SOU O SONHAR DA SAUDADE QUE ME SONHA

Sou o sonho da saudade a sonhar no movimento.

 

No princípio era o desassossego, era o caos e era a luta de todos contra todos, na satisfação do movimento e do esforço por chegar primeiro à meta (individuação).

 

Então o desassossego bradava na terra e no mar, era em mim a voz da tristeza a clamar por mais.

 

O movimento leva ao gozo mas não chega pra chegar à felicidade. No movimento respira Deus enquanto sonha. O movimento é vontade, é desejo sempre em fuga entre a boca e os pulmões do mistério.

 

Este desejo do mais é o ser do movimento mas não o meu, porque sou parte do mistério que me respira nos sonhos em mim a despertar.

 

O movimento que me vive na necessidade de se afirmar deixa em mim o eco da vivência do universo na sensação do divino.

 

Tu, minha dor és o movimento da saudade a sonhar quem me sonha. Sinto que a saudade é mais que amar. Amar é o intervalo entre estar só e estar acompanhado. Obrigado a quem me ama sem me deixar esquecer que estou só!

 

A minha felicidade vem do sonho e o meu gozo (orgasmo) vem do movimento do pensamento. Não quero ficar no movimento para não ser levado pelo fumo da saudade quero repousar no sonho da alma, aquela saudade que dá força ao movimento.

António da Cunha Duarte Justo

http://poesiajusto.blogspot.de/

Social:
Pin Share

Social:

Publicado por

António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *