Judeus divididos – Seculares e Ultrarreligiosos

Nova Lei obriga os Judeus ultraortodoxos a prestar Serviço Militar

António Justo

Segundo a lei, votada hoje no parlamento de Israel, também os judeus ultraortodoxos são obrigados a prestar serviço militar ou civil. A proposta de lei foi aprovada com 67 votos dos 120 deputados do parlamento. Votaram contra: os liberais, as forças de esquerda e os ultra-ortodoxos judeus. No dia 2 de Março passado, tinha já havido uma manifestação de 300.000 ultraortodoxos contra a então proposta de lei de introduzir a lei do serviço militar obrigatório também para os ultra-ortodoxos.

A nova lei pretende ajudar a integrar os ultraortodoxos no mercado de trabalho. 50% destes vivem abaixo do limite da pobreza e recebe auxílios do Estado. A lei prevê o recrutamento de 13.700 mancebos ultra-religiosos até 2016; a partir de 2017 o serviço militar passa a ser obrigatório para todos os homens na idade de recrutamento. A lei permite uma excepção para 1.800 estudantes das escolas judaicas Yeshivas.

Dos 8 milhões de judeus em Israel, 800.000 são ultraortodoxos. Estes “Judeus estritamente religiosos recusam geralmente o serviço militar com o argumento que este lhes dificulta o exercício da fé… porque no exército não há separação entre homens e mulheres e muitas vezes há intervenções militares ao sábado” (HNA,12.3.14).

O judaísmo secular aceita a divisão entre estado e religião enquanto os ultrarreligiosos não. Neste grupo, os homens geralmente não trabalham, nem pagam impostos, apenas estudam as escrituras, vivendo do Estado e de donativos. O que recebem do Estado não dá para viver, quem trabalha são geralmente as mulheres. Querem a separação de gênero no espaço público também com passeios separados para peões. Por isso vivem como que em guetos sem telemóveis nem Internet. Os ultraortodoxos têm muita influência na política do país como partido de coligação para formar maiorias.

António da Cunha Duarte Justo

www.antonio-justo.eu

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
Esta entrada foi publicada em Política, Religião. ligação permanente.

2 respostas a Judeus divididos – Seculares e Ultrarreligiosos

  1. Pingback: ANTISSEMITISMO – UM CARCINOMA FRUTO DO PRECONCEITO E DA INVEJA | Pegadas do Tempo

  2. Pingback: Antissemitismo, um carcinoma fruto do preconceito e da inveja, por António Justo|Blogue do "Povo de Portugal"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *