ELEIÇÕES NO REINO UNIDO

 
 
May perdeu parte do eleitorado, mas com os Unionistas Democráticos conseguirá um certo à vontade na governação.
Equivocou-se ao querer antecipar as eleições numa altura em que os conservadores se encontravam de vento em popa.
A sua argumentação de querer um mandato forte para melhor poder conduzir as negociações do Brexit com a EU foi deslegitimada nos seus objectivos, pelas eleições.
Em consequência das eleições o RU deveria conduzir um Brexit mole e não duro, ao contrário do que ela queria. Facto é que as diferentes regiões do RU querem, apesar do Brexit, permanecer no mercado interno europeu e manter a isenção de impostos e maiores concessões em relação à imigração.
Perdeu porque queria ganhar à custa dos já débeis; com o seu primeiro plano de pacientes com demência terem de gastar todo o seu capital (posses) na sua assistência e cuidados, alarmou o eleitorado. A redução de 19.000 de quadros da polícia quando ministra do interior, foi uma outra chamada de alerta.
As negociações com a UE vão-se tornar muito mais complicadas para todos os lados com uma May fraca. Quem sabe se não haverá, passados tempos, novas eleições no RU.
António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
Esta entrada foi publicada em Economia, Migração, Política. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *