MULHERES AFGÃS OBRIGADAS A USAR BURQAS

Até quando continuarão as mulheres prisioneiras do machismo

O governo afegão tornou obrigatório, para as mulheres, o uso de um véu de corpo inteiro em público.

O chador – uma burka da cabeça aos pés – segundo a ordem emitida pelo Ministério para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, é a melhor forma de véu islâmico. Com excepção das raparigas jovens (até 12 anos) e as mais idosas, as mulheres têm de cobrir os seus rostos para evitar “provocação” quando se encontram com homens, (relata o HNA).

Tudo em vão, na intervenção da NATO no Afeganistão! Resultado: quase 200.000 afegãos e cerca de 3.600 soldados da OTAN mortos e uma retirada ingloriosa do Ocidente da sua intervenção no Afeganistão; a vitória ficou para os insurgentes afegãos que agora se vingam nas mulheres.

O Ocidente, depois da guerra na Ucrânia ver-se-á assolado com o terror islâmico e com o activismo de extremistas políticos.

A Europa tinha defendido os seus valores ocidentais no Afeganistão e agora continua, distraída de si mesma, a defendê-los na Ucrânia através da NATO.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do tempo,

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

7 comentários em “MULHERES AFGÃS OBRIGADAS A USAR BURQAS”

  1. Incrível António Cunha Duarte Justo, nem uma palavra sobre TALIBANS! Até agosto não era assim em todas as regiões do Afeganistão, nomeadamente Kabul. O seu governo corrupto fugiu, deixando os cidadãos à sorte dos fanáticos talibans, que (des)governam agora por completo o país. “Emburkam” as mulheres e deixam o restante povo passar fome. O Afeganistão está às portas de uma calamidade!
    A retirada do ocidente não foi a melhor, para não dizer a pior, mas falar disto, sem citar os taliban, como se nem por lá tivessem passado e como se não fossem os responsáveis governantes ocupantes, não me parece contar a história no seu todo, ou dar ênfase ao TODO.

  2. Cara Carla, desculpa, mas todo o mundo sabe que o Talibã voltou ao poder depois da derrota da capitulação da Nato de do Presidente do Afeganistão ter fugido e admitido a derrota! O Talibã declarou o Afeganistão um Emirado Islâmico em 16 de agosto de 2021! Como governo assumiu como objectivo, pouco a pouco submeter o Afeganistão à estrutura da lei Sharia. O que vão fazendo no exercício do seu governo.
    O chefe talibã é Mullah Haibatullah Achundsada tem o título de “Líder dos Fiéis” e toma as decisões finais sobre assuntos políticos, religiosos e militares do Talibã. O chefe talibã é Mullah Haibatullah Achundsada Achundsada que tem o título de “Líder dos Fiéis” e toma as decisões finais sobre assuntos políticos, religiosos e militares do Talibã. Foi ele que declarou a medida de terror que apresentei no texto!
    Se desejares consultar alguns artigos meus relativos ao assunto deixo aqui alguns links: Capitulação da Nato no Afeganistão: https://www.triplov.com/…/Antonio-Justo/2012/capitular.htm
    CONTRADIÇÕES AFEGÃS: https://blog.lusofonias.net/contradicoes-afegas/
    NATO abandona Afeganistão: https://jornaldeoleiros.sapo.pt/…/nato-abandona-o…
    Afeganistão a caminho do Irão: https://antonio-justo.eu/?p=6702
    DEUS SÓ VEM AO AFEGANISTÃO PARA CHORAR: https://antonio-justo.eu/?p=6736
    Capitulação da Nato no Afeganistão: https://www.triplov.com/letras/Antonio-Justo/index.htm

  3. A OTAN defende apenas os interesses da capital ocidental na Ucrânia. Todos eles não significam os valores, nem um pouco. Os valores pertencem apenas a uma bela retórica.

  4. Ksenija Duhovic-Filipovic, a minha alusão à defesa dos valores era sarcástica dado que nas guerras religiosas europeias também se tratava da defesa de valores e como se vê a política assume o mau comportamneto das guerras de religião!!!

  5. Eu sei como se chama o chefe dos Talibã. Não achei relevante aqui. Relevante achei, e estranhei, não serem falados, quando se fala da falta de liberdade das mulheres. Apenas isso. De resto, estou muito bem informada sobre os Talibã e o seu líder.

  6. Carla Moita, não acho oportuno os rodeios usados para manifestar incómodo aqui. No caso sou injustamente admoestado de não ter falado dos Talibã quando toda a gente sabe que no Afeganistão governam os talibã e que pretendem pouco a pouco introduzir a lei islâmica da sharia (o que escusava uma referência a eles) e que infelizmente têm a maioria do povo a apoiá-los (a sociedade afegã com uma cultura muito diferente e não tem sido compreendida pelo ocidente, o que o leva a equivocar-se como foi o caso da intervenção da NATO que defendia os seus interesses num país alheio). Não se trata aqui de ver quem está mais ou menos informado, apenas tentei responder a uma observação que no meu texto era escusada. Um artigo não tem a pretensão de ser um livro! Os comentários são também lidos por utras pessoas! De resto, muito obrigado pelo que referiste em relação à situação no Afeganistão

  7. Irrelevante o nome , aliás os.talibãs aparecem como resultado da ineficácia da intromissão imperialista num país corrupto e, como se sabe não resultou.. O que se passa atualmente é sobejamente conhecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.