PERGUNTAS À JUSTIÇA PORTUGUESA:

 

1- Como é possível que os crimes de corrupção prescrevam?

2- Como é possível que não haja uma legislação clara e rigorosa sobre o enriquecimento ilícito?

3- Como é possível que relações pessoais e instituições contaminem impunemente o funcionamento da Justiça?

E acrescentaria mais uma:

4- Qual a razão porque os partidos não se juntam numa acção comum contra a corrupção dentro das instituições do Estado e além disso não fazem leis e não estabelecem práticas eficientes que evitem promiscuidade entre política e economia?!

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

2 comentários em “PERGUNTAS À JUSTIÇA PORTUGUESA:”

  1. Cumprem-se este ano 47 anos da Revolução das Liberdades ou , dito de forma mais simples , da Revolução de 25 de Abril de 1974 …aquela magnifica e romântica revolução dos Cravos . Naquele ano especialmente florido , cumpriam-se , também 40 anos da apresentação da “Mensagem” de Fernando Pessoa , poema de onde vou extrair os dois verso que vou citar .
    Cumpriu-se o mar , e o Império se desfez.
    Senhor , falta cumprir-se Portugal !
    Caros concidadãos , sem violência física e psicológica ,é sensato exigir reformas constitucionais profundas que permitam sancionar os prevaricadores de forma exemplar .

  2. Cumprir Portugal será um processo, uma tarefa contínua, talvez a melhorar numa próxima revolução! A não ser que a futura revolução continue a tradição de servir sobretudo os que as fazem! Portugal vai-se fazendo aos poucos com altos e baixos em todos os regimes. Portugal cumprir-se-á quando sair da entropia e conseguir integrar em si os opostos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *