NO DIA DA AMIZADE

AMIZADE

 

Sob o toldo da amizade,

Todos agora reunidos,

Nas mesas dos conhecidos,

Dos amigos virtuais,

Dos amigos pessoais,

Dos amigos amigos,

Todos quero saudar.

 

Andamos todos a caminho

No desejo de nos encontrar

Amigo amigo, é o melhor

Que se pode deparar.

 

Criatura sem amigos

É deserto sem miragem

É um vidro sem espelho

Uma vida sem conforto

De um olhar sem paisagem

 

A amizade bem sentida,

É um bem transcendental

Que nos junta na modéstia

De igual para igual

 

A amizade é sincera

É avessa ao poder (domínio)

É bafejo divinal

Que te faz engrandecer

 

Não te esqueças, caro amigo!

Amigo amigo, é o melhor

Que se pode desejar.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo, http://poesiajusto.blogspot.com/

Social:

Social:

Sobre António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa
Esta entrada foi publicada em Arte, Cultura, sociedade. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *