PERSONALIZAÇÃO DA POLÍTICA FOMENTA O ESPÍRITO SIMPLICISTA E AUTORITÁRIO

 

A personalização da política ou do discurso político conduz ao carneirismo dos de cima e ao espírito de rebanho dos de baixo; a consequência é a alienação da paisagem social e o carreirismo por alinhamento!

Uma sociedade que produz “embondeiros” e se deixa conduzir por eles produzirá panoramas desérticos!

Isto de personalização e de identificação de políticas com o nome de políticos como “Pedronunistas”, “Costistas”, “Passistas”, etc. só parece ser de uma sociedade demasiadamente vinculada a autoridades e a generalizações: uma sociedade afastada das discussões analíticas e dos conteúdos programáticos.

É verdade que não somos nem piores nem, melhores do que os outros países (a nível de governos, porém há diferenças de qualidade abissais entre os países).

A tentativa de actuarmos por um Portugal melhor deveria pressupor que “os melhores”, os utentes de responsabilidade maior perante a população (muitos daqueles que a TV entrona e a imprensa justifica), não se deixassem levar pelo espírito comum da manada que tudo aceita e se sente bem porque alinhada ou no carneirismo dos de cima ou no rebanho dos de baixo.

No meio de tudo isto precisa-se muito sentido de humor, de diferenciação e dissidência para não se deixar que uns ou outros penteiem o nosso pensamento a seu modo (julgado próprio), para que a sociedade se desenvolva e não continue a marcar passo. Precisa-se de pessoas e autoridades que tentem andar sem muletas, tendo embora muito em conta que pensar faz doer e pode ferir!

Grupos exploradores procuram incutir no povo a ideia de que criticar políticas ou políticos são críticas ou ofensas a Portugal!

António CD Justo

Pegadas do Tempo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.