CHINA RELAXA A POLÍTICA FAMILIAR

Três crianças por família contra o envelhecimento da sociedade

Devido ao declínio das taxas de natalidade (diminuição da população) e ao rápido envelhecimento da população,na China,  o Politburo do Partido Comunista (órgão supremo da liderança chinesa) decidiu (31.05.2021) “optimizar a política de natalidade”. A liderança chinesa decidiu que cada família pode ter três filhos.

A política de um filho em vigor desde 1979, foi abolida em 2015 e substituída por uma política de dois filhos por agregado familiar.

O Estado promete melhorar o apoio familiar e proteger também os interesses das mulheres empregadas.

Os pais de hoje provêm de famílias que apenas tinham um filho, o que não vem em benefício do plano ordenado.

A política de uma só criança criou na China uma superabundância masculina, porque muitos na aldeia matavam as meninas e outros abortavam-nas.

Isto levou à criação de agências matrimoniais que mediavam os homens. Muitos vinham da Coreia do Norte. 

As mulheres podiam assim melhor estabelecer as condições de aceitação dos noivos.

Na prioridade da lista para elas: a educação (académica), um automóvel e um apartamento.

A Europa tem optado pela alternativa de importação de gente nova (política de imigração) e depara-se com grandes problemas de envelhecimento e conflitos interculturais!

António CD Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Um comentário em “CHINA RELAXA A POLÍTICA FAMILIAR”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *