudo terá um aumento de preços insuprtável porque deixará de haver verdadeira concorrência de produtos dos dois sistemas. Isto vai ser um fartote para os turbo-capitalistas e especialmente para a EUA. O problema é que as populações, de uma maneira geral, aplaudem o que as suas chefias lhe dita através de TVs! Compo pode o cidadão depois protestar contra o ditame de preços e contra a política se agora se encontram todos fardados ao serviço militar deles?! Encontramo-nos em pura decadência! Quando grandes chefes como Joe Biden desce tão baixo a ponto de atacar com nomes feios o seu rival já não há rosto que se possa considerar limpo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *