DEIXA AS BOTAS EM CASA

DEIXA AS BOTAS EM CASA

Depois dum dia chato, dei comigo a pensar:

Não lamentes o presente, ele não tem culpa. Sem mudança não há futuro e o presente sem ela não é mais que recordação! O futuro é o hoje, visto duma outra perspectiva. Muitas vezes o futuro torna-se um presente atropelado. O presente é uma incógnita, e o tempo a sua rima. Quanto às feridas que uma pessoa tem é necessário deixá-las cicatrizar, doutro modo, quanto mais se arranha nelas mais elas sangram e nos enfraquecem. Se não é fácil colocar os vestidos no cavide, também a nudez não é inocente.

O que vale é o acto criador que une em si o passado e o futuro.

Se queres vir à festa, deixa as botas em casa!

O presente não existe

António Justo

Social:

Sobre António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *