Início da Abolição do Dinheiro vivo (Notas) a Nível mundial – Controlo total do Cidadão

Início da Abolição do Dinheiro vivo (Notas) a Nível mundial – Controlo total do Cidadão

António Justo

Segundo um projecto-lei dos socialistas, pagamentos em dinheiro vivo só poderão ser efectuados até 3.000 euros. O Jornal Negócios relata que a partir de 1.01.2017 será “proibido o pagamento em numerário nas transacções de qualquer natureza que envolvam montantes iguais ou superiores a três mil euros” e a 1.500 € no caso das pessoas sem residência em Portugal “desde que não actuem na qualidade de empresários ou comerciantes”. http://www.jornaldenegocios.pt/economia/impostos/detalhe/pagamentos_em_dinheiro_vivo_so_ate_3000_euros.html

Economia paralela é mais forte em países com limite de dinheiro vivo

Na Europa há muitos países com limitação de transações com dinheiro vivo. A Itália começou por limitar pagamentos em dinheiro a 999,99 euros por transação, em 2011, tendo agora elevado para o limite de 2999,99€ por pagamento, por razoes práticas. Na Grécia a limitação é de 1.500€.

Em quase todos os países da UE, com um limite de dinheiro, a economia paralela é, hoje mais acentuada do que na Alemanha onde não há limites de transacções com dinheiro vivo. Segundo a opinião de especialistas a economia sombria é na Itália e na Grécia o dobro da da Alemanha. Segundo estimativas, na Alemanha são lavados anualmente cem mil milhões de euros.

Dentro de dez anos só pagamentos em dinheiro virtual?

O chefe do Banco Alemão, no encontro de Davos, disse que dentro de dez anos já não haverá notas; segundo ele, linheiro vivo é “terrivelmente caro e ineficiente”. http://www.spiegel.de/wirtschaft/soziales/bargeld-obergrenze-in-italien-und-frankreich-normal-a-1075841.html

Só haverá impressão de notas de 500€ até 2018 determinou o BCE

O BCE (Banco Central Europeu) com base numa recomendação dos ministros da economia da Zona Euro de Fevereiro, já determinou que só haverá impressão de notas de 500€ até 2018. As notas em circulação continuam válidas e podem ser guardadas também como aplicação financeira. Mario Draghi argumentou que as notas de 500 € são muito utilizadas para objectivos criminosos. Por outro lado, o presidente do Banco Alemão manifestou dúvidas se uma tal medida “impedirá acções ilegais de terroristas e criminosos”.

Interesse na abolição do dinheiro líquido têm o Estado, a indústria e os bancos!

Dostojewski dizia: “dinheiro é liberdade imprimida”. O cidadão perde o controlo sobre o próprio dinheiro, e passa a ser totalmente controlado, pelos vestígios digitais que deixará em todos os pagamentos ou transacções, tal como já acontece hoje através do smartphone na comunicação. Estamos em via de ultrapassamos a visão de Orwell. Com as práticas em via, um estado totalitário teria tudo na mão.

 

Em Portugal somos ainda mais progressistas, dado sermos obrigados a trazer já os números do contribuinte e da segurança social no mesmo cartão do cidadão e a ser necessário o uso do número do contribuinte por tudo e por nada. Nas Alemanha falaram disso mas o povo, que ainda vai tendo mais-valia, pelo menos teoricamente, obrigou os políticos a meterem a viola no saco, e de momento interromper a conversa, dado para a consciência popular alemã isso corresponder a uma atitude de “um estado vigia” (Überwachungsstaat). Em Portugal não se põe a questão porque já antes eramos obrigados a trazer as impressões digitais no cartão.

O processo em curso segue o espírito do tempo, no sentido da abstracção e da despersonalização; tudo se torna mais longe da realidade, mais anónimo, mais abstracto e, como tal, mais massa!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa