ENCONTRO NA PANDEMIA

Hoje à tarde, à frente do computador , senti tristeza por não poder abraçar muitos familiares e amigos! Os ventos da pandemia não parecem querer deixar-nos em paz; a frieza da sua aragem  faz crescer em nós o desejo de nos envolvermos uns com os outros.

Falta-nos ocasião  para nos reunirmos, para rirmos juntos, para nos abraçarmos em silêncio e para nos mantermos em contacto humano a modos de sintonia que une alegria e dor!

O quotidiano da vida parece não querer regressar. Talvez precisemos  de uma pausa maior para nos irmos distanciando do consumismo e do homem velho que persiste em ficar!

No meio de toda a atrapalhação fica-nos  tempo para reflectir a terra e o céu e para esperar que, com Deus, tudo  desperte para a vida.

Apesar de tudo, a brisa de Deus continua a soprar-nos no rosto deixando um rasto quente, um aroma de vida que lembra um fôlego comum a unir-nos na sua bênção.

Bom Fim de semana

António CD Justo

Social:

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

9 comentários em “ENCONTRO NA PANDEMIA”

  1. Mais uma vez o conteúdo do seu texto nos leva a reflectir.. Obrigada por ele. Bom fim de semana.

  2. Aquele abraço.Vim ontem na Ryanair para o Porto, podendo apenas dizer-te que paguei 60 Euros por um teste.Grande negócio.

  3. Rosa De Castro Barros, é revoltante essa imposição e esse custo.
    … parece que transportamos a verdadeira peste!

  4. Vamos esperar que Deus nos conceda esse momento, entretanto aqui vai o meu abraço virtual

  5. Oxalá o mundo não perca a vontade de reflectir a terra e o céu.
    É preciso perceber que há uma Força Maior.
    Bom fim de semana!

  6. Ainda não será tão cedo que, infelizmente, o ser humano tomará consciência da inutilidade do consumismo para a sua felecidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *