PROFESSORES DE APOIO PEDAGÓGICO NAS ÁREAS CONSULARES


Consulado de Frankfurt sem Apoio Pedagógico Regional

António Justo

A urgência em racionalizar a administração e em dar resposta às necessidades da população exige colaboração e um cuidado especial de todas as partes. Nas áreas consulares onde se administra o ensino de português com professores sob a alçada de Portugal estão previstos Professores de Apoio Pedagógico. A Área Consular de Frankfurt encontra-se sem Professor de Apoio Pedagógico para os professores da responsabilidade portuguesa desde há mais de um ano. É de esperar que as autoridades portuguesas solucionem a situação. Não é razoável nem proveitosa a existência dum Professor de Apoio Pedagógico Regional que, a tempo inteiro, assuma o encargo de duas áreas consulares.


Nas áreas consulares não se precisa dum professor a tempo inteiro mas sim dum penso horário de um mínimo de 5 horas até a um máximo de 10 para dar resposta às necessidades pedagógicas e organizativas de cada área consular. Em princípio não deveria haver Professor de Apoio Pedagógico sem ter também cursos em que leccione, tal como faz a parte alemã em relação ao ensino sob a sua responsabilidade.


Os professores de ensino sob a responsabilidade portuguesa não podem ser deitados ao abandono sem alguém que, perto deles, os acompanhe e apoie. A eficiência do ensino depende também da relação entre os professores.


Constato, na qualidade de conselheiro da ara consular de Frankfurt, a necessidade da presença de um professor de apoio pedagógico que esteja, também geograficamente mais perto dos docentes, das escolas e das comunidades portuguesas desta área consular.


O perfil do/a Professor/a de Apoio Regional pressupõe, além de altas competências pedagógicas, empenhamento pessoal e capacidade de conversação com a administração alemã.


Encargos do Coordenador de Apoio Regional

Esta figura, mediadora de relações entre a estrutura central – a Coordenação Geral de Ensino de Português na Alemanha – e os docentes deverá:


  • responder às competências que lhe forem delegadas pelo respectivo coordenador;
  • colaborar com o professor de apoio pedagógico de língua materna da parte alemã;
  • criar elos de comunicação entre os docentes, as escolas alemãs e a coordenação de ensino, nomeadamente através de um boletim informativo regular;
  • promover iniciativas de vinculação do ensino do português às escolas alemãs, através da sua abertura aos alunos alemães;
  • promover a auscultação de ideias e sugestões dos docentes nas diferentes realidades de ensino;
  • proporcionar a troca de experiências entre os professores;
  • promover o apoio pedagógico e didáctico  a professores dos cursos de língua portuguesa em funcionamento;
  • mobilizar meios de respostas educativas às necessidades das comunidades portuguesas;
  • promover a organização de acções de formação pedagógica e científicas;
  • identificar, com os professores, os conteúdos programáticos em que os alunos encontram maiores dificuldades;
  • organizar, com os professores, materiais pedagógicos disponíveis numa plataforma online, capazes de dar resposta às carências detectadas;
  • fomentar a partilha e o intercâmbio entre os diferentes cursos de línguas e culturas portuguesas em funcionamento na área consular;
  • promover o intercambio de escolas alemãs com outras escolas em Portugal;
  • elaborar, anualmente, com os professores, uma lista de livros escolares a propor.
  • promover acções de formação para comissões de pais, em colaboração com os professores dos respectivos cursos.


Em benefício duma política de ensino mais virada para a eficiência e para o cidadão.


António da Cunha Duarte Justo

Membro do Conselho Consultivo do Consulado de Frankfurt

antoniocunhajusto@googlemail.com

Social:

Esta entrada foi publicada em Educação, Escola, Migração, Política. ligação permanente.

4 respostas a PROFESSORES DE APOIO PEDAGÓGICO NAS ÁREAS CONSULARES

  1. Eduardo Oliveira diz:

    OLa,sou um portugues instalado em Cuxhaven,vai para 2 anos,em breve terei a oportunidade de ir trabalhar para a area de frankfurt,mais precisamente Grob Gerau,gostaria se me pudessem informar se nesta area geografica existe escolas a leccionar o portugues,pois tenho 2 filhos que virao talvez para o final do ano para ca,junto com a mae,rapaz com 12 anos e rapariga com 16.
    Agradecia k me informassem da disponibilidade ou nao de haver escola para eles,a leccionar o portugues,ou em conjunto com o alemao.
    Sem mais de momento me despeco com estima e consideracao.
    Com os meus cumprimentos.
    Eduardo Oliveira

  2. Senhor Eduardo Oliveira,
    Na Zona que refere, certamente que haverá aulas de português. Já pedi à coordenadora do ensino de Hessen para o informar ou para me dar indicações concretas sobre as aulas na região. Logo que haja algo de concreto informá-lo-ei.
    Atenciosamente
    António Justo

  3. Senhor Eduardo Oliveira,
    aqui anexo a resposta obtida
    Caro Sr. Oliveira,
    a respeito da possibilidade de ensino de Português na zona que refere na sua pergunta, posso informá-lo que funciona um curso de Língua e Cultura Portuguesas na localidade de Kelsterbach, na Escola Karl-Treutel. Kelsterbach fica a cerca de 20 km de Groß-Gerau, mas as ligações não são muito fáceis. Sei que o curso de Kelsterbach funciona neste ano letivo em Kelsterbach uma vez por semana, durante a tarde, sob a responsabilidade das autoridades portuguesas (Embaixada de Portugal) com alunos do primeiro ao décimo ano de escolaridade.
    Há ainda um outro curso a funcionar em Darmstadt, a cerca de 17 km de Groß-Gerau, em condições semelhantes às do de Kelsterbach.

    Para o seu filho de 12 anos não haverá quaisquer dificuldades em inscrevê-lo numa escola oficial e tentar que ele frequente, de tarde, aulas de português, tendo de contar com a hipótese de o terem de levar até Kelsterbach ou Darmstadt de carro, caso não haja transporte público que possa ser utilizado.

    A sua filha tem já os 16 anos completos e não será atingida pela escolaridade obrigatória. Pode e deve continuar a estudar, mas o ingresso na escola torna-se, por vezes, complicado visto ser necessário encontrar uma escola que possa e queira matriculá-la. Não tendo conhecimentos da língua alemã, devo desde já avisá-lo que nem sempre é tarefa simples. Normalmente esses casos são enviados para uma escola profissional e têm urgentemente de aprender a língua alemã. Desde que esteja matriculada numa escola pública, a menina tem também direito ao ensino da língua materna. Deve trazer todos os certificados dos seus filhos das respetivas escolas que frequentaram, para que possam ser procuradas escolas adequadas.
    No fundo, quando mais rapidamente se decidirem pela mudança, melhor para os alunos que se têm de adaptar à nova situação. A língua constitui sempre uma barreira e quanto mais cedo se aprende, maiores são as possibilidades de sucesso escolar.

    Para qualquer informação mais detalhada, pode sempre entrar em contacto comigo para c.arad@f.ssa.hessen.de .

    Com os melhores cumprimentos

    Cristina Arad

  4. MARIA PAULA MATOS diz:

    Olá,
    Gostaria de ser professora de apoio, em qualquer lugar do mundo.
    o que tenho que fazer?
    onde me inscrever?
    Tenho 50 anos e tenho curso de graduação de pedagogia , pos-graduação em psicopedagogia e supervisão escolar.
    Posso viajar para o mundo todo, não tenho nada que me possa impedir.
    Paula

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *