Quanto ganha um Deputado da minha Cidade alemã (Câmara Municipal)

A Câmara Municipal de Kassel, na Alemanha, tem 200.000 habitantes. A administração é formada pelo presidente da Câmara assistido pela Administração que é actualmente composta por cinco magistrados a tempo inteiro e 13 magistrados voluntários, eleitos por um parlamento com 71 deputados pertencentes a 6 fracções (partidos) e com assento proporcional em 12 Comissões.

O trabalho dos deputados é honorífico. Um deputado recebe, por mês, 350 euros acrescidos de 50 euros para os custos de deslocações. Um deputado chefe de fracção recebe 600 euros por mês (cf. HNA 12.09).

Os deputados, além das sessões no parlamento, trabalham em várias comissões, em conselhos fiscais, além do trabalho partidário. O deputado mandatado para o conselho fiscal GWG (empresa concessionária para a habitação de serviço público da cidade, dirigida pelo tesoureiro da cidade) recebe 500 euros por ano de compensação.

Kassel tem 23 conselhos consultivos locais (bairros) que se reúnem pelo menos de dois em dois meses para tratarem dos assuntos relativos ao bairro.

António da Cunha Duarte Justo

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

2 comentários em “Quanto ganha um Deputado da minha Cidade alemã (Câmara Municipal)”

  1. Bom dia.
    Em 1985 fui eleito deputado do município da Covilhã, numa época em que
    a população do concelho era de 60.000 habitantes.
    A minha remuneração era apenas de senhas de presença em reuniões
    ordinárias ( 4 ) e extraordinárias (algumas) por ano.
    Havia também reuniões técnicas de preparação em que participei a
    título gracioso.
    O meu mandato foi de 4 anos e havia as seguintes bancadas de partidos:
    CDS;PSD/PPD;PS;PRD e CDU,havia ainda alguns independentes.

    Nota:Não me lembro bem, mas creio que o valor monetário por presença
    numa daquelas reuniões era de mais ou menos mil escudos.
    Havia reuniões para apreciação do Plano e Orçamento com inicio
    às 9 horas da manhã e prolongavam-se pelo dia todo.

    Com os meus cumprimentos

    Francisco dos Santos
    in Diálogos Lusófonos, 17.09.2013

  2. Boa partilha, esta de Francisco dos Santos
    Assim vamos tendo uma ideia de como se organiza o trabalho honorífico não remunerado nos diferentes cantos do mundo.
    Seria interessante saber como é a situação hoje.
    A minha experiência mostra que há deputados que dedicam talvez dez horas por semana ao trabalho honorífico e outros que dedicam três e mais horas por dia.
    Atenciosamente
    António Justo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *