PORTUGAL 7 (sete) – COREIA DO NORTE 0 (zero)


Comentadores alemães elogiam a Qualidade do Jogo português

António Justo


Uma exibição exemplar que encantou Portugueses e Alemães aqui na Alemanha

Poprugal jogou bem contra a Coreia do Norte.

Parabéns à equipa, parabéns aos portugueses. Quando actuamos como grupo mostramos realmente as potencialidades que temos!  O espírito de comiunidade possibilitou mostrar a riqueza dos marcadores, por ordem de marcação: Raul Meireles, Simão, Hugo Almeida, Tiago, Liedson e Cristiano Ronaldo. Cristiano Ronaldo trabalhou para a equipa!

Desta vez tivemos em campo uma equipa com espírito de grupo e não um grupo de individualistas .

O jogo foi um espectáculo para todos os espectadores! Parabés à selecção, parabéns a Portugal!

A política portuguesa terá de aprender a lição e descobrir-se como equipa: descobrir-se como equipa em jogo com todos os portugueses, para poder juntar às alegrias futebolísticas, outras alegrias…

Os comentadores alemães ficaram emocionados com a qualidade do jogo português! Desta vez os espectadores foram prendados com um espectáculo de jogo!


António da Cunha Duarte Justo

Social:

Sobre António da Cunha Duarte Justo

Actividades jornalísticas em foque: análise social, ética, política e religiosa
Esta entrada foi publicada em Arte, Sem categoria. ligação permanente.

3 respostas a PORTUGAL 7 (sete) – COREIA DO NORTE 0 (zero)

  1. Manu diz:

    Leio sempre os teus artigos.
    Desta vez tenho um pormenor a acrescentar: Portugal já está transformado em papel quadriculado com a política do betão, se fossem construir mais estradas rápidas ficávamos sem solo…. nem para passear ficava terreno! Iam os pinhais à vida, as terras de agricultura, essas estradas a passar por cima das povoações etc, etc. pensa bem nisto! Já chega o que as autoestradas destroçaram em terrenos e em qualidade de vida!Só os acessos das autoestradas às povoações foi uma enorme devastação!Não achas?
    As autoestradas deviam simplesmente ser gratuitas, estão lá para serem utilizadas por todos, já que todos pagamos impostos.

    Bom fim de semana

    M

  2. António da Cunha Duarte Justo diz:

    E eu que o diga! Lutei imenso contra a construçõo da A32. No artigo tratava-se de focar um aspecto importante da realidade das nossas aldeias e vilas, como é o caso da minha que com sete mil habitantes é dividida pelo C2 antiga EN1 tornando impossível a existência dum centro pedenal para a vila e isto acontece também no percurso da EN13 o que se torna inédito devido ao trânsito e à poluição!

    A construição de auto-estradas foi feita sem cabeça só para se aproveitar os dinheiros da EU e na maior parte contra a qualidade de vidatornando-se até um murro nos olhos das gentes! Só perto da Branca, lugar da minha residência em Portugal, passam duas auto-estradas paralelas uma à outra (A1 e creio que A28) do Porto em direcção a Lisboa num espaço de três quilómetros. O Governo queria fazer lá passar também a A32, (também ela na direcção Porto-Lisboa) que iria destruir ambientes de primeira qualidade. Temos lutado imenso, mas Sócrates ainda não desistiu totalmente do intento. Obras públicas desta naturezatrazem muito dinheiro para oos amigos do alheio. Em Portugal não há consciência de povo nem de bem comum! Uma miséria num povo tão rico em potencialidades não aproveitads!
    Um abraço justo

  3. Os seus artigos dão muito para pensar..
    ..concordo!..
    ..e aqui nesta bela terra dos Açores…estão a romper a paisagem incomparavel do Ilha do S. Miguel ,tudo a força… numa corrida para ‘progresso’..com os SCUTS devastadoras.. e sem o minimo reflexo nas consequencias paisagisticas ..e não só..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *