INSULTOS PESSOAIS DE BIDEN A PUTIN SÃO GOLO NA PRÓRIA BALIZA

Já não parece SER SUFICIENTE a guerra económico-militar!

Joe Biden, no encontro de refugidos na Polónia, disse: “Por amor de Deus, este homem não pode permanecer no poder”; além disso classificou Putin de “carniceiro”! Esta frase só poderia alegrar militares e serviços secretos.

O Presidente Biden meteu o pé na poça e indirectamente fez propaganda por Putin na Rússia. O Kremlin esclareceu cinicamente que Biden não é o dono da Rússia, declarando: “Isto não é decidido por Biden, o presidente da Rússia é eleito pelo povo russo”. Nisto até os russos da oposição a Putin são obrigados a estar de acordo com o Kremlin.

Com a frase, Biden provocou grandes estragos porque além de despertar velhos sentimentos transmitiu indirectamente a mensagem de que o Ocidente não está interessado em negociações. Pode dar a ideia que a estratégia dos EUA é uma mudança de regime na Rússia e não o fim da guerra.

De facto, a frase traz à memória a política de “mudança de regime” seguida na Líbia e no Iraque e que teve desastrosas consequência ainda hoje internacionalmente presentes.

Independentemente das razões para repudiar esta guerra brutal, Biden cometeu um grande erro.

Biden não é uma pessoa privada e embora tenha expressado o que a maioria do povo pensa, como não nos encontramos em época de eleições, expressá-lo torna-se num erro perigoso.

Num tempo em que os lobos com pele de ovelha da Rússia e do Ocidente andam à solta, há que estar mais atento ao que se diz porque o apoio esperado de um lado corresponderá à repulsa do outro.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

REFERENDO EM LUGANSK UCRÂNIA?

Os separatistas estão a planear um referendo na região disputada de Lugansk na Ucrânia. O líder separatista quer que a população vote sobre se a região deve aderir à Rússia, noticiou hoje a imprensa.

 

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

6 comentários em “INSULTOS PESSOAIS DE BIDEN A PUTIN SÃO GOLO NA PRÓRIA BALIZA”

  1. Sinceramente não se percebe o que o presidente Biden pretende, ultimamente tem se comportado como um pai de família que está frustrado porque alguém lhe bateu o filho e não como um chefe de estado.

  2. Se a Diplomacia é também factor importante na resolução dos conflitos/guerras, são surpreendentes certas frases do Presidente dos EUA em relação a Pútin.
    Para ser firme não é preciso usar de agressividade e/ou grosseria, linguagem que não é própria em ninguém, muito menos numa figura de Estado. É pena!
    Mas, em nome da justiça, devo dizer que também o ouvi dizer: (cito exemplo):
    “A vontade de um povo é mais forte do que a força da ditadura”.
    Sabendo, embora, que era intencional,
    e tinha destinatário,
    era uma frase aceitável naquelas circunstâncias.

  3. Mafalda Freitas Pereira, tem razão, o que Biden disse é uma grosseria dado tratar-se de um presidente! O facto de ter dito uma frase num outro contexto não diminui a responsabilidade de um acto que até a Casa Branca se envergonhou! A música tem de ser vista no contexto! Quando os Media ocidentais passarem a deixar de fazer propaganda muitas coisas virão à tona e então muitas pessoas passarão a dizer: ah, se eu soubesse! É também um descaramento o Ocidente só ter um olhar benévolo em relação ao presidente Seelenskyj sem mostrar nada do que negativo ele faz e cobre!

  4. É verdade que não foi por ter dito algumas frases menos agressivas que diminuiu a responsabilidade de Biden nos seus actos e no que disse. Mais do que qualquer outra, a sua posição política no mundo exige rigor e coerência.
    No que diz respeito a Seelenskyj, ao princípio também achei que era um herói que só queria defender o seu povo e a independência e soberania da sua nação. Depois vi que passou a fazer exigências teimosamente,
    sem medir consequências, num caminho que podia levar ao descalabro total. Parece que agora está mais moderado, vamos ver em que resultam, efectivamente, as conversações de hoje Seelenskyj/Pútin na Turquia com a mediação de Erdogan. Parece que Pútin aceitou reduzir a acção militar perto de Kiev mas os bombardeamentos continuam……

  5. Penso que a paz ou a guerra só dependem do presidente dos EUA e do pressidente russo! A guerra na Ucraina foi desde o princípio entre os dois! Quanto ao resto é certamente uma questão de acólitos! Para recordar isto coloco novamente aqui um artigo que escrevi em 2014 onde se descreve a situação. Temos sido enganados sobre o que se passou na Ucrânia.https://abemdanacao.blogs.sapo.pt/russia-e-china-o-eixo… e https://poramaisb.blogspot.com/2014/05/

  6. António Cunha Duarte Justo, depois de ler o seu artigo fica-se a perceber, todo o jogo de knt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *