NÃO ABSOLUTO À PENA DE MORTE

O Papa Francisco pediu a todos os Estados do mundo (que ainda não o fizeram)  para abolirem a pena de morte.

 

O N° 2267 do Catecismo da Igreja Católica argumenta que “a dignidade da pessoa não se perde mesmo depois de ter cometido crimes muito graves. Além disso, foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que garantem a defesa adequada dos cidadãos, mas, ao mesmo tempo, não eliminam a possibilidade de resgate do infrator”.

A Igreja ensina, à luz do Evangelho, que “a pena de morte é inadmissível porque está atenta à inviolabilidade e dignidade da pessoa”. Por isso, a Igreja “está empenhada na sua  abolição em todo o mundo”.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo

Social:

Social:

Sobre António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa
Esta entrada foi publicada em Cultura, Política, Religião. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *