NAS PEGADAS DA FEMINIDADE


NAS PEGADAS DA FEMINIDADE

Mulher é vida, a flor da terra no céu concebida
Mulher é terra sagrada onde um raio de Céu se abriga
Mulher é o mar profundo onde o sentir do homem navega
Mulher é o tu da vida a encontrar-se no nós

Mulher é o templo de Deus onde o génio do homem leveda
Mulher é fogo vivo que a mente tempera
Mulher é a alma da sensação a quebrar a dureza do deserto
Mulher é a janela da vida entre as cortinas das ideias a gozar as ondas da fantasia

Mulher, encantado encanto, em ti canta o Céu, que em mim a vida toca
Mulher, em ti o mundo acorda e a graça canta
És a poesia do desejo que o mundo sustenta
És a sombra projectada que de mim foge e de mim me afasta

Mulher não é só ela, ela é a feminidade também no Homem a querer brotar
Mulher é o mundo inteiro, o eu do outro, a encontrar-se no nós
Mulher é a pegada do Espírito no tempo

©António da Cunha Duarte Justo

In Pegadas do Espírito no Tempo, http://poesiajusto.blogspot.de/

a

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *