Arquivo da Categoria: Educação

LUTERO GARANTE A EMANCIPAÇÃO COMO PRINCÍPIO IMPULSIONADOR DA IDADE MODERNA – Apresentação do meu livro

O Legado de Martinho Lutero nos 500 anos de reforma   Ideais entre Dependência religiosa e Dependência política Por António Justo Celebram-se este ano os 500 anos da mitológica afixação das 95 teses de Lutero na porta da igreja do … Continuar a ler

Publicado em Arte, Cultura, Economia, Educação, Escola, Política, Religião | Deixe o seu comentário

NOVO PARTIDO NA ALEMANHA QUER INICIAR A REVOLUÇÃO AZUL

A Hora dos Conservadores na Europa   Por António Justo Os Factos Uma civilização à procura do sentido, um predomínio de temas de esquerda determinadores da cultura e da política, a presença social de um Islão conquistador, um globalismo avassalante, … Continuar a ler

Publicado em Arte, Cultura, Economia, Educação, Escola, Migração, Política, Religião | Deixe o seu comentário

“PÁRTENON DOS LIVROS“ DA DOCUMENTA 14 EM KASSEL – UMA CENSURA DA CENSURA

  António Justo O Pártenon dos livros proibidos, no âmbito da Documenta 14, é uma obra de arte de protesto contra a censura praticada ontem e hoje em todo o mundo. Nele encontram-se, como que em mosaico, 50.000 livros proibidos, … Continuar a ler

Publicado em Arte, Cultura, Educação, Política | Deixe o seu comentário

UMA MUÇULMANA EXEMPLAR – SEYRAN ATES

A Fundadora da primeira Mesquita inovadora: “Mesquita Averróis-Goethe”   António Justo Seyran Ates, nasceu em Istanbul (1963); aos seis anos emigrou para a Alemanha; frequentou os estudos de direito em Berlim, especializando-se em direito penal e em direito de família. … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Educação, Migração, Política, Religião | 6 Comentários

O CONTO DAS FADAS DAS LABAREDAS DOS FOGOS

  A Política é inocente – A Responsabilidade é do Mexilhão António Justo De Pedrógão Grande ressoa o eco da voz dos 64 mortos, dos 254 feridos e dos animais queimados sem conta – todos a bradar por compaixão que … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Economia, Educação, Escola, Política | Deixe o seu comentário