FEDERAÇÃO TURCA SOB INVESTIGAÇÃO DE ESPIONAGEM NA ALEMANHA

O Ministério Público alemão investiga a Federação das Associações Turcas na Alemanha (Ditib) por razões de espionagem efectuada por chefes religiosos de várias mesquitas. Como relata a imprensa alemã, Ditib confirmou que Imame enviaram informações para o governo do déspota Erdogan sobre apoiantes do Pregador Gülen, rival de Erdogan a viver nos EUA, que Ankara considera inimigo público. Na Alemanha, 60% dos votantes turcos apoiaram Erdogan que pretende instalar o fascismo na Turquia. Ditib, que apresenta um rosto democrático para o exterior, é, na realidade, uma organização nacionalista. A Federação tem uma palavra a dizer no ensino religioso nas escolas de alguns estados alemães. O Ministério do culto turco de Ancara envia anualmente para a Alemanha 600 imames para as mesquitas. Esta é a melhor estratégia turca (aliada ao Gueto) para o impedimento da integração dos turcos na Alemanha e uma maneira de manter a lealdade política aos partidos da turquia.

A tática turca na Alemanha sempre se revelou muito inteligente e profícua no seu sentido. De facto, através das mesquitas controla o cidadão simples e com a conexão de interesses políticos através dos Conselhos de Estrangeiros nas comunas consegue uma boa rampa de lançamento para o seu pessoal politicamente mais consciente; muito dele serve-se do Conselho de Estrangeiros para apoiar financeiramente mesquitas através de associações de utilidade pública e para entrar também nas estruturas dos partidos alemães, especialmente Verdes, SPD e Die Linke e para gratuitamente estabelecer contactos e estratégias. Esta estratégia pude observá-la já nos anos 80 quando era porta-voz de um Conselho de Estrangeiros.

O Estado da Baixa Saxónia sai das negociações para estabelecimento de um contrato com as associações muçulmanas DITIB que regule o ensino da religião muçulmana e a pastoral nas instituições hospitalares, prisionais e serviços funerários. Fazem isto para fugirem à crítica pública em ano importante de eleições. Hamburgo e Bremen tem já contrato com Ditib que é uma federação dependente do governo turco. O problema nos imigrantes de cultura árabe vem principalmente das organizações muçulmanas (mesquitas) que no espírito do Corão fomentam o gueto e uma atitude anti-Ocidente. .
António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
Esta entrada foi publicada em Cultura, Migração, Política, Religião. ligação permanente.

Uma resposta a FEDERAÇÃO TURCA SOB INVESTIGAÇÃO DE ESPIONAGEM NA ALEMANHA

  1. Pingback: DESMIOLAMENTO DO SISTEMA DEMOCRÁTICO EUROPEU – TURQUIA DESAFIA A EU! | Pegadas do Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *