FRAQUEZA DO EURO

O euro, moeda de 19 estados europeus, nunca esteve tão baixo como agora. A taxa de câmbio em relação ao dólar americano caiu para um mínimo de 1,02 dólares.

Causas da debilitação: O medo de um colapso económico, o medo da recessão na Europa, a guerra da Rússia na Ucrânia, o bloqueio económico contra a Rússia e a reacção russa com a diminuição do seu fornecimento de energia e outros produtos…

Quanto mais barato é o euro mais fortes são as outras moedas. Assim tornam-se as importações mais caras e as exportações mais baratas. Os países exportadores, como a Alemanha, saem beneficiados da fraqueza do euro (1).

Esta é a conta que os europeus têm de pagar devido aos teimosos interesses do conflito dos EUA-Rússia e Ucrânia.

A próxima conta de insegurança a pagar pela Europa será o ver surgir novas moedas internacionais a concorrer com o Dólar americano numa Europa de mãos atadas ao Dólar! Um dos factores do dólar forte actual encontra-se no aumento do mercado de trabalho nos EUA (actualmente 3,6% devido à criação de 372.000 novos empregos), na sua política monetária e certamente também devido à esperança dos investidores na economia nacional americana e ao receio de potenciais investidores na Europa!

 

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

(1)

In Eurostat: https://ec.europa.eu/eurostat/de/web/international-trade-in-goods/data/database :

O maior exportador da UE em 2018 foi a Alemanha, com exportações no valor de cerca de 1,32 biliões de euros, seguido pelos Países Baixos (612,23 biliões de euros) e França (492,62 biliões de euros).

Os Estados Unidos continuaram a ser o destino mais comum das exportações de mercadorias da UE em 2020, com uma quota de 18,3 por cento. O Reino Unido foi o segundo destino mais importante para as exportações da UE (14,4% do total da UE), seguido pela China (10,5%).

Em 2021, os EUA são o maior país importador do mundo, com importações no valor de cerca de 2,94 triliões de dólares americanos. Em segundo lugar está a China, que importou bens no valor de cerca de 2,69 triliões de euros em 2021.

A Europa importa sobretudo petróleo e gás natural, produtos químicos, veículos automóveis e peças, têxteis, electrónica e tecnologia da informação, equipamento industrial, maquinaria e equipamento eléctrico, bem como minerais.

Em 2021, bens no valor de cerca de 2,1 biliões de euros foram importados para a UE-27 e cerca de 2,3 biliões de euros para a zona euro.

Os principais países exportadores foram a República Popular da China, os Estados Unidos (EUA), a Alemanha, o Japão, os Países Baixos e a Coreia do Sul. Os EUA foram o maior país importador, seguidos pela China, Alemanha, Japão, Reino Unido e França.

Os principais países exportadores foram a República Popular da China, os Estados Unidos (EUA), a Alemanha, o Japão, os Países Baixos e a Coreia do Sul. Os EUA foram o maior país importador, seguidos pela China, Alemanha, Japão, Reino Unido e França.

 

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

17 comentários em “FRAQUEZA DO EURO”

  1. A guerra agora é desculpa para tudo. Tanto a gasolina como o euro já estavam em extremos antes da guerra. O covid e a guerra são uma desculpa para culpar um sistema financeiro que em 2008 quase colapsou. O sistema vai colapsar mas eles estão a fazer de tudo para culpar terceiros em vez de admitir que o problema está no próprio sistema financeiro que vive da dívida. Sem dúvida o sistema morre e foi por isso que abriram as fronteiras a todo o mundo que não têm ainda dívida no ocidente. Amazin

  2. Sim, esse é um aspecto muito importante também a considerar ao lado da especulação. A guerra militar e económica estão a disponibilizar biliões dos impostos dos cidadãos para a indústria bélica. Os custos desta guerra são imensos e irão provocar um grande peso para os contribuintes da sociedade e para os consumidores em geral. O colapso desta vez certamente será muito mais grave e abrangente porque além de factores internos tem factores externos, que o ocidente provocou e que se reorganização de maneira concorrente. Estamos a assistir a uma época em que o mundo unipolar sob a égide dos USA estrebucha por todos os lados ao ter de ceder a um mundo multipolar com os epicentros rivais do Atlântico, Índico e Pacífico. Surgirão várias moedas internacionais(https://beiranews.pt/2022/03/28/ponto-de-vista-por-antonio-justo-220/?fbclid=IwAR0uCiuiFK6z8dGkCoKt24PunG8LwM2vXRncdoe3cj31FvC1QY_Yt173Ixg . A catástrofe que se aproxima é da responsabilidade dos nossos governantes que fizeram tudo entre eles sem consultar o povo e este está a deixar-se levar na onda; usaram uma certa manipulação mediática apresentando o problema apenas com vindo só de um lado para depois poderem desculpar-se perante o cidadão desinformado dos erros que cometeram e tentarem explicar a consequente carestia de vida e o surgir de novas tensões sociais.

  3. Não há nada a fazer. É como o covid. Eles fazem o que querem, o povo não têm poder e mesmo que tivesse não saberia decidir o melhor para a população. É para isso que temos líderes mas o povo hoje em dia não gosta de líderes mas sim de liderar pela bancada. O povo nem escolher um líder sabe. Se soubesse não tinha escolhido Biden que já devia estar internado num hospício. Putin está do lado da verdade e o resto é tudo novelas. Amazin

  4. Luís Moreira, não consegui aprender nada com o que diz sobre a sua palavra quase monossilábica onde não descubro nada da sua reflexão! Se não gosta da palavra catástrofe explique-se para podermos entrar numa de argumentação!

  5. A Europa é a região do mundo que mais exporta e menos importa . Todas as balanças externas são positivas com excepção da energética. E se refletissem antes de escrever?

  6. Luís Moreira, não percebo a razão do que diz nem o tom com que fala e para mais refugiando-se numa afirmação generalizada, quando já se sabe que a UE ocupa uma posição de liderança no comércio mundial. Os países da UE representaram um total de 16 % das importações e exportações mundiais. No que toca a importações e exportações seria interessante ser apresentado o que cada país importa e exporta. Mas este não era o tema! Os países mais exportadores da Europa são:
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10221176418456221&set=p.10221176418456221&type=3

  7. O John Dollar e a Mary Pound hão-de levar o MonnetEuro à bancarrota. Sem qualquer valor fiduciário. O Fim da Europa Comunitária aproxima-se. Assim seja.

  8. O tema é que a UE é largamente excedentarias com excepção da balança energética. Daí a ser a que está mais perto do abismo é pura demagogia

  9. O euro vai cair até ter mesmo valor que 1 dolar.
    A libra também.
    Depois é tudo convertido para bitcoins.
    A melhor moeda neste momento é a moeda russa que não para de subir mas o ocidente disso não fala pois só fala mentiras. O ocidente afastou se da verdade e vai pagar muito caro por isso. Deus é a verdade e Putin está com Deus pois têm o apoio da igelreja hortodoxa cristã. A igreja católica promove a mentira. Maria não nos pode salvar pois Maria é apenas uma mãe como outra qualquer que ama o seu filho. Cristo sim pode salvar o ocidente mas acho que já é tarde demais. Os nossos líderes não conhecem Cristo, apenas conhecem a mãe dele.
    Cristo é o único caminho para a verdade pois é filho da verdade (Deus).

  10. Pedro Martinho, é verdade que o Rublo beneficiou! Mas no assunto que apresentei não está em questão a religião. Sou do parecer que as religiões já deveriam ter aprendido com a história e não se tornarem maniqueistas! Para maniqueismo já temos em demasia na política e nos media da actualidade!

  11. António Cunha Duarte Justo, a religião é a base sólida de uma sociedade. Uma sociedade sem religião é uma sociedade perdida e não saberá nunca distinguir o certo do errado. O problema é encontrar a religião certa. Eu acredito na religião cristã e o ocidente em tempos foi cristão mas infelizmente deixaram de acreditar na verdade e neste momento vivemos num mundo virtual que é fruto da mentira. Os jovens de hoje não tem religião e esse é que é o problema. Para eles não há certo nem errado.
    São esses jovens que lideram o ocidente.
    Amazin

  12. Pedro Martinho , aqui não estava em discussão a religião! Naturalmente, custa-me reconhecer que uma cultura como a Europeia-Americana-Russa, que deveriam unir-se e fazer por seguir a defesa e fomento da pessoa humana no sentido cristão, em vez disso desumanizam as populações. De resto, Pedro Marinho, temos que encarar a situação como ela é e a partir dela tentar elaborar respostas que convençam os jovens: em cristianismo, o importante é a atitude individual! O certo da religião depende muito do certo humano; se este não tem uma atitude humana profunda será difícil que dele saia um protótipo de pessoa como foi Jesus Cristo. Importante é não cairmos nos maviosos cantos da sereia que nos procuram encantar com a mera ideia de estarmos do lado certo quando esse estar certo se concretiza egoisticamente em fomentar guerra.

  13. O euro perdeu valor em relação ao dólar por se emitir moeda para fazer face aos criminosos confinamentos COVID, sem que tivesse havido contrapartida de criação de riqueza.
    Curioso argumento dos prejuízos causados pela desvalorização do euro quando os seus detratores sempre se queixaram que estava demasiado caro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.